Grandes Atletas Canhotos Que Prevaleceram

Eles enfrentam vários percalços no caminho como a tesoura que não encaixa, a xícara fica ao contrário, o mouse na direita, abridor de latas é uma missão impossível… ,mas eles se adaptaram e ganharam até o dia 13 de agosto, o Dia do Canhoto, afinal, são 10% da população embora não consigam nem segurar uma caneta com a mão direita.

E para mostrar que isso não impede ninguém de prevalecer, confira nossa lista com alguns dos maiores atletas sinistros.

Gérson

gerson70-full_crop_galeria
Reprodução/SãoPauloFC
Reprodução/SãoPauloFC

Como não começar com aquele que ficou conhecido como o “Canhotinha de Ouro”? Gérson de Oliveira Nunes, mais conhecido como apenas Gérson que é fluminense de Niterói, nasceu em 1941 e atuava como meio-campista. Jogou em diversos clubes brasileiros de futebol, tendo passagem destacada no Flamengo, no Botafogo, no São Paulo e no Fluminense. É considerado um dos grandes jogadores da história do futebol e foi um dos líderes da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo de 1970.

Rivelino

rivelino
Equipe Getty Images Europe
Equipe Getty Images Europe

Já que estamos falando da seleção de 70, vamos logo mandar a “Patada Atômica” de Roberto Rivellino, canhoto que atuava como meia e ponta-esquerda.

Jogou de meados da década de 1960 ao fim da década de 1970 pelo Corinthians e pelo Fluminense. Ídolo tanto do Corinthians, quanto do Fluminense, em 2002 o Fluminense inaugurou placa no Estádio de Laranjeiras e o Timão fez um busto em 2014 no Parque São Jorge para homenageá-lo. Diego Maradona, em várias entrevistas, o considerou o melhor jogador que viu jogar.

Tostão

tostao
Reprodução/Youtube
Reprodução/Youtube

Como deixar de lado a seleção que encantou o mundo e de quebra ainda faturou o tri campeonato mundial?

Quando moleque, Eduardo Gonçalves de Andrade era o mais mirrado e o mais novo de seu time, por isso ganhou o apelido de Tostão (a moeda já era bem desvalorizada na época) e foi escolhido para jogar na ponta-esquerda, onde se especializou em chutar exclusivamente com a canhota. Um acidente aos 6 anos com uma das unhas do pé direito, impedia Tostão de chutar com o pé destro. O trauma foi superado somente 13 anos mais tarde na Seleção Brasileira onde o preparador o fez treinar diariamente 200 chutes com a direita.

Martina Navratilova

martina
Dan Istitene/Getty Images
Dan Istitene/Getty Images

Dando uma volta pela “gringolândia” nos lembramos da norte-americana, que nasceu em Praga, mas venceu seus 18 títulos de Grand Slam em simples, 31 nas duplas e 10 nas duplas mistas defendendo sempre os Estados Unidos, país que adotou como lar. É motivo de orgulho para os 10% da população mundial que usam a mão esquerda, abandonou oficialmente o circuito em novembro de 1994, aos 38 anos, como a mais vencedora e premiada jogadora de tênis de todos os tempos.

Diego Maradona

maradona
Hector Vivas/Getty Images
Hector Vivas/Getty Images

Para os argentinos, o melhor do mundo. Para o resto do mundo, Diego Maradona foi um ótimo jogador que estragou sua carreira com decisões equivocadas. Pois ele é tão canhoto que até mesmo La Mano de Dios é canhota. Foi com a mão esquerda que Maradona entrou para a história do futebol, pois usou a mão que usou para ludibriar a arbitragem e vencer a Inglaterra na Copa do Mundo de 1986. Mas sejamos justos: usando os pés, fazia mágica com a canhota.

Ayrton Senna

Ayrton Senna
Pascal Rondeau/Getty Images
Pascal Rondeau/Getty Images

Ayrton Senna da Silva, paulista de 1960, foi um piloto brasileiro, três vezes campeão mundial de Fórmula 1, nos anos de 1988, 1990 e 1991. Foi também vice-campeão no controverso campeonato de 1989 e em 1993. Sua morte, assim como o funeral e velório, provocou uma das maiores comoções da história do Brasil, bem como repercussão mundial. Em 2012, foi eleito pela rede BBC o melhor piloto de todos os tempos. Em 1999, foi eleito pela revista Isto É, o esportista do século XX no Brasil e talvez seja um dos canhotos mais famosos do Brasil e do mundo.

Zagallo

zagallo
Clive Mason/Getty Images
Clive Mason/Getty Images

Não resistimos e voltamos à seleção do tri com o super canhoto Mário Jorge Lobo Zagallo, que nasceu em Atalaia em 1931 e atuava como ponta-esquerda, claro.

Ele detém o recorde de títulos das Copas do Mundo em geral. Já vitorioso como jogador em 1958 e 1962, ganhou a competição como treinador em 1970 (sendo, até hoje, uma das 3 únicas pessoas a conquistarem a Copa como jogador e como treinador) e depois como assistente técnico em 1994, totalizando quatro conquistas em três funções diferentes. Zagallo ainda treinou o Brasil em 1974 e 1998 (durante o último, obteve um vice-campeonato) e foi assistente técnico em 2006. Foram cinco finais em sete participações nas Copas do Mundo.

Rafael Nadal

nadal
Minas Panagiotakis/Getty Images
Minas Panagiotakis/Getty Images

Dizem que enfrentar tenistas canhotos é sempre uma dificuldade extra. Agora imagine quando o canhoto em questão é Rafael Nadal. No caso do espanhol, podemos dizer que ele é um canhoto pero no mucho. De acordo com o tio e ex-treinador dele, Toni Nadal, o tenista não consegue fazer nada com a mão esquerda a não ser jogar tênis. O tio chegou a ser acusado de forçar Nadal a jogar com a esquerda, pois sabia de antemão que isso lhe traria vantagens.

Adriano Imperador

adriano
Elisabetta Villa/WireImage for Belstaff
Elisabetta Villa/WireImage for Belstaff

Adriano Leite Ribeiro, mais conhecido como Adriano Imperador é canhoto e atuava como atacante.

Grande centroavante conhecido por seus chutes potentes, a carreira de Adriano foi marcada pela inconsistência. Um dos melhores atacantes do mundo em meados dos anos 2000, ele teve cinco temporadas magníficas na Itália com as camisas do Parma e da Inter de Milão, respectivamente, ganhando o apelido de L’Imperatore (o Imperador), antes de um declínio profissional devido a morte de seu pai. Adriano ganhou quatro Scudettos pela Inter de Milão, e depois de retornar ao Brasil, ganhou dois Brasileirões: um pelo Flamengo e outro pelo Corinthians.

Conor McGregor

Conor McGregor
Ronald Martinez/Getty Images
Ronald Martinez/Getty Images

Ele é irlandês, polêmico, é falastrão e também é canhoto. É conhecido pelas provocações que faz aos seus oponentes e estilo extravagante. O lutador mais rentável do UFC nos últimos anos abalou as estruturas do MMA com a mão esquerda. Foi ela que num triste dia para nós, torcedores brasileiros, acertou em cheio o queixo de José Aldo e se transformou em campeão dos penas. Uma curiosidade sobre McGregor é a previsão que faz de como irá acabar suas lutas, que na maioria das vezes se concretizam.

Marta

marta
Reprodução/Wikipedia
Reprodução/Wikipedia

Nada como ser a melhor jogadora do mundo por seis anos, sendo cinco consecutivos, tendo nascido no país do futebol. Um recorde não apenas entre mulheres mas também entre homens. Nossa craque Marta é mais uma que alimenta a máxima de que ser canhoto no futebol te aproxima de ser craque.

Desde 2015 é a maior artilheira da história da Seleção Brasileira com 118 gols.e é a maior artilheira da Copa do Mundo de Futebol Feminino e também a pessoa com o maior número de gols em Copas do Mundo. Além disso, é a primeira (e até hoje única) pessoa a marcar em cinco edições diferentes do torneio (tudo isso considerando homens e mulheres)

Gabriel Medina

Rip Curl Pro Bells Beach - WSL Championship Tour 2019
Kelly Cestari/World Surf League via Getty Images
Kelly Cestari/World Surf League via Getty Images

Cansamos de falar sobre canhotos bem sucedidos em terra e passamos agora para o mar. Surfistas canhotos de sucesso são raros, mas Gabriel Medina Pinto Ferreira surfa na posição goofy, quando o pé esquerdo é posicionado na parte de trás da prancha.

Gabriel é bi-campeão mundial de surf da ASP World Tour de 2014 e 2018, sendo o primeiro brasileiro a vencer um mundial de Surf. Ele também é o mais jovem brasileiro a ingressar no seleto ASP World Tour (WCT).

Lionel Messi

Lionel Messi
Jose Breton/NurPhoto via Getty Images
Jose Breton/NurPhoto via Getty Images

Camisa 10, canhoto, argentino, não é Maradona. Cinco vezes melhor jogador do mundo, Lionel Andrés Messi Cuccittini é de Rosário e atua como ponta-direita ou atacante. Atualmente defende o Barcelona e a Seleção Argentina, onde é capitão por ambas.

Na opinião da grande maioria dos especialistas do esporte, sua qualidade técnica, jogadas, velocidade, habilidade na perna esquerda, trabalho de equipe e extraordinária vocação para o gol, o tornam um dos melhores futebolistas de todos os tempos e do mundo atualmente.

Oscar De La Hoya

Oscar De La Hoya
Jeff Kravitz/FilmMagic for HBO
Jeff Kravitz/FilmMagic for HBO

Campeão olímpico e dono de cinturões em seis divisões do boxe, o Golden Boy conquistou tudo isso com a força de sua mão esquerda. Oscar De La Hoya é um ex-pugilista com dupla nacionalidade (mexicana e americana) e vencedor da medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Verão de 1992.

Em abril de 2009, aos 36 anos, De La Hoya anunciou sua aposentadoria. Como ele alega “não é possível dar o passo maior que a perna. A cabeça funciona, mas o corpo não obedece”

Roberto Carlos

rc
Mike Hewitt – FIFA/FIFA via Getty Images
Mike Hewitt – FIFA/FIFA via Getty Images

Roberto Carlos da Silva Rocha, ou simplesmente Roberto Carlos, é considerado um dos melhores laterais-esquerdos da história do futebol. Conquistou ao longo de sua carreira, uma história pela Seleção Brasileira, sendo titular absoluto na lateral esquerda durante as Copas de 1998, 2002, quando fez parte do elenco pentacampeão mundial, e de 2006.

Com 1,68 m de altura, destacava-se pelo seu potente chute com a perna esquerda, tanto que contabiliza 38 gols de falta em toda sua carreira. Junto com Christian Karembeu, é um dos únicos jogadores a conquistarem a Liga dos Campeões da UEFA e a Copa do Mundo da FIFA no mesmo ano, em 2002.

Ricardinho

ricardinho-750x430
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Ricardo Bermudez Garcia, conhecido como Ricardinho, atuava como levantador e foi capitão da seleção brasileira de vôlei masculina. Atualmente é presidente da Equipe Maringá Volei, mas foi escolhido o melhor levantador da Copa dos Campeões de 2005 e foi eleito o melhor jogador da Liga Mundial de 2007.

Em 14 de agosto de 2007, Ricardinho lançou sua autobiografia, intitulada Levantando a Vida – A história de um campeão chamado Ricardinho, escrita pelo jornalista Luiz Carlos Ramos, ex-editor de Esportes do jornal O Estado de S. Paulo.

Marcelo

marcelo
LUIS ACOSTA/AFP/Getty Images
LUIS ACOSTA/AFP/Getty Images

Marcelo Vieira da Silva Júnior, mais conhecido como Marcelo, atua como lateral-esquerdo.

Depois de suas boas atuações na temporada pelo Fluminense, Marcelo foi elogiado por grandes ex-jogadores de futebol como Paolo Maldini e Diego Maradona que o considerou o melhor de sua posição. Marcelo foi nomeado como herdeiro de Roberto Carlos pelo próprio jogador, que declarou: “Marcelo possui uma melhor capacidade técnica do mundo”.

Também foi o autor do primeiro gol da Copa do Mundo FIFA 2014. Pena que foi contra.

Cássio

cassio
Alexandre Loureiro/Getty Images
Alexandre Loureiro/Getty Images

Cássio Ramos, mais conhecido como Cássio, atua como goleiro e é outro grande canhoto dessa lista. Atualmente defende o Corinthians, mas começou a carreira como profissional no Grêmio, após ser descoberto na cidade de Veranópolis. Com 1,95m de altura, já defendeu o PSV da Holanda e o Sparta Rotterdam, assim como a seleção brasileira, desde o Sub-20.

Em 16 de dezembro de 2012, faz uma partida com diversas defesas contra o Chelsea na final da Copa do Mundo de Clubes da FIFA ajudando o Corinthians a sagrar-se campeão sendo considerado pela equipe inglesa o principal responsável pela vitória corinthiana. Foi escolhido o melhor jogador da final e da competição.

Gabigol

gabigol
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Gabriel Barbosa Almeida, mais conhecido como Gabigol atualmente joga pelo Flamengo, emprestado pela Internazionale.

Gabriel estreou como profissional pelo Santos em 2013, contra o mesmo Flamengo, partida em que marcou a despedida de Neymar. Sagrou-se artilheiro do Santos com 8 gols na Copa do Brasil de 2015. Participou de alguns torneios de divisões de base pela Seleção Brasileira de Futebol, e fez parte da equipe que conquistou a inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.