Jogadores De Futebol Que Se Aposentaram Por Causa De Lesões

A demanda física que o jogador de futebol passa ao longo de sua carreira é tão grande que nem todos podem suportar. Seja devido à fisionomia natural no nascimento ou por exercícios prejudiciais no treinamento, alguns jogadores não têm o físico adequado para o futebol.

Na maioria dos casos, esses ferimentos ou contusões são repostos em questão de dias ou até meses, se forem realmente sérios. Embora existam outros episódios em que essas lesões marcam o fim da carreira esportiva do jogador, eles conhecem esses casos.

Aquele maldito joelho

ronaldo-nazario-injures-his-knee-during-match
Foto: Denis Doyle/Getty Images
Foto: Denis Doyle/Getty Images

Um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos foi o atacante Ronaldo Nazário. O brasileiro poderia resolver qualquer jogada pessoal, em grupo ou de empate para marcar um gol. O que o ex-Barcelona e o Real Madrid não conseguiram superar foram as diferentes lesões no joelho. Como também o hipotireoidismo que o fez ganhar muito peso.

Tarzan não podia

carles-puyol-injures-ankle-during-training
Foto: JOSE JORDAN/AFP/Getty Images
Foto: JOSE JORDAN/AFP/Getty Images

Mais recentemente no passado, o ex-zagueiro do Barcelona Carles Puyol, sem dúvida, foi um dos bastiões que fizeram desta instituição uma das maiores do mundo. Sua maneira agressiva de jogar o levou a adquirir 36 lesões ao longo de sua carreira. Foi um golpe no calcanhar de Aquiles que marcou sua aposentadoria depois de incluir várias cirurgias no joelho.

As três não foram suficentes

marquez-lugo-during-match
Foto: Refugio Ruiz/LatinContent/Getty Images
Foto: Refugio Ruiz/LatinContent/Getty Images

Três operações devem ter sido realizadas pelo atacante Rafael Márquez Lugo em seu joelho e ainda assim estas não bastaram para resolver o problema que lhe afetava. Com apenas 33 anos, a intervenção de meniscos que se realizou não pôde solucionar a lesão e continuou sentindo dor ao re-integrar-se aos treinamentos. Por isso, só lhe restava aposentar-se.

Estrela da decepção

A chegada de Ricardo Kaka ao Real Madrid em 2009 por 65 milhões de euros de Milão significou uma das maiores ilusões dos torcedores do Merengue. Tão igualmente imenso foi o desapontamento de vê-lo arrastar uma lesão na virilha que não lhe permitia oferecer seu melhor futebol. Então, o brasileiro voltou ao rossonero.

Outra desesperança

As ilusões geradas por Alberto Onofre em face da Copa do Mundo no México em 1970 foram justamente essas mas não era a realidade, porque no último treinamento antes da competição, ocorreu a infelicidade. O meia quebrou a tíbia e a fíbula e não só não participou da Copa do Mundo, mas também se retirou.

Adeus a uma rachadura

Eduardo Gonçalvez de Andrade, aliás Toasto, foi um dos grandes jogadores de futebol que jogou pelo solo brasileiro. Ele foi campeão do mundo com a canarinha no México em 1970 e alguns anos depois ele teve que deixar a prática de futebol por causa de uma bola que causou um descolamento da retina do olho. Incomum.

A transferência que mudou seu físico

A transformação que Fernando Redondo sofreu ao deixar o Real Madrid era incomum. Ele passou de ser um dos melhores volantes esquerda no planeta do futebol para sofrer ferimentos constantes após a sua passagem para Milão. O contrato de quatro anos que ele tinha assinado pouco significava quando seu joelho começou a falhar. Ele só jogou 16 jogos com o rossonero e se aposentou.

Copa do Mundo e Eurocopa

riccardo-montolivo-injury-during-friendly-match-against-ireland
Foto: Claudio Villa/Getty Images
Foto: Claudio Villa/Getty Images

Dois dos eventos mais importantes que você pode jogar no nível do clube são a Copa do Mundo e o Torneio Continental, e estes dois não puderam ser vistos por Riccardo Montolivo por lesão. O italiano quebrou a tíbia e a fíbula em Milão, na Itália, e perdeu o torneio brasileiro 2014.

Deu caminho para outra carreira

Assim como o infortúnio da carreira de Ignacio Trellesprovocó como treinador, a fratura de tíbia e fíbula de Francisco Ramirez fez dele o assistente na equipe mexicana de Sven Goran Eriksson. Sua vida dentro do campo de jogo terminou em 1998, quando ele representava a Cruz Azul.

Promessa descarrilhada

O mexicano Sergio Avila começou no futebol no ano de 2005. Suas performances no Desportivo Guadalajara fizeram soar como uma das promessas do tri, mas uma lesão em 2011 encerrou sua carreira. Um ano depois e após a cirurgia, ele não era “apto para a alta competição” de acordo com o médico Rafael Ortega, e disse adeus.

Ponto final

Quem é atualmente o mais bem sucedido diretor técnico mexicano da história, foi em algum momento um futebolista abatido por ferimentos. Ignácio Trelles passou sua vida ordinária como jogador até o goleiro do Necaxa, Ángel El Peluques León dar-lhe uma entrada difícil, que quebrou a tíbia e a fíbula, terminando sua carreira.

O rompe-redes quebrou o tornozelo

A capacidade de pontuação que Gabriel Omar Batistuta possuiu é inegável, assim como a provação que ele teve que atravessar uma vez substituído por causa de seu desconforto freqüente nos tornozelos. As dores em suas articulações o fizeram pensar que a única solução para isso seria amputá-los para se livrar de seu sofrimento.

Ele cortou a corrida

É Giuseppe Rossi que representa a seleção da Itália e que também vê a sua carreira indo abaixo em 2011. Durante sua estada em Villarreal, na Espanha, quebrou o ligamento cruzado anterior do joelho e ficou dois anos fora dos campos. Em 2014 ele retomou o seu nível, mas uma nova lesão levou-o de volta para a reserva. Incrível.

Lesão e depressão

O que não é muitas vezes levado em conta depois de uma lesão de futebol é o aspecto psicológico de perceber que ela pode acabar com sua carreira. Isso aconteceu com Sebastián Deisler, que foi considerado uma promessa do futebol alemão, mas teve que sair aos 27 anos de idade. Havia cinco cirurgias no joelho e horas e horas com psiquiatras e terapia para neutralizar a depressão profunda que viveu pós futebol.

Ferimento de futebol?

Ao longo dos anos, ainda não conseguiu determinar se o infarto cerebral sofrido por Carlos Sánchez durante o treinamento no México foi por causa da mesma prática ou um fato isolado. A coisa concreta é que o ferimento em sua cabeça se retirou e provocou uma batalha legal do jogador contra o clube.

Ele deixou o futebol e se juntou à música

A maior seleção em si é mais relevante do que a grande maioria das equipes, mas não suas categorias menores. Foi em uma delas – sub 21 – em que Álvaro Benito, do nível de Raúl González e Guti, sofreu uma lesão no joelho que nunca superou. A vida surpreendeu-o e o separou, dedicando-se à música onde ele é um amante do gênero punk.

Um dos primeiros casos?

Estes jogadores que são atormentados pelas lesões são chamados de jogadores de vidro por causa de sua facilidade para quebrar. Um dos primeiros casos desses, foi Robert Prosinecki, um jovem Iugoslavo que foi comprado pelo Madrid em 1991 e só jogou 3 jogos em sua primeira temporada. Os problemas musculares que ele sentiu acabaram com a sua promoção no futebol.

Clube diferente, o mesmo problema

A assinatura do contrato de Thomas Vermaelen por parte do Barcelona causou uma comoção em todo o mundo do futebol. É que o defensor veio de um longo período de inatividade no Arsenal da Inglaterra por conta das lesões, e o clube Catalão ignorou e decidiu contratá-lo. Em 2014 e mesmo no final de 2017, ele disputou apenas alguns minutos.

Seu jogo foi apaziguado

Às vezes, uma lesão não marca a saída abrupta dos campos de jogo, mas eventualmente atinge o objetivo menos desejado pelos jogadores de futebol. Aconteceu com Vicente Rodríguez, ex-jogador do Levante e Valencia. Uma entrada no tornozelo o deixou sentido e seu desempenho entrou em declínio de temporada a temporada. Quando ele chegou na segunda divisão inglesa, ele jogou a toalha.

Problemas cardíacos

O caso de Rubén de la Red é um fato emblemático de jogadores de futebol que viram sua trajetória ser frustrada por uma lesão. O meio-campista tinha sido uma das promessas da pedreira do Real Madrid, mas seu trabalho chegou ao fim em 2008 quando ele descobriu um problema no coração. Este mesmo desmoronou em um campo de jogo em outubro daquele ano por causa de uma síncope.