Treinadores Que Perderam a Cabeça e Acabaram Se Envolvendo Em Polêmicas

​O futebol é um esporte cheio de emoções e com alguns momentos tensos. Por isso, não é raro ver até mesmo treinadores experientes perdendo a cabeça durante as partidas. Às vezes, o episódio é tão sério que resulta em expulsão ou até demissão.

Relembre a seguir quem são os técnico “esquentadinhos” que já se envolveram em polêmicas com a arbitragem, outros treinadores ou até mesmo com algum atleta de seu plantel.

Cuca foi expulso depois de acertar uma bolada em Fossati

photo-composition-showing-brazilian-coac.-57749
ALMEIDA/JAAFAR/AFP via Getty Images
Bruna Prado/Getty Images

Cuca coleciona polêmicas desde a época em que era jogador. Uma delas aconteceu em 2004, quando comandava a equipe do São Paulo. Em uma partida da fase de grupos da Copa Libertadores, o então comandante do time tricolor se revoltou à beira de campo durante o confronto contra a LDU, no Morumbi, e acabou indo para o vestiário mais cedo.

Ainda no primeiro tempo, Cuca discutiu com o técnico Jorge Fossati e acabou acertando uma bolada no rosto do uruguaio. Por conta do episódio, ele foi expulso de campo pela arbitragem.

A desavença de Dorival Júnior e Neymar em campo

Flamengo v Gremio - Brasileirao Series A 2018
Bruna Prado/Getty Images
Bruna Prado/Getty Images

Você provavelmente se lembra desta polêmica. No ano de 2010, Dorival Júnior e Neymar protagonizaram uma briga que deu o que falar. Durante o jogo contra o Atlético-GO, pela 22ª rodada do Brasileirão daquele ano, a joia do Santos pediu para cobrar um pênalti, mas o treinador não permitiu, pois o atacante não era o batedor oficial do time.

Após ser contrariado, Neymar se mostrou bastante irritado e passou a xingar o treinador. Sem aceitar os desaforos do jovem atleta, Dorival revidou: “Moleque do c*”. Depois da partida, o técnico chamou o episódio de “problema sério” e prometeu punição ao jogador. No entanto, quem acabou demitido foi ele.

Dunga e o gesto polêmico

dunag2
Reprodução/SporTV
NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images

O técnico Dunga comandava a Seleção Brasileira contra a Argentina no Superclássico das Américas, disputado em Pequim, na China, quando se envolveu em uma polêmica por conta de um gesto. Irritado com a comissão técnica adversária, ele respondeu esfregando o nariz enquanto apontava para o banco argentino.

O gesto foi interpretado como uma alusão ao uso de drogas. No entanto, questionado por um repórter, Dunga disse que o gesto era apenas uma referência à poluição do local. “Como tinha poluição, o nariz estava sempre trancado. Quem está falando que usou drogas ou não é você”, rebateu o então técnico do Brasil em 2014.

Cuca e as ofensas contra a arbitragem

At. Mineiro v Deportivo La Guaira - Copa CONMEBOL Libertadores
Yuri Edmundo – Pool/Getty Images
Yuri Edmundo – Pool/Getty Images

Cuca voltou se envolver em uma polêmica em 2021. O técnico do Atlético-MG invadiu o campo e ofendeu o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden após a derrota para o Ceará, por 2 a 1, no Castelão, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O caso envolvendo o treinador do Galo foi relatado na súmula da partida e chamou a atenção pelas palavras proferidas por Cuca. Após receber o cartão vermelho, Cuca teria não apenas chamado o árbitro de “vagabundo”, mas também teria ameaçado “dar alguns tapas” em Vuaden caso eles se encontrassem na rua. Posteriormente, em comunicado divulgado o comandante alvinegro disse que usou palavras exageradas e injustas.

Mano Menezes: expulsão e proibição de dar entrevista

FBL-LIBERTADORES-HURACAN-CRUZEIRO
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images
Juliana Flister/Getty Images

Mano Menezes é mais um técnico brasileiro que coleciona polêmicas. No jogo do Cruzeiro contra Huracán, pela Copa Libertadores de 2019, o treinador gaúcho foi expulso aos 44 minutos do segundo tempo, após entrar no campo e reclamar da arbitragem. Ele também acabou impedido de falar com a imprensa em coletiva.

Segundo a súmula da partida, o árbitro peruano Diego Haro mostrou cartão vermelho para o técnico brasileiro após atitudes consideradas inadequadas enquanto ele estava no banco de reservas da Raposa.

Emerson Leão não levou desaforo para casa

Brazilian Santos' coach Emerson Leao ges
Ronaldo Schemidt/AFP via Getty Images
SEBASTIAO DE SOUZA/AFP via Getty Images

Durante sua carreira de jogador, o meia Carlos Alberto ficou conhecido pelo seu temperamento explosivo. Em 2006, por exemplo, ele entrou em atrito com o treinador Emerson Leão durante partida pela Copa Sul-Americana contra o Lanús. A confusão começou quando o Corinthians perdia o jogo e o treinador deu uma bronca em Carlos Alberto na beira do campo por conta de um lance. Descontente com a cobrança, o meia respondeu com um gesto obsceno.

Irritado com a situação, o treinador substituiu Carlos Alberto, apesar da partida estar com 30 minutos do primeiro tempo. Na saída, o jogador passou em frente ao treinador e os dois discutiram asperamente. E o bate-boca teve consequência. O atleta foi afastado do Timão dias depois.

Tite quase brigou de soco com D´Alessandro

Internacional's head coach Tite gesture
JEFFERSON BERNARDES/AFP via Getty Images
JEFFERSON BERNARDES/AFP via Getty Images

Quase sempre diplomático, Tite não soma muitas polêmicas em seu currículo de treinador. No entanto, o comandante gaúcho quase chegou às vias de fato com o meia D’Alessandro no ano de 2009. Isso mesmo que você leu!

Após uma derrota do Internacional por 3 a 0 contra a LDU, em Quito, pela Recopa Sul-Americana daquela temporada, o treinador e jogador argentino tiveram que ser contidos por Clemer e Índio no vestiário. Em seguida, D’Alessandro acabou afastado pela comissão técnica e, com isso, ficou de fora da viagem ao Japão, onde o Inter conquistou a Copa Suruga daquele ano. Já Tite foi demitido em outubro.

Muricy perdeu a paciência com Douglas

Sao Paulo v Vitoria - Brasileirao Series A 2014
Friedemann Vogel/Getty Images
Friedemann Vogel/Getty Images

Quando ainda era treinador e trabalhava no comando da equipe do São Paulo, Muricy Ramalho teve uma séria discussão com o lateral-esquerdo Douglas. O desentendimento aconteceu no intervalo da partida contra o XV de Piracicaba pelo Paulistão de 2014.

Conhecido por seu estilo durão e disciplinador, Muricy cobrou Douglas aos gritos. O jogador se irritou e retrucou. Os dois foram para os vestiários batendo boca. O restante do grupo do São Paulo precisou entrar em ação para acalmar os dois.

Oswaldo de Oliveira e a forte discussão com Ganso

FBL-SUDAMERICANA-FLUMINENSE-CORINTHIANS
MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images
MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images

Então técnico do Fluminense, Oswaldo de Oliveira trocou farpas com Paulo Henrique Ganso durante um duelo contra o Santos em 2019. A discussão começou quando o treinador substituiu o camisa 10 aos 17 minutos do segundo tempo.

Irritado com a troca, Ganso chamou seu treinador de “burro”. O técnico prontamente rebateu, chamando o atleta de vagabundo. O bate-boca, à beira do gramado, durou alguns instantes e ambos precisaram ser acalmadas pelos membros da comissão técnica do Fluminense. O treinador não resistiu e foi mandado embora do clube após o ocorrido.

Luxemburgo x Felipão

flamengo-v-sport-recife-brasileirao-series-a-2014.-51484
Buda Mendes/Getty Images e Lucas Uebel/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images e Lucas Uebel/Getty Images

Na semifinal da Copa do Brasil de 1995, entre Flamengo e Grêmio, o técnico Luxemburgo acusou Luiz Felipe Scolari de ter lhe agredido. “Ele me deu um soco! Ele está completamente louco!”, disparou Luxa.

Depois da partida, Felipão negou a agressão, mas admitiu que passou um pouco do limite ao confrontar o flamenguista na lateral do campo. “Eu não dei um soco. Eu o empurrei com as duas mãos porque ele me chamou de maluco por mandar bater nos adversários”, disse o treinador gaúcho depois da partida que resultou na classificação da sua equipe.

Cotovelada de Cuca em Rentería

Cuca, head coach of Brazil's Cruzeiro gi
EITAN ABRAMOVICH/AFP via Getty Images
Felipe Caicedo/LatinContent via Getty Images

Cuca esteve nos holofotes novamente de uma maneira negativa em 2011. O treinador acertou o braço no rosto do atacante Rentería durante a derrota do Cruzeiro por 2 a 0 para o Once Caldas, em partida válida pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Após o lance, o atacante colombiano foi obrigado a deixar o gramado para atendimento médico, pois estava com a boca sangrando.

Em um primeiro momento, Cuca negou a cotovelada, mas posteriormente admitiu o erro. “Quem mais errou fui eu. Ainda que tivesse na minha área de defesa, na minha área técnica, quando eu vi o Rentería vindo, fiz o movimento de autodefesa e acabei acertando o rapaz. Não tive a intenção de machucá-lo, mas estou errado. Reconheço meu erro e temos que saber perder também”, afirmou o treinador.

A cotovelada de Felipão

Portugal's Brazilian coach Luiz Felipe S
AFP via Getty Images
AFP via Getty Images

Felipão protagonizou um episódio bastante polêmico quando era treinador da seleção portuguesa em 2007. No final de uma partida contra a Sérvia, válida pelas eliminatórias da Eurocopa, o técnico brasileiro perdeu a paciência depois que o árbitro validou um gol de impedimento.

Quando o defensor sérvio Ivica Dragutinovic se aproximou da lateral do campo, Felipão tentou lhe dar um soco. Os dois precisaram ser contidos pelos atletas da partida. Felipão foi punido com quatro jogos pela Uefa por conta do episódio.

Alex Ferguson perdeu a paciência com Beckham

Ferguson and Beckham
Ben Radford/Getty Images
Ben Radford/Getty Images

David Beckham já era famoso na Europa por ser um dos melhores jogadores do Manchester United, mas ele se tornou uma celebridade internacional depois de se casar com a ex-Spice Girl Victoria Adams em 1999. Quem não gostou nada disso foi Alex Ferguson. O treinador disse que o atleta mudou de comportamento depois do casório e passou a ficar mais interessado em aproveitar a vida de celebridade do que trabalhar duro para ajudar a sua equipe.

A tensão entre o jogador e o técnico atingiu o pico em 2003, quando Ferguson, frustrado após uma derrota para o Arsenal, chutou uma chuteira em direção ao rosto de Beckham. O atleta foi tingido perto do olho e precisou de pontos no local. Quatro meses depois, a passagem de 11 anos de Beckham pelo Manchester United terminou quando ele foi transferido para o Real Madrid.

Roberto Mancini x Carlos Tevez

Soccer - UEFA Champions League - Group A - Bayern Munich v Manchester City - Allianz Arena
Mike Egerton – PA Images via Getty Images
Mike Egerton – PA Images via Getty Images

O treinador italiano Roberto Mancini se envolveu em uma grande polêmica com Carlos Tévez durante a sua passagem pelo Manchester City. A confusão ocorreu em 2011, quando o atacante argentino se recusou a aquecer para entrar no segundo tempo da partida contra o Bayern de Munique.

Depois do episódio, Roberto Mancini disse que nunca mais trabalharia com o jogador argentino, mas a dupla colocou um ponto final no assunto um tempo depois.

Roberto Mancini partiu para cima de Mario Balotelli

Italy Training Session And Press Conference
Claudio Villa/Getty Images
Claudio Villa/Getty Images

O treinador Roberto Mancini também se envolveu em uma briga com Mario Balotelli durante uma sessão de treinamento do Manchester City. No começo de 2013, o técnico teria chamado a atenção do atacante após ele ter dado um carrinho perigoso em Sinclair em um treino.

Balotelli não gostou nenhum pouco do puxão de orelha e ainda se recusou a deixar o trabalho mais cedo. Uma briga estourou quando Mancini tentou tirar Balotelli. Os dois chegaram a trocar empurrões, mas foram afastados pelos outros jogadores presentes no treinamento.

Delio Rossi precisou ser contido

ACF Fiorentina v Novara Calcio - Serie A
Gabriele Maltinti/Getty Images
Gabriele Maltinti/Getty Images

O italiano Delio Rossi é um dos personagens mais temperamentais do futebol. Em 2012, por exemplo, o treinador perdeu o controle de forma dramática, realizando um ataque quase sem precedentes ao sérvio Adem Ljajic.

Aos 32 minutos do jogo, Rossi resolveu substituir o jogador, que respondeu com uma salva de palmas sarcástica. O treinador ficou furioso com a reação e se lançou sobre Ljajic, desencadeando uma briga bastante desagradável no banco de reservas. O ataque de fúria custou o emprego do treinador na Fiorentina.

Um gesto que custou muitos euros

Diego Simeone, head coach of Club Atletico de Madrid, looks...
Nicolò Campo/LightRocket via Getty Images
Nicolò Campo/LightRocket via Getty Images

O treinador do Atlético de Madrid, Diego Simeone, protagonizou uma grande polêmica ao fazer um gesto obsceno durante o duelo contra a Juventus pelas oitavas de fina da Liga dos Campeões em 2019. O técnico se exaltou após o primeiro gol do seu time e comemorou apontando para a sua região genital. Posteriormente, Simeone pediu desculpas pelo gesto obsceno, mas não escapou de uma multa da Uefa, que o impôs o pagamento de 20 mil euros.

Na ocasião, sua equipe derrotou a Juventus por 2 a 0. No entanto, no jogo de volta, os italianos venceram por 3 a 0 e garantiram a classificação para a próxima fase da competição. No fim da partida, o português Cristiano Ronaldo repetiu o gesto do treinador argentino como forma de provocação.

O atrito de Jorge Jesus e Cardozo

Portuguese Benfica football head coach J
JACK GUEZ/AFP via Getty Images
MIGUEL RIOPA/AFP via Getty Images

Jorge Jesus também já ganhou as manchetes por conta de seu comportamento polêmico. Após a derrota do Benfica para o Vitória de Guimarães por 2 a 1, de virada, na final da Taça de Portugal em 2013, o treinador português acabou tendo uma briga com o atacante paraguaio Oscar Cardozo.

O jogador não gostou de ser substituído e empurrou o treinador enquanto os dois se dirigiam para o vestiário. A dupla precisou ser contida pelos atletas da equipe.

Paulo Autuori já foi expulso duas vezes

FBL-LIBERTADORES-SANLORENZO-PARANAENSE
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images

Paulo Autuori conseguiu ser expulso duas vezes em uma mesma partida em 2017, quando era treinador do Athletico-PR. O treinador já havia sido expulso durante o intervalo da partida contra o Londrina, válida pelo Campeonato Paranaense, por criticar a arbitragem.

No entanto, ele voltou ao campo após o intervalo como se nada tivesse acontecido e se negou a deixar a área técnica por alguns minutos No final, ele acabou expulso novamente e não comandou o time no segundo tempo.

Lisca ficou doido e acabou expulso

Palmeiras v Ceara - Brasileirao Series A 2018
Alexandre Schneider/Getty Images
Alexandre Schneider/Getty Images

O técnico Lisca não poderia ficar de fora desta lista. Em 2018, enquanto era treinador do Ceará, o gaúcho foi expulso de uma partida contra o Palmeiras, válida pelo Campeonato Brasileiro, no Pacaembu, depois de reclamar muito de um pênalti marcado para a equipe adversária. Ao sair do campo, o treinador fez um gesto de roubo com as mãos, causando polêmica.

Lisca ainda saiu de campo encarando a torcida do Palmeiras. Na súmula do jogo, a arbitragem relatou que o técnico “reclamou e gesticulou com os braços de forma acintosa e desrespeitosa dizendo as seguintes palavras: “seus m*****, vocês estão com tudo armado, m*****! são muitos fracos””. Auxiliar de Lisca, Márcio Hahn comandaria o Ceará no segundo tempo, mas ele também foi expulso antes do reinício da partida. Com isso, o preparador Flavinho assumiu a função. Em campo, o Verdão garantiu a vitória por 2 a 1.