Os Maiores Ídolos Da História Do Fluminense

Não há quem discuta a grandeza do Fluminense. Tetracampeão nacional, campeão da Copa do Brasil e com 31 títulos estaduais, o tricolor carioca está entre os grandes clubes do futebol brasileiro. Até mesmos os maiores rivais reconhecem sua importância para o futebol nacional e seus feitos.

Mas quem são os jogadores que mais contribuíram para as glórias do Fluminense? Confira a seguir os craques que marcaram época, com títulos e marcas importantes, e hoje são considerados os maiores ídolos da história do clube!

Castilho

Goleiro Castilho é um dos maiores ídolos do Fluminense
Divulgação/ Fluminense F.C
Divulgação/ Fluminense F.C

Castilho tem inúmeros motivos para ser considerado o maior ídolo da história do Fluminense. O goleiro jogou basicamente toda a carreira no clube, sendo até hoje o jogador que mais entrou em campo com a camisa tricolor. Foram 698 partidas de 1946 até 1965, tendo participado de grandes conquistas como Copa Rio (1952), Torneio Rio-São Paulo (1957 e 1962), Campeonato Carioca (1951, 1959 e 1964).

Sua dedicação ao clube era tão grande que ele chegou a amputar parte do dedo mindidnho, após uma fratura, só para poder voltar mais rápido as gramados. Mas não foi só no clube carioca que ele se consagrou. As boas atuações com o Flu garantiram a Castilho uma vaga na Seleção Brasileira e ele chegou a disputar nada menos do que quatro Copas do Mundo (1950, 1954, 1958 e 1962).

Fred

Fred na lista de grandes jogadores do Fluminense
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

O centroavante Frederico Chaves Guedes, mais conhecido como Fred, é o grande nome da história recente do Fluminense. O jogador chegou ao clube em 2009, permanecendo até 2016 em sua primeira passagem. Durante esse período, foi determinante na arrancada contra o rebaixamento em 2009 e na conquista do bicampeonato nacional em 2010 e 2012. Mas sua trajetória no clube não parou aí!

Em 2020, ele retornou às Laranjeiras para seguir fazendo história. Atualmente, Fred já é o segundo maior artilheiro da história do Fluminense, ficando atrás apenas de Waldo, atacante que liderou o ataque do time tricolor entre 1954 e 1961 marcando 319 gols. No entanto, Fred está na liderança quando falamos em gols marcados na Libertadores (15 gols) e no Brasileirão (99 gols).

Assis

Ídolo Assis do Flu
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

Benedito de Assis Silva, mais conhecido como Assis, foi um dos atacantes mais importantes da história do Fluminense. Mesmo que você seja mais novo, provavelmente já ouviu seu pai ou avô citando o famoso “Casal 20”, que era formado por Assis e Washington. Juntos, eles foram protagonistas de grandes títulos da década de 80.

Durante sua passagem pelo clube, Assis foi peça fundamental para a conquista do tricampeonato carioca (1984, 1985 e 1986) e do Campeonato Brasileiro de 1984, sendo inclusive eleito para a Seleção do Bola de Prata pela Revista Placar. Também ficou conhecido como o maior carrasco do rival Flamengo nos anos 80.

Rivellino

Soccer - Roberto Rivelino
Universal/Corbis/VCG via Getty Images
Universal/Corbis/VCG via Getty Images

Roberto Rivellino foi um dos maiores e melhores jogadores da história do futebol mundial e também do Fluminense. O atleta foi contratado para reforçar o Tricolor em 1975, após ter sido considerado o melhor jogador da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1974, e no clube carioca permaneceu até 1978.

Mesmo que não tenha tido uma passagem tão longa pelo clube quanto outros ídolo, Rivellino foi capaz de grandes feitos. No período em que esteve no Flu, Rivellino se tornou maestro do esquadrão que ficou conhecido como a “Máquina Tricolor”. No total, o eterno camisa 10 atuou em 158 jogos e marcou 53 gols, tendo conquistado o Campeonato Carioca de 1975 e 1976.

Telê Santana

Telê Santana
Mark Leech/Offside via Getty Images
Mark Leech/Offside via Getty Images

Muito lembrado pelos trabalhos como treinador de futebol, Telê Santana também foi um jogador de altíssimo nível. E sua carreira de atleta foi construída basicamente no Fluminense, onde atuou profissionalmente de 1951 a 1960 e ganhou o apelido de “Fio de Esperança”.

Durante os quase dez anos em que defendeu as cores do clube, Telê entrou em campo em 559 oportunidades, sendo o jogador que mais atuou e o quinto maior artilheiro da história do Flu (165 gols). Além disso, teve grande importância nas conquistas do Campeonato Carioca (1951 e 1959), Copa Rio (1952) e Copa Rio-São Paulo (1957 e 1960). Por fim, sua idolatria aumentou ainda mais quando iniciou sua carreira como treinador, justamente no Fluminense. No comando do Tricolor, foi campeão carioca em 1969 e formou a base do time campeão do Brasileiro de 1970.

Romerito

romerito ídolo do Fluminense
Divulgação/Fluminense FC
Divulgação/Fluminense FC

Nascido no Paraguai, Julio Cesar Romero chegou ao Rio de Janeiro em 1983 para se tornar um dos maiores ídolos de todos os tempos do Fluminense. Aliás, muitos o consideram o melhor estrangeiro que já passou pelo clube. Com gols decisivos, Romerito foi peça chave para a conquista do Campeonato Brasileiro em 1984. Como esquecer seu gol marcado na decisão contra o Vasco? Mas esse não foi seu único título importante.

Ao lado da dupla Assis e Washington, o ex-ponta também venceu o Carioca duas vezes (1984 e 1985). Permaneceu no clube até 1988, quando foi contratado pelo Barcelona. No total, foram mais de 200 jogos disputados e 59 gols marcados.

Waldo

waldo
Divulgação/Fluminense
Divulgação/Fluminense

Centroavante clássico, Waldo incomodou as zagas adversárias enquanto jogou no Fluminense e é até hoje o maior artilheiro da história do clube. Revelação da base, ele subiu para o profissional no ano de 1954, e permaneceu nas Laranjeiras até 1961.

Seu número de gols é realmente impressionante. Durante os anos em que defendeu o clube, Waldo marcou 319 gols em apenas 403 jogos. Ele ainda soma mais de 100 gols de vantagem em relação a Fred, segundo maior artilheiro de todos os tempos. Além disso, conquistou o Campeonato Carioca (1959) e o Torneio Rio-São Paulo (1957 e 1960). Em 1962, após o sucesso no tricolor carioca, o centroavante foi contratado pelo Valencia, da Espanha.

Conca

Conca brilhou no Fluminense
Carmen Flores/Getty Images
Carmen Flores/Getty Images

Temos aqui um ídolo recente da história do Fluminense. O meia-atacante Dario Leonardo Conca, mais conhecido como Conca, merece estar entre os dez maiores de todos os tempos principalmente por ter sido o destaque do time na conquista do Brasileirão de 2010, campeonato em que atuou em todas as 38 rodadas. O título daquele ano pôs fim a um jejum que já durava 26 anos.

Conca ficou no Fluminense até 2011, quando acabou indo para a China, mas retornou às Laranjeiras em 2013 para ficar por mais um ano. No total, somando as duas passagens, o atleta argentino entrou em campo em mais de 270 jogos.

Washington

3
Divulgação/Acervo Fluminense
Divulgação/Acervo Fluminense

Ao lado de Assis, o atacante Washington César Santos, ou simplesmente Washington, formou uma das duplas mais carismáticas e vitoriosas da história do Fluminense, o “Casal 20”. Com lances inesquecíveis, participou com muito destaque do tricampeonato estadual de 1983 a 1985 e da conquista do Campeonato Brasileiro de 1984.

Além disso, venceu competições internacionais, como o Torneio de Seul, em 1984, a Copa Kirin e o Torneio de Paris, em 1987. No total, de 1983 até 1989, Washington disputou mais de 305 partidas e balançou as redes 124 vezes, estando na lista dos dez maiores artilheiros da história do clube. Saiu do Tricolor para o Guarani em 1989.

Didi

Brazilian midfielder Didi concentrates a
STAFF/AFP via Getty Images
STAFF/AFP via Getty Images

Waldir Pereira, mais conhecido como Didi, foi o cérebro do Fluminense durante a trajetória que resultou no título carioca de 1951. Permaneceu no clube de 1949 a 1956. Nesse período, marcou 95 gols em 297 duelos.

Mas Didi não fez história apenas no Flu. O meio-campista também se tornou um dos maiores nomes do futebol mundial, ficando conhecido pelo seu estilo de jogo elegante. Foi bicampeão mundial com a Seleção Brasileira e eleito o melhor jogador da Copa de 1958 pela FIFA.

Carlos Alberto Torres

2014 FIFA World Cup Final Draw - Previews
Clive Mason/Getty Images
STAFF/AFP via Getty Images

Revelado pelo clube das Laranjeiras, Carlos Alberto Torres se tonou não apenas ídolo do Fluminense, mas também um dos melhores laterais da história do futebol brasileiro. Começou a ganhar chance na equipe principal do Flu em 1964 e, no ano seguinte, foi destaque na conquista do título carioca. Mas sua primeira passagem foi rápida. Em 65, deixou o clube ao ser negociado com o Santos de Pelé.

Em 1974, retornou ao Fluminense, onde se destacou como parte do time que ficou conhecido como “Máquina Tricolor”, sendo bicampeão carioca e semifinalista dos Campeonato Brasileiro de 1975 e 1976. Com a Seleção Brasileira, foi um dos destaques da conquista do título da Copa do Mundo de 1970, no México, ficando conhecido como o Capitão do Tri.

Gérson

gerson flu
Divulgação/Fluminense
Divulgação/Fluminense

O “Canhotinha de Ouro” atuou com maestria e inteligência durante sua carreira, se destacando principalmente pelos lançamentos precisos. A passagem pelo Fluminense aconteceu no início dos anos 70, quando o meio-campista realizou o sonho de jogar pelo seu time de coração. Na época, ele recém tinha feito parte da Seleção Brasileira tricampeã mundial.

Com o time das laranjeiras, Gérson foi campeão do Campeonato Carioca em 1973 e encerrou sua trajetória como atleta no ano seguinte. Mesmo já estando na reta final de sua carreira e tendo atuado por um período curto com a camisa do clube, ele foi capaz de entrar na lista de grandes ídolos do Fluminense.

Pinheiro

pinheiro 2
Divulgação/Fluminense
Divulgação/Fluminense

João Carlos Batista Pinheiro foi um dos melhores zagueiros que o torcedor do Fluminense já viu jogar com a camisa do clube. Conhecido pela sua determinação em campo e boa técnica, foi peça fundamental nos anos 1950.

Durante essa década, foi campeão do Torneio Rio-São Paulo duas vezes, em 1957 e 1960, e uma vez da Copa Rio em 1952, além de ter conquistado o Campeonato Carioca em 1951 e 1959. É até hoje o segundo jogador que mais vestiu a camisa do Flu, com 605 jogos, atrás apenas do goleiro Castilho.

Preguinho

Preguinho
Reprodução/Site Fluminense
Reprodução/Site Fluminense

Nascido em 8 de fevereiro de 1905, João Coelho Netto, o Preguinho, praticou oito modalidades esportivas pelo Fluminense ao longo de sua carreira de atleta. No futebol, o Tricolor foi seu único clube. Ele estreou nos gramados em 19 de abril de 1925 e, mesmo pós a profissionalização da modalidade em 1933, o atacante nunca quis ser remunerado para jogar pelo clube.

De 1925 a 1938, período em que ficou nas Laranjeiras, o ídolo marcou 128 vezes em 174 jogos, tornando-se um dos maiores artilheiros da história do clube. Ele também entrou para a história do futebol mundial ao marcar o primeiro gol da Seleção Brasileira em uma Copa do Mundo. O gol foi contra a Iugoslávia em 1930.

Gum

Fluminense v Nova Iguacu - Rio de Janeiro State Championship 2011
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images
Cristiano Andujar/Getty Images

Gum se tornou símbolo de raça e liderança nos nove anos em que defendeu o clube carioca. O zagueiro passou pelas Laranjeiras entre 2009 e 2018, período em que foi bicampeão brasileiro em 2010 e 2012, vencedor do Carioca de 2018 e da Primira Liga em 2016.

Fez um total de 414 jogos e marcou 29 gols antes de deixar o clube no final de 2018. Atualmente, o atleta defende o CRB, de Alagoas.

Thiago Silva

Brazil's Fluminense defender Thiago Silv
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images

O carioca Thiago Silva não foi apelidado de “Monstro” pela torcida tricolor à toa. Nos anos em que defendeu o clube, o zagueiro sempre mostrou muita raça, vigor e dedicação. Além disso, foi peça chave na conquista de um título inédito para o clube.

O defensor atuou com a camisa do Flu de 2006 a 2008. Sua passagem pelos profissionais teve início logo após ter contraído tuberculose enquanto jogava na Europa. Mas não faltou fôlego para ajudar o clube a conquistar a Copa do Brasil de 2007. O título inédito veio depois da vitória contra o Figueirense, por 1 a 0, no Estádio Orlando Scarpelli. Thiago Silva também fez parte do vice da Libertadores, em 2008, antes de deixar o Flu como grande ídolo da torcida para jogar no Milan.

Branco

Branco
Divulgação/Fluminense
Divulgação/Fluminense

Símbolo de garra, o lateral-esquerdo Branco também deixou sua marca na história do Fluminense. Afinal, ele foi fundamental na conquista do tricampeonato estadual de 1983-85 e do título do Campeonato Brasileiro de 1984. Sua saída foi confirmada em 1986, mas ele voltaria a vestir as cores do clube alguns anos depois.

Após atuar na Europa por sete temporadas, ele teve mais duas passagens pelo time carioca, onde encerrou a carreira em 1998. No total, o craque atuou em 157 jogos e marcou 13 gols pelo Flu. O ex-atleta também colocou em seu currículo conquistas importantes pela Seleção Brasileira. O gaúcho já era ídolo da torcida tricolor quando participou da campanha do tetra em 94.

Félix

felix
Reprodução
Reprodução

Calando muitos críticos, Félix se tornou um dos goleiros mais vitoriosos da história do futebol brasileiro e um dos grandes ídolos do Fluminense. O arqueiro chegou ao clube tricolor já aos 30 anos com uma certa desconfiança por parte do torcedor, mas logo mostrou seu valor.

Ele defendeu o Fluminense entre 1968 e 1976, quando se aposentou. Durante esse período, conquistou os títulos do Campeonato Carioca em 1969, 1971, 1973, 1975 e 1976, além de vencer o Torneio de Paris de 1976 e o Campeonato Brasileiro de 1970. Com a camisa da Seleção Brasileira, foi campeão com o lendário time que conquistou a Copa do Mundo de 1970 no México.

Renato Gaúcho

Brazilian Fluminense' s coach Renato Por
DANIEL GARCIA/AFP via Getty Images
RODRIGO BUENDIA/AFP via Getty Images

Renato Gaúcho é o maior ídolo da história do Grêmio e tem uma grande identificação com o Flamengo, mas também faz parte da lista dos grande jogadores que atuaram com a camisa do Fluminense. Com gols e títulos, ele conseguiu conquistar a admiração da torcida tricolor e hoje é considerado um ídolo do clube. Quem não lembra, por exemplo, do histórico gol de barriga contra o Flamengo na conquista do Campeonato Carioca de 1995?

Renato permaneceu apenas dois anos nas Laranjeiras, deixando o Fluminense em 1997. No entanto, ele retornou ao clube nos anos 2000 como treinador para reforçar seu status de ídolo. No comando do time, conquistou a Copa do Brasil (2007) e foi vice-campeão da Libertadores (2008).

Thiago Neves

Brazil's Fluminense midfielder Thiago Ne
JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

O meio-campista Thiago Neves também escreveu uma bela história no Fluminense. O atleta atuou com a camisa tricolor em duas oportunidades, entre 2007 e 2009 e, depois, no biênio 2012-2013.

Em sua primeira passagem, foi decisivo na final da Copa do Brasil de 2007. Já no seu retorno ao clube, teve grande participação na campanha vitoriosa do Campeonato Brasileiro de 2012. As grandes conquistas e a identificação com o clube o que colocaram na lista de maiores ídolos da torcida. Ao todo, foram 137 partidas disputadas e 40 gols marcados.