Os 23 Melhores Jogadores Da História do Palmeiras

Em mais de 100 anos de história, o Palmeiras já contou em seu elenco com centenas ou talvez até milhares de jogadores talentosos, mas nem todos se tornaram ídolos da torcida. Alguns são lembrados pelos palmeirenses até hoje, seja pelos títulos conquistados ou pela identificação com o clube.

Confira a seguir, alguns dos maiores nomes que já passaram pelo Verdão e veja se você concorda com nossa seleção de craques que marcaram a história do clube.

Ademir da Guia

ademir-da-guia Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras

Ademir da Guia é considerado o maior jogador da história do Palmeiras por tudo o que fez em campo. Durante sua trajetória com a camisa alviverde, ele colecionou títulos, gols e recordes. Com 155 gols, “Divino” é até hoje o terceiro maior artilheiro da história do clube, atrás apenas de Heitor (317) e César Maluco (182). É também o jogador que mais partidas disputou na história do clube (902).

Filho do ex-zagueiro Domingos da Guia, ele chegou ao Palmeiras em 1962 e foi o maestro do meio-campo do Palmeiras nas décadas de 60 e 70. Ele permaneceu no clube durante 15 anos, aposentando-se em 1977. Durante as 16 temporadas em que atuou no time paulista, ele ajudou o clube a conquistar títulos importantes do Campeonato Paulista (1963, 1966, 1972, 1974 e 1976), do Torneio Rio-São Paulo (1965), do Campeonato Brasileiro (1972 e 1973), da Taça Brasil (1967 e 1969) e do Roberto Gomes Pedrosa (1967).

Luís Pereira

luis-pereira Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras

Luís Pereira é o maior zagueiro da história do Palmeiras e um dos grandes ídolos da torcida. Dentro de campo, ele se destacava pelo desarme e pela boa técnica na saída de bola. Também tinha como característica marcar gols.

Sua primeira passagem pelo clube começou em 1968 e durou até 1975, período em que atuou em 346 jogos, marcou 19 gols e conquistou o Campeonato Brasileiro (1969, 1972 e 1973) e o Campeonato Paulista (1972 e 1974). O defensor retornou ao Palmeiras em 1981 e permaneceu até 1984. Nessa época, atuou em mais 230 partidas e balançou as redes 17 vezes. É atualmente o sexto jogador que mais vestiu a camisa do Palmeiras em toda a história. À frente dele estão apenas Ademir da Guia (901), Leão (617), Dudu (609), Waldemar Fiúme (601) e Valdemar Carabina (584).

Marcos

Portuguesa v Palmeiras - Sao Paulo State Championship 2011
Joao Castellano/LatinContent via Getty Images
Joao Castellano/LatinContent via Getty Images

Excelentes goleiros já passaram pelo Palmeiras e acabaram se tornando ídolos da torcida. No entanto, o arqueiro que teve uma trajetória mais marcante é sem dúvidas Marcos. O eterno camisa 12 palmeirense é o símbolo do primeiro título da Libertadores do clube, conquistado em 1999. Marcos chegou no verdão em 1993, mas demorou para conquistar a titularidade, pois na época Velloso era um nome incontestável. Ele só se tornou a primeira escolha em 1999, justamente no ano da conquista do principal torneio sul-americano.

Ele também tem o coração da torcida por conta de sua lealdade. Ele jogou a carreira inteira no clube. Mesmo estando no auge, não abandonou o time na Série B de 2003. O “São Marcos” ficou no clube até 2012, quando se aposentou. No total, foram 19 anos vestindo a camisa alviverde, jogando em 533 oportunidades. Ele é o sétimo jogador com mais atuações pelo Palmeiras.

Dudu

dudu
Divulgação/Site Oficial Palmeiras
Reprodução/Gazeta Press

Olegário Tolói de Oliveira, também conhecido como Dudu, é considerado por muitos fanáticos por futebol o maior volante da história do Palmeiras. Não à toa ele ganhou do clube um busto em novembro de 2016, entrando para um seleto grupo de ídolos palmeirenses que ficarão eternizados no clube.

Craque do Verdão nas décadas de 1960 e 1970, Dudu atuou em 615 partidas. Ele é o quarto jogador com maior número de partidas pelo clube. Além disso, participou diretamente de grandes conquistas, como: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967 e 1969), Taça Brasil (1967), Campeonato Brasileiro (1972 e 1973), Torneio Rio-São Paulo (1965) e Campeonato Paulista (1966, 1972 e 1974).

Julinho Botelho

Julinho Botelho
Reprodução/Site Oficial Palmeiras
Reprodução/Site Oficial Palmeiras

Ponta-direita habilidoso e artilheiro, Julinho Botelho também está no topo da lista de maiores jogadores da história do Palmeiras. Ele começou sua trajetória no clube em 1958 e, ao todo, atuou durante nove anos com a camisa alviverde, de 1958 até 1967. Foram 269 embates e 81 gols marcados. Julinho Botelho participou de grandes conquistas do Palmeiras, como Campeonato Paulista (1959 e 1963), Campeonato Brasileiro (1960) e Taça Rio-São Paulo (1965). Julinho Botelho faleceu aos 73 anos, vítima de problemas cardíacos, no dia 11 de janeiro de 2003.

Evair

SOC-LIBERTADORES-PALMEIRAS-EVAIR
AFP via Getty Images
AFP via Getty Images

O centroavante Evair Aparecido Paulino, ou apenas Evair, também é dos melhores jogadores de todos os tempos da história do Palmeiras. O atleta chegou ao clube em 1991 e, durante a sua primeira passagem, ajudou o Palmeiras a sair da fila de títulos nacionais que já durava 20 anos. Nesse período, participou de 180 jogos, marcou 102 gols e conquistou o Campeonato Paulista (1993 e 1994), o Torneio Rio-São Paulo (1993) e o Campeonato Brasileiro (1993 e 1994)

Depois de deixar o clube no ano de 1994, o “matador” alviverde retornou em 1999, quando fez parte do grupo que levantou a taça da Copa Libertadores. Ele marcou, inclusive, um dos gols do seu time na final da competição. No total, em sua segunda passagem, ele atuou em 65 partidas e marcou 24 gols.

Djalma Santos

Soccer - England V Rest of the World (FIFA) - Wembley
PA Images via Getty Images
PA Images via Getty Images

Considerado por muitos fanáticos por futebol o maior lateral-direito já revelado no Brasil, Djalma Santos faz parte da lista de jogadores inesquecíveis da história do Palmeiras. Durante os dez anos em que jogou pelo Verdão, o craque entrou em campo em 502 jogos, somando 300 vitórias, 105 empates, 97 derrotas e dez gols.

Foi no Palmeiras que venceu o maior número de títulos da sua carreira de jogador profissional: o Campeonato Paulista em 1959, 1963 e 1966; os Campeonatos Brasileiros de 1960, 1967 (Robertão) e 1967 (Taça Brasil). Venceu também o Torneio Rio-São Paulo em 1965. Além de construir uma trajetória vitoriosa no clube paulista, ele disputou quatro Copas do Mundo (1954, 58, 62 e 66). Infelizmente, Djalma Santos faleceu em 2013, aos 84 anos, por conta de uma parada cardiorrespiratória.

Jair Rosa Pinto

Jair Rosa Pinto
Divulgação/Site Oficial Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras

Destaque nas décadas de 1940 e 1950, Jair Rosa Pinto também é considerado um dos melhores jogadores da história do futebol brasileiro. Meio-campista clássico, ele foi o camisa 10 da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1950. Na época de sua convocação para o torneio mundial, ele defendia o Palmeiras.

O meia chegou em 1949 no Verdão e lá permaneceu até o ano de 1955. Durante o período em que atuou pela equipe paulista, ele atuou em 248 jogos e marcou 74 gols, tendo conquistado a Copa Rio (1951), Campeonato Paulista (1950) e a Taça Rio-São Paulo (1951). Jair faleceu em 28 de julho de 2005, aos 84 anos, vítima de embolia pulmonar.

Dudu

Eduardo Pereira Rodrigues scored during the match between...
Thiago Bernardes/Pacific Press/LightRocket via Getty Images
Thiago Bernardes/Pacific Press/LightRocket via Getty Images

Eduardo Pereira Rodrigues, mais conhecido como Dudu, é um dos grandes jogadores que atuaram nos últimos anos com a camisa do clube. Na verdade, muitos o consideram a marca do novo Palmeiras. O jogador chegou ao clube em 2015 e logo no seu primeiro ano comandou o time para o título da Copa do Brasil. Ele também foi fundamental na conquista do Campeonato Brasileiros de 2016 e 2018.

Em 2020, depois de participar da conquista do Campeonato Paulista, Dudu foi emprestado ao clube Al-Duhail, do Catar. No total, ele atuou em 305 jogos e marcou 70 gols com a camisa alviverde.

Oberdan Cattani

Oberdan Cattani palmeiras
Reprodução/Site Oficial Palmeiras
Reprodução/Site Oficial Palmeiras

Considerado o maior goleiro da década de 1940, Oberdan Cattani está entre os grandes jogadores que fizeram história no clube. Por tudo que fez em campo com a camisa do Palmeiras, ele ganhou como homenagem um busto de bronze na sede social do clube, algo que apenas Ademir da Guia, Dudu, “São Marcos”, Waldemar Fiume e Junqueira conquistaram até hoje.

O ídolo palmeirense foi apresentado em 1940, quando a instituição ainda chamava Palestra Itália. Pela equipe paulista, o goleiro atuou durante 14 anos. No total, ele entrou em campo em 351 jogos, somando 207 vitórias, 76 empates e 68 derrotas. Entre os principais títulos conquistados estão quatro edições do Campeonato Paulista (1942, 1944, 1947 e 1950), o Torneio Rio São Paulo (1951) e a Copa Rio(1951). O craque morreu em 20 de junho de 2014, em São Paulo.

Alex

Portuguesa v Palmeiras
Allsport UK/ALLSPORT/via Getty Images
Allsport UK/ALLSPORT/via Getty Images

Nascido em 14 de setembro de 1977, Alex é considerado um dos jogadores mais talentosos de sua geração. Durante sua carreira, ele se destacou por sua técnica, jogadas inteligentes e finalizações precisas.

No Palmeiras, ele brilhou entre 1997 e 2002, tendo entrado para história do clube por conta de conquistas importantes. No total, disputou 243 (121 vitórias, 65 empates e 57 derrotas) e foi peça fundamental para o clube levantar as taças da Copa do Brasil de 1998, da Copa Mercosul de 1998 e da Copa Libertadores de 1999. Alex também é ídolo do Coritiba, Cruzeiro e Fenerbahçe, clube onde o jogador possui uma estátua.

Arce

Palmeiras v Sao Caetano X
Mandatory Credit: Allsport UK/ALLSPORT/Via Getty Images
Mandatory Credit: Allsport UK/ALLSPORT/Via Getty Images

O paraguaio Chiqui Arce foi fundamental nos títulos conquistados pelo Palmeiras no final da década de 90. O atleta chegou ao clube no final de 1997, vindo do Grêmio, junto com o técnico Luiz Felipe Scolari. De 1998 a 2002, o lateral direito conquistou com a camisa do Verdão os seguintes títulos: Copa do Brasil de 1998, Copa Mercosul de 1998, Copa Libertadores de 1999, Torneio Rio-São Paulo de 2000 e Copa dos Campeões de 2000.

Além disso, é o atleta estrangeiro que mais entrou em campo pelo clube paulista, ao lado do chileno Valdivia, e o segundo que mais fez gols, atrás apenas do argentino Echevarrieta.

César Sampaio

Soccer - Toyota Intercontinental Cup - Manchester United v Palmeiras - Tokyo
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

Bicampeão brasileiro, paulista e campeão da Libertadores pelo Palmeiras, César Sampaio é também um dos grandes ídolos do torcedor alviverde e um dos maiores craques que já passaram pelo clube. Em sua primeira passagem, tirou o Palmeiras do jejum de títulos, conquistando o Campeonato Brasileiro de 1993 e 1994. Depois, voltou e foi campeão da Libertadores como capitão do time alviverde.

Ele também conquistou o Campeonato Paulista em 1993 e 1994 e Torneio Rio-São Paulo em 1993 e 2000. No total, César Sampaio atuou em 307 jogos com a camisa alviverde, com 175 vitórias e 25 gols marcados. Já como dirigente, César Sampaio foi importante na campanha vitoriosa do Palmeiras na Copa do Brasil de 2012.

Clébão

South American Soccer - Copa Mercosur - Group A - River Plate v Palmeiras
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

O “xerifão” Cléber não está nesta lista à toa. Muito forte fisicamente e com uma técnica apurada para a sua posição, ele participou de praticamente todas conquistas importantes do Palmeiras na década de 90. De 1993 a 1999, ele foi campeão nacional duas vezes e campeão da Libertadores e ainda entrou para história como quarto zagueiro que mais balançou as redes adversárias, com 21 gols. Ele também conquistou o Campeonato Paulista em 1994 e 1996, a Copa do Brasil em 1998 e a Copa Mercosul em 1998.

Júnior

south-american-soccer-copa-mercosur-group-a-river-plate-v-palmeiras.-11031
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

O lateral esquerdo Júnior chegou ao Palmeiras em 1996, aos 22 anos, para ser o substituto de Roberto Carlos, recém negociado com a Inter de Milão-ITA. Chegou ao Parque Antártica conquistando, além da titularidade, o Campeonato Paulista de 1996. Ele também brilhou na conquista da Copa Libertadores de 1999. Em cinco temporadas, ele ainda conquistou a Copa do Brasil de 1998; Copa Mercosul de 1998; Torneio Rio-São Paulo de 2000. Por conta das grandes atuações e títulos conquistou, Júnior se tornou um dos grandes ídolos do clube.

Leão

The Brazilian coach of Qatar's Al-Sadd C
KARIM JAAFAR/AFP via Getty Images
KARIM JAAFAR/AFP via Getty Images

Nascido em 11 de julho de 1949, Emerson Leão é um dos grandes ídolos do Palmeiras e um dos maiores goleiros da história do futebol mundial. Como atleta, ele teve duas passagens pelo Verdão: uma entre 1969 e 1978 e outra de 1984 a 1986. No total, ele participou de 621 jogos, somando 328 vitórias, 189 empates e 104 derrotas.

Ele é o segundo atleta que mais atuou pelo Alviverde, ficando atrás apenas do maior ídolo do clube, Ademir da Guia, que atuou em 902 partidas. Em relação aos títulos conquistados, Leão foi tricampeão brasileiro em 1969, 1972 e 1973, além de tricampeão paulista em 1972, 1974 e 1976. Tornou-se treinador logo que encerrou a carreira de atleta, no ano de 1987. Ele comandou o Palmeiras em 1989 e nas temporadas de 2005 e 2006.

Edmundo

Edmundo (#7-L) of Palmeiras, fights for
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images
Neal Simpson/EMPICS via Getty Images

Uma figura controversa do mundo do futebol, Edmundo foi um dos destaques do clube nos anos 90 e é considerado um ídolo por muitos torcedores do Verdão. O “Animal”, como foi apelidado, conquistou em sua primeira passagem pelo clube títulos do Campeonato Paulista (1993 e 1994) e do Campeonato Brasileiro (1993 e 1994), sempre como destaque. Ele retornou ao Verdão em 2006, quando teve boas atuações, mas não conseguiu ser campeão novamente.

Roberto Carlos

Roberto Carlos, Palmeiras
Neal Simpson/EMPICS via Getty Images
Neal Simpson/EMPICS via Getty Images

Mais um destaque da “Era Parmalat”! Conhecido por seu forte chute de canhota, o lateral esquerdo Roberto Carlos jogou com a camisa do Palmeiras de 1993 a 1995, sendo um dos destaques do bicampeonato brasileiro (1993 e 1994) e dos estaduais de 1993 e 1994. Foram 185 jogos disputados em três temporadas, com 113 vitórias, 43 empates, 29 derrotas e 17 gols. Após a derrota na final do Paulista de 1995 para o Corinthians, Roberto Carlos se transferiu para a Inter de Milão, clube da Itália.

Paulo Nunes

SOC-ARGENTINA-BRAZIL
DANIEL LUNA/AFP via Getty Images
DANIEL LUNA/AFP via Getty Images

Atacante rápido e driblador, Paulo Nunes chegou ao clube por indicação do técnico Luiz Felipe Scolari, com que havia trabalhado no Grêmio antes. No Verdão, ele foi fundamental nas conquistas do final da década de 90.

Ele atuou no clube de 1998 a 1999, época em que o clube conquistou uma Copa do Brasil, uma Copa Mercosul e uma Copa Libertadores da América. No total, foram 133 jogos, com 73 vitórias, 30 empates e 30 derrotas.

Zinho

SOC-MERCOSUR CUP-PALMEIRAS-CELEBRATION 3
MARIE HIPPENMEYER/AFP via Getty Images
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

Grande ídolo da torcida palmeirense, Zinho foi um dos heróis das conquistas do Paulistão de 1993, quando marcou o primeiro gol da vitória por 4 a 0 sobre o Corinthians na final, e da Libertadores de 1999. No total, ele teve três passagens pelo clube: de 1992 a 1994, de 1997 a 1999 e de 2002 a 2003. Foram 333 jogos (184 vitórias, 74 empates e 75 derrotas) e diversos títulos. Além dos citados, ele também conquistou o Paulista de 1994, o Campeonato Brasileiro em 1993 e 1994, a Copa do Brasil de 1998 e a Copa Mercosul de 1998.

Galeano

Jo Havelange Cup
Allsport UK/ALLSPORT/Via Getty Images
Allsport UK/ALLSPORT/Via Getty Images

Formado no Palmeiras, Marcos Aurélio Galeano se tornou ídolo da torcida principalmente por conta do seu estilo raçudo e por conta do gol decisivo marcado contra o Corinthians na segunda semifinal da Libertadores do ano 2000. De cabeça, Galeano anotou o gol da vitória por 3 a 2 sobre o rival, no Estádio do Morumbi, ajudando o time a se classificar para a decisão contra o Boca Juniors.

Saudado como “Guerreiro” pela torcida, o volante conquistou Campeonato Paulista 1996, Copa do Brasil 1998, Copa Mercosul em 1998, Copa Libertadores 1999 e Torneio Rio-São Paulo 2000.

Fernando Prass

Palmeiras v Atletico Tucuman - Copa Bridgestone Libertadores 2017
Alexandre Schneider/Getty Images
Alexandre Schneider/Getty Images

O goleiro Fernando Prass foi contratado pelo Palmeiras em dezembro de 2012, após uma boa passagem pelo Vasco. O arqueiro logo caiu nas graças da torcida palmeirense e se tornou um símbolo da reconstrução alviverde após a queda para a segunda divisão nacional. Foram 274 atuações pelo clube ao longo de sete temporadas. Prass conquistou títulos importantes como Copa do Brasil (2015) e Campeonato Brasileiro (2016 e 2018). No início de 2021, ele se despediu dos gramados e foi homenageado pelo clube.

Rivaldo

rivaldo palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras
Divulgação/Site Oficial Palmeiras

Vindo do Corinthians, o meia-atacante Rivaldo jogou no Palmeiras de 1994 a 1996. No Verdão, ele conseguiu superar a rivalidade entre os times e se tornou ídolo do torcedor palmeirense, principalmente após a conquista do Campeonato Brasileiro de 1994. Além disso, foi um dos destaques na campanha do título paulista de 1996. Posteriormente, o atleta foi negociado com o Deportivo La Coruña-ESP e depois foi comprado pelo Barcelona, da Espanha, onde foi eleito o melhor jogador do mundo em 1999.