Os Melhores Zagueiros Do Brasil

Reunimos uma lista com alguns zagueiros que já penduraram as chuteiras, mas que são até hoje lembrados pelo torcedor brasileiro. São nomes que entraram para história dos clubes pelos quais jogaram e também tiveram destaque com a camisa da Seleção Brasileira.

De olho na Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Catar, também separamos os melhores zagueiros brasileiros ainda em atividade. Alguns estão em clubes do Brasil, enquanto outros se destacam atualmente na Europa. Quais desses defensores o técnico Tite deve escolher para compor a delegação que vai em busca do sexto título mundial?

Mauro

20140617114332_0
Divulgação/CBF
Divulgação/CBF

Mauro Ramos de Oliveira está no topo da lista dos melhores zagueiros que já vestiram a camisa verde e amarela. Muito técnico e habilidoso, o atleta escreveu seu nome na história por conta do mostrou em campo e pelos títulos conquistados nas décadas de 50 e 60. O mineiro jogava com tanta elegância que acabou recebendo o apelido de “Marta Rocha”, numa alusão à beleza da primeira Miss Brasil.

Reserva de Pinheiro na Copa do Mundo de 1954 e de Bellini no torneio de 1958, ele conquistou a titularidade durante a preparação para o Mundial do Chile e acabou sendo o capitão na conquista do bi campeonato, em 1962. Pelos clubes os quais defendeu, Mauro se destacou no São Paulo, onde foi revelado e ganhou quatro títulos paulistas, e também com a camisa do Santos, time em que foi bicampeão da Libertadores e do Mundial em 1962 e 1963 durante a era Pelé. Com seu nome marcado na história do futebol brasileiro, Mauro faleceu em 18 de setembro de 2002, aos 72 anos, vítima de câncer no estômago.

Oscar

Soccer - World Cup Spain 1982 - Group C - Brazil v Argentina - Sarria Stadium
Peter Robinson – PA Images via Getty Images
Peter Robinson – PA Images via Getty Images

Ídolo no São Paulo, clube pelo qual jogou entre 1980 e 1987, o mineiro José Oscar Bernardi foi outro zagueiro que deixou seu nome na história do futebol. Além de ter se destacado no clube paulista, onde conquistou quatro Campeonatos Paulistas e o Campeonato Brasileiro de 86, o atleta disputou três Copas do Mundo com a Seleção Brasileira: 1978, 1982 e 1986. Zagueiro de estilo técnico e de poucas faltas, ele atuou um total de 67 jogos com a camisa verde amarela, tendo marcado dois gols.

Luís Pereira

Soccer - World Cup West Germany 1974 - Group Two - Brazil v Yugoslavia
Peter Robinson/EMPICS via Getty Images
Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Luís Pereira também é considerado um dos dez melhores zagueiros que o Brasil já viu jogar. Atleta de grande vigor físico e um dos mais seguros da história do futebol brasileiro, ele foi destaque no Palmeiras por dez anos, divididos em duas etapas, sendo três vezes campeão do Campeonato Brasileiro (1969, 1972, 1973).

Luís Pereira também foi um dos grandes nomes do futebol mundial entre os anos 70 e 80. Fora do Brasil, o baiano de Juazeiro se tornou ídolo no Atlético de Madri ao conquistar títulos como La Liga e Copa do Rei. Jogou profissionalmente até 1997, quando tinha 47 anos.

Aldair

Fußball-WM '94: Weltmeister Aldair jubelt
Oliver Berg/picture alliance via Getty Images
Oliver Berg/picture alliance via Getty Images

Aldair está entre os grandes nomes que já defenderam a Seleção Brasileira. Ao longo de sua carreira de jogador, ele disputou nada menos do que três Copas do Mundo, sendo titular no time tetracampeão do mundo em 1994. O defensor ainda fez parte do elenco campeão das Copas Américas de 1989 e de 1997.

Revelado pelo Flamengo, Aldair participou das conquistas do Campeonato Carioca de 1986 e da Copa União de 1987 (um dos módulos do Campeonato Brasileiro daquele ano) antes de deixar o clube. Ele ainda fez história na Roma, clube em que atuou 415 vezes durante 13 anos. No exterior, o baiano ainda jogou pelo Benfica.

Lúcio

Netherlands v Brazil: 2010 FIFA World Cup - Quarter Finals
Mike Hewitt – FIFA/FIFA via Getty Images
Michael Steele/Getty Images

Lúcio pendurou as chuteiras em 2020, aos 41 anos, após deixar seu nome marcado na história do futebol brasileiro. Durante sua carreira, o jogador ficou conhecido pela força física, pela sua presença no ataque e consistência nas bolas aéreas, além do espírito de liderança.

Não à toa, ele foi escolhido para ser capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010. Antes disso, ele já havia participado da conquista do mundial de 2002. Além disso, ele é o terceiro atleta que mais vestiu a amarelinha na história, ao lado do goleiro Taffarel, com 105 jogos. Fora do Brasil, Lúcio teve passagens vitoriosas por Bayern de Munique e Inter de Milão. O zagueiro também jogou em times do futebol nacional como no Internacional, São Paulo, Palmeiras.

Bellini

Bellini
Divulgação/CBF
JOEDSON ALVES/AFP via Getty Images

Capitão da histórica campanha da Copa do Mundo de 1958, primeira conquista mundial da Seleção Brasileira, Hilderaldo Luís Bellini não poderia ficar de fora desta lista. Foi ele o primeiro capitão da história do futebol a popularizar o gesto de “erguer” a taça sobre a cabeça com as duas mãos. Conhecido por sua raça, liderança e seriedade, ele voltou a ser campeão mundial com o Brasil em 1962 e disputou ainda a Copa seguinte.

Por clubes, Bellini é até hoje um dos maiores ídolos do Vasco da Gama, onde atuou durante 11 anos e conquistou o Campeonato Carioca três vezes (1952, 1956 e 1958). No ano de 1962, transferiu-se para o São Paulo, onde atuou por cinco anos. O zagueiro encerrou sua carreira no Atlético Paranaense, em 1969. Bellini, que sofria de Mal de Alzheimer desde 2011, faleceu no dia 20 de março de 2014.

Ricardo Rocha

Soccer - FIFA World Cup 1994 USA - Group B - Brazil v Russia - Stanford Stadium, San Francisco
Tony Marshall/EMPICS via Getty Images
Tony Marshall/EMPICS via Getty Images

O pernambucano Ricardo Rocha se destacava pela liderança dentro de campo e por ser extremamente técnico. E assim como os demais desta lista, ele também deixou seu nome marcado na história da Seleção Brasileira. O zagueiro do bigode era titular e um dos líderes da equipe que conquistou o tetracampeonato mundial em 1994, apesar de ter se lesionado logo no jogo de estreia. Antes, ele já havia participado da Copa do Mundo de 1990 na Itália.

Por clubes, ele brilhou com a camisa do Vasco e ainda chegou a atuar pelo Real Madrid. Ele também jogou por times como São Paulo, Fluminense, Santos e Flamengo.

Domingos da Guia

Midfielder Jan Riha (L) from Czechoslova
STAFF/AFP via Getty Images
STAFF/AFP via Getty Images

O carioca Domingos da Guia é considerado por muitos o melhor zagueiro da história do futebol brasileiro. Pai do ídolo palmeirense Ademir da Guia, o habilidoso Divino Mestre tinha como marca registrada driblar os atacantes adversário.

O ídolo brasileiro começou a carreira no Bangu e passou por grandes clubes como Flamengo, Vasco, Corinthians e Boca Juniors, da Argentina. Defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1938, ficando com a terceira posição. Domingos da Guia faleceu no dia 18 de maio de 2000, no Rio de Janeiro, aos 88 anos.

Mauro Galvão

Mauro Galvao of Vasco de Gama
Shaun Botterill /Allsport/Getty Images
ANTONIO SCORZA/AFP via Getty Images

O gaúcho Mauro Galvão era um zagueiro de técnica apurada, visão de jogo e demonstrava muita classe ao jogar futebol. Revelado pelo Internacional, foi campeão brasileiro em 1979 e posteriormente se tornou ídolo do rival Grêmio e também do Vasco.

A trajetória de Mauro Galvão com a camisa amarelinha também é recheada de momentos emblemáticos. Ele conquistou a medalha de prata nas Olimpíadas de 1984, a Copa América de 1989 e fez parte do grupo chamado para disputar os títulos da Copa do Mundo de 86 e 90.

Juan

Gremio v Flamengo - Brasileirao Series A 2018
Lucas Uebel/Getty Images
MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images

O zagueiro Juan foi considerado um dos melhores do mundo no auge de sua carreira. Ele foi peça essencial nas conquistas da Copa América de 2004 e 2007, tendo também papel de destaque em duas Copas das Confederações, em 2005 e 2009. Além disso, defendeu o Brasil nas Copas do Mundo de 2006, na Alemanha, e de 2010, na África do Sul.

Reconhecido pela técnica e jogo limpo, ele também teve passagens pelo Flamengo, sendo o maior zagueiro artilheiro da história do clube junto com Júnior Baiano, além de atuado por Internacional, Bayer Leverkusen e Roma. Juan encerrou sua carreira de jogador profissional recentemente, aos 40 anos.

Orlando

Orlando, Brazil
PA Images via Getty Images
PA Images via Getty Images

Titular da zaga brasileira durante a Copa do Mundo de 1958, ao lado de Bellini, Orlando foi um dos maiores zagueiros que os brasileiros já viram jogar. Revelado pelo Vasco, ele participou de todas as partidas do Mundial daquele ano e foi peça importantíssima no primeiro título brasileiro. Jogou ainda a Copa de 1966, quando chegou a usar a braçadeira de capitão. Seu bom futebol logo chamou atenção de clubes estrangeiros.

Acabou assinando contrato com o Boca Juniors em 1960, onde marcou seu nome na história do clube argentino. No entanto, por estar jogando no país vizinho, ele ficou de fora da Copa de 62, perdendo a chance de ser bicampeão mundial no Chile. Naquela época, eram convocados apenas atletas que jogavam em solo nacional. Orlando se destacou ainda pelo Vasco e pelo Santos. Faleceu em 10 de fevereiro de 2010, aos 74 anos, vítima de parada cardíaca.

Thiago Silva

Brazil v Belgium: Quarter Final - 2018 FIFA World Cup Russia
Etsuo Hara/Getty Images
Michael Reaves/Getty Images

Thiago Silva é um dos melhores zagueiros da atualidade. Revelado nas categorias de base do Fluminense, o defensor se transferiu para o Milan no início da carreira, mas foi no Paris Saint-Germain que ele se consolidou como um dos principais nomes do futebol mundial.

Com a Seleção Brasileira, Thiago Silva começou sua trajetória em 2008 e dois anos depois participou de sua primeira Copa do Mundo. A partir do final de 2011 ele assumiu a posição de capitão. Em 2014, foi considerado um dos melhores jogadores da Seleção no mundial disputado no Brasil, embora tenha sido criticado por parte da torcida no decorrer da competição, principalmente pela atitude de chorar antes da disputa de pênaltis contra o Chile nas oitavas de final. Vale lembrar que o atleta ficou de fora da goleada sofrida para a Alemanha, pois estava suspenso. Ainda é nome constante nas convocações de Tite, mas viu seu espaço diminuído com a ascensão de jogadores como Miranda e Marquinhos.

Marquinhos

Brazil v Peru - 2019 International Champions Cup
Kevork Djansezian/Getty Images
Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images

Cria da base do Corinthians, Marquinhos também é um dos melhores de sua posição na atualidade. Sua carreira profissional começou quando foi chamado por Tite para fazer parte do elenco campeão brasileiro de 2011. Logo depois, mesmo sem jogar, ele participou da conquista da Libertadores de 2012 com o clube. Ao todo foram apenas 15 jogos pelos profissionais do Timão. Isso porque, com apenas 18 anos, o zagueiro foi contratado pela Roma. Apesar da pouca experiência, o zagueiro brasileiro se adaptou rapidamente ao futebol europeu.

Em 2013, o jogador foi contratado pelo PSG. Hoje é um dos grandes nomes não só da equipe francesa, mas também da Seleção Brasileira. Foi convocado para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, e deve ser titular do time em 2022.

Éder Militão

Brazil v Korea Republic - International Friendly
Eurasia Sport Images/Getty Images
Marcio Machado/Getty Images

Nascido em 18 de janeiro de 1998, o zagueiro brasileiro Éder Militão é uma das novas contratações do Real Madrid e tem tudo para se destacar ainda mais no futebol europeu nos próximos anos. Antes de chegar na Espanha, ele se tornou profissional no São Paulo, sendo negociado com o Porto em agosto de 2018.

Éder Militão também vem conquistando seu espaço na Seleção Brasileira. Sua primeira convocação aconteceu em setembro de 2018, tendo posteriormente participado da Copa América de 2019 como reserva de Marquinhos e Thiago Silva. Agora ele disputa um lugar na lista de convocados para a Copa de 2022.

Rodrigo Caio

CR Flamengo v Al Hilal FC - FIFA Club World Cup Qatar 2019
Etsuo Hara/Getty Images
Etsuo Hara/Getty Images

Rodrigo Caio começou sua trajetória no São Paulo, jogando no time profissional entre 2004 e 2018. Depois de um período de inconsistência com a camisa tricolor, ele acabou deixando o clube paulista. No entanto, ele viu sua carreira decolar após assinar com o Flamengo.

Com o Rubro-Negro, o zagueiro conquistou títulos como Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores. Devido ao bom momento, ele é um forte candidato para fazer parte da delegação brasileira que irá em busca do hexacampeonato no Catar em 2022.

Miranda

Brazil v Belgium: Quarter Final - 2018 FIFA World Cup Russia
TF-Images/Getty Images
DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images

Depois de começar a carreira no Coritiba e se destacar no São Paulo, onde foi tricampeão brasileiro (2006, 2007 e 2008), o zagueiro Miranda foi brilhar na Europa. Seu primeiro clube fora Brasil foi o Atlético de Madrid, onde o brasileiro conquistou títulos como La Liga, Liga Europa e Copa do Rei.

De 2015 até meados de 2019, ele defendeu a Inter de Milão. Atualmente é um dos grandes nomes do São Paulo. Apesar da sua qualidade técnica, por conta de já ter 36 anos e não estar mais no auge de sua carreira, é provável que fique fora da convocação para a Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Catar. No entanto, ele segue entre os grandes zagueiros brasileiros ainda em atividade.

Pedro Geromel

Brazil Portraits - 2018 FIFA World Cup Russia
David Ramos – FIFA/FIFA via Getty Images
Lucas Uebel/Getty Images

Pedro Geromel é um dos zagueiros mais consistentes dos últimos anos. Aos 35 anos, ele está no Grêmio dede 2014. Com mais de 300 jogos no currículo e titular indiscutível, o defensor já é um dos grandes ídolos da história do clube gaúcho.

Desde que foi apresentado com a camisa tricolor, Geromel venceu diversos torneios importantes, sendo, inclusive, capitão em quase todas as conquistas. Ele já levantou as taças do Campeonato Gaúcho (2018, 2019 e 2020), Copa do Brasil (2016) e Libertadores (2017). Com a Seleção Brasileira, participou da Copa do Mundo de 2018.

Lucas Veríssimo

Brazilian Football League Serie A 2018
Getty Images
Getty Images

Aos 25 anos, Lucas Veríssimo é outro zagueiro que se destacou no futebol nacional nos últimos anos. Consistente na marcação e um dos líderes da equipe do Santos de 2019 e 2020, o atleta logo chamou atenção dos clubes europeus.

Em 2021, ele foi anunciado pelo Benfica. Lucas Veríssimo fez 188 jogos no Santos e marcou sete gols. Com o Peixe, ele foi campeão paulista em 2016 e vice-campeão da Libertadores de 2020. Será que ele será um dos convocados para 2022?

Felipe

FC Bayern Muenchen v Atletico Madrid: Group A - UEFA Champions League
Alexander Hassenstein/Getty Images
Alexander Hassenstein/Getty Images

Felipe também ganhou destaque no cenário mundial nos últimos anos. Hoje, ele não somente é um dos melhores zagueiros brasileiros em atividade como também é um dos principais nomes do Campeonato Espanhol. Contratado pelo Atlético de Madrid em 2019, o brasileiro se tornou titular absoluto e recentemente entrou na mira de outros gigantes como Barcelona.

Antes de chegar na Espanha, ele se destacou no Corinthians, onde trabalhou com Tite, e no Porto, clube de Portugal. Nome habitual nas últimas listas de treinador da Seleção Brasileira, o zagueiro de 31 anos pode ser uma das escolhas para a próxima Copa do Mundo.

Gabriel Paulista

Soccer - International Friendly - Brazil v Chile
AMA/Corbis via Getty Images
AMA/Corbis via Getty Images

Quando saiu do Vitória, lá em 2013, o zagueiro Gabriel Paulista teve sua primeira experiência internacional com o Villarreal, onde atuou em 50 jogos. Entre 2014 e 2017, ele defendeu o Arsenal. No clube inglês, o brasileiro faturou duas Copas da Inglaterra e ainda uma Supercopa da Inglaterra.

Posteriormente, acabou negociado com o Valencia, onde segue jogando. Nascido em São Paulo, ele já foi convocado para defender a Seleção Brasileira quando Dunga ainda era o treinador, mas acabou não entrando em campo. Recentemente, ele obteve o passaporte espanhol e agora está focado em defender a seleção do país europeu. Por isso, não deve ser cogitado por Tite.