Jogadores Que Defendem Outro País Na Copa Do Mundo da Rússia

A Copa do Mundo 2018 tem algumas seleções que contam com legiões de “estrangeiros”. Dos 736 jogadores inscritos na competição deste ano, 80 vão defender seleções que não são a da terra onde nasceram. É mais de 10%!

Apenas dez das 32 seleções que se classificaram para a Copa contam só com atletas nascidos dentro do seu território: Brasil, Alemanha, Colômbia, Coreia do Sul, Inglaterra, México, Panamá, Peru, Suécia e Uruguai. Confira quem são esses jogadores vira-casacas!

Qual a regra?

Foto: Mladen ANTONOV / AFP/Getty Images
Foto: Mladen ANTONOV / AFP/Getty Images

Nas últimas décadas, a Fifa ajustou a regra e fez com que só fosse possível defender uma seleção principal em jogos oficiais durante a carreira. Isso impede distorções como aconteceu com o ítalo-brasileiro Mazzola, que foi campeão pelo Brasil em 1958 e depois jogou pela Itália em 1962. Outro detalhe: jogadores sem conexão de sangue com um país só podem passar a representá-lo caso tenham vivido ou jogado no local por cinco anos, caso de Mário Fernandes.