Conheça Os Melhores Goleiros Brasileiros De Todos Os Tempos

Muitos torcedores e fãs do futebol se orgulham em terem visto craques como Pelé, Zico, Romário, Ronaldo e Neymar jogando. Afinal, é comum um torcedor dar os créditos de uma conquista histórica ou de uma vitória inesquecível apenas aos atacantes, esquecendo um dos jogadores mais importantes: O goleiro.

Com suas defesas impressionantes, muitas vezes eles garantiram os títulos de seus clubes, e até mesmo da seleção, através de defesas de pênaltis ou cobranças de falta. Confira a seguir os melhores goleiros brasileiros de todos os tempos.

Marcos

marcos
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

Vamos começar logo com uma polêmica: Marcos Roberto Silveira Reis, que chegou ao Palmeiras em 1992, é bom mesmo? Só em 1999, durante a Copa Liberadores da América ele se tornou titular. O jogador ganhou o apelido de São Marcos após as defesa do chute de Marcelinho Carioca na disputa de pênaltis contra o Corinthians.

Ele foi o goleiro titular da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo de 2002 sendo o único jogador da Seleção a não ser substituído em toda a competição pelo técnico Felipão, mas dizem que foi um “afago” do treinador já que ele atravessava uma má fase e o Palmeiras vinha mal e até acabou rebaixado naquele ano.

Mazzaropi

mazza
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Geraldo Pereira de Matos Filho, mais conhecido como Mazzaropi, marcou a grande época do futebol carioca dos anos 70/80, já que jogou no Vasco da Gama de 1974 a 1984 tendo como rival ninguém menos que Cantareli, o arqueiro do maior inimigo, o Flamengo.

A alcunha é atribuída ao jogador Brito, que ao ver Geraldo chegando ao Club de Regatas Vasco da Gama com suas roupas simples, teria lhe chamado de Mazzaropi, nome de um humorista famoso na época e que se vestiria daquela maneira. Ah sim, ele é o detentor do recorde mundial ficando 1816 minutos sem levar gols.

Dida

dida
Paolo Bruno/Getty Images
Paolo Bruno/Getty Images

O goleiro Nelson de Jesus da Silva começou a ganhar as graças dos fãs de futebol ao conquistar o tricampeonato brasileiro pelo Corinthians, quando na semifinal, defendeu dois pênaltis batidos pelo craque Rai.

Só que Dida fez história no Milan, time que defendeu por 10 anos e onde hoje é treinador. Lá ele conquistou a Super Copa Européia de 2003 e 2007, a Liga dos Campeões de 2002/03 e 2006/07, e o Mundial de Clubes da FIFA em 2007. Dida defendeu a seleção brasileira de 1995 a 2006.

Gilmar

Brazilian goalkeeper Gylmar dos Santos Neves, aka Gilmar of Santos FC, Brazil, circa 1965
Foto de Keystone/Hulton Archive/Getty Images
Foto de Keystone/Hulton Archive/Getty Images

Gylmar dos Santos Neves ficou mais conhecido como Gilmar e além de ser bicampeão mundial pela seleção brasileira, é considerado até os dias atuais um dos melhores de todos os tempos em sua posição, por ter jogado em times lendários como o Corinthians da década de 50, o Santos da década de 60 e na Seleção.

Possui o privilégio de ter sido “campeão de tudo”, devido ao fato de ter ao menos um título em cada competição que disputou.

Gilmar

Gilmar_Rinaldi_CBF
Reprodução/Wikipedia
Reprodução/Wikipedia

Gilmar iniciou sua carreira no Internacional, em 1978, tendo feito parte do elenco colorado, tetra-campeão gaúcho de 1981 a 1984. Em 1985, transferiu-se para o São Paulo FC, aonde logo se firmou na posição de goleiro titular. Naquele mesmo ano, sagrou-se campeão paulista e, um ano mais tarde, conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro.

Aos 31 anos de idade, Gilmar retomou sua melhor forma e, em ótima fase, foi um dos destaques daquela equipe rubro-negra, que conquistou o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992, foi tão bem que acabou sendo convocado por Carlos Alberto Parreira, como terceiro goleiro, para a disputa da Copa do Mundo de 1994.

Cantareli

canta
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Antônio Luís Cantareli, curiosamente nasceu em Além Paraíba, a mesma cidade de seu arquirrival, o goleiro Mazzaropi, do Vasco. Ele defendeu o Flamengo durante praticamente toda sua carreira, tendo somente uma rápida passagem pelo Náutico, em 1983.

Foi um importante jogador do Flamengo de 1973 a 1989. Defendeu o gol rubro-negro por 557 vezes e sempre foi um líder nos elencos. É o goleiro que mais atuou pelo clube. Em 2013 foi auxiliar técnico do Flamengo, tendo assumido a função após a efetivação de Jaime de Almeida como técnico.

Félix

felix
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Félix Miéli Venerando, mais conhecido como Félix, foi campeão com a lendária Seleção Brasileira de Futebol no Copa do Mundo FIFA de 1970.

O jogador que começou nas nas divisões de base do Nacional, teve uma grande passagem pelo Juventus da Moóca ao se profissionalizar com apenas 15 anos. Pela Seleção Brasileira, a qual defendeu de 1965 a 1972, Félix disputou 48 partidas e foi o goleiro titular na conquista do tricampeonato mundial na Copa do Mundo de 1970.

Raul Plassmann

raul
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Raul Guilherme Plassmann, depois que parou de jogar, se tornou comentarista esportivo. Apesar de ter brilhado, tanto no Cruzeiro, como no Flamengo, disputou somente 17 partidas pela Seleção Brasileira, entre 1975 e 1980.

Esteve perto de participar da Copa do Mundo de 1982 aos 37 anos, no entanto, o treinador Telê Santana acabou optando pela convocação de Valdir Peres, Paulo Sérgio e Carlos, deixando-o de fora. Em 1987, iniciou a carreira de treinador à frente do Cruzeiro, mas sem sucesso.

Zétti

zetti
DMITRY KOSTYUKOV/AFP via Getty Images
DMITRY KOSTYUKOV/AFP via Getty Images

Armelino Donizetti Quagliato ficou mais conhecido como Zetti. Atualmente é treinador, mas está sem clube. Estreou no Palmeiras na derrota para o São Bento por 1–0, mas nesse mesmo jogo deu início a uma seqüência de 1238 minutos sem sofrer gols, a décima mais longa do mundo, que só seria interrompida pelo zagueiro Luís Pereira, do Santo André.

Nas semifinais do Paulistão tomou um “frango” incrível pelo meio das pernas, em falta cobrada pelo então jogador do São Paulo, Neto, mas continuou sendo querido pela torcida.

Júlio César

julio cesar
ODD ANDERSEN/AFP via Getty Images
ODD ANDERSEN/AFP via Getty Images

Júlio César Soares de Espindola, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira no ano de 2002, em 2003 foi convocado para a Copa das Confederações para ser reserva de Dida. Estreou como titular no ano seguinte, contra o Chile na Copa América de 2004.

Convocado para a Copa do Mundo de 2014 foi titular em todas as partidas da Seleção. Nas oitavas-de-finais da Copa do Mundo de 2014 contra o Chile, que terminou empatada no tempo normal, defendeu duas cobranças na disputa por pênaltis, e foi eleito o melhor jogador em campo. Entretanto, na semifinal contra a Alemanha, sofre sete gols e na disputa pelo terceiro lugar contra a seleção Holandesa sofreria mais três gols na derrota por 0–3.

Diego Alves

diego
MB Media/Getty Images
MB Media/Getty Images

Diego Alves Carreira se tornou o recordista de pênaltis defendidos na história do Campeonato Espanhol. Ao evitar o gol no pênalti de Alexander Szymanowski, do Leganés, ele ultrapassou Andoni Zubizarreta como o maior pegador de penalidades da história do torneio, com 17 defesas em 39 cobranças.

No retrospecto geral, tem mais êxitos nas cobranças de pênalti do que gols sofridos. Nas 54 cobranças de pênaltis contra ele, o resultado geral são 26 defesas, um chute contra ele pra fora e um na trave, as outras 26 foram convertidas em gols. Em 2 de outubro de 2017, defendeu sua primeira cobrança de pênalti pelo Flamengo, cobrado por Lucca, em jogo contra a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro.

Waldir Peres

waldir
Mark Leech/Getty Images
Mark Leech/Getty Images

Waldir Peres de Arruda é considerado um dos mais importantes goleiros do futebol brasileiro. Defendeu o São Paulo de 1973 a 1984 e a Seleção Brasileira em três Copas do Mundo (1974, 1978 e 1982). Jogou nas décadas de 1970 e 1980, e foi considerado em boa parte desse tempo um dos melhores goleiros do Brasil.

Foi reserva nas Copas do Mundo de 1974 e 1978, sendo titular na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, onde era um dos destaques de um time que contava com Zico, Sócrates, Falcão e Oscar. Waldir Peres é o arqueiro com menor média de gols sofridos na seleção brasileira entre os que atuaram em Copas do Mundo.

Manga

manga
Central Press/Hulton Archive/Getty Images
Central Press/Hulton Archive/Getty Images

O pernambucano Haílton Corrêa de Arruda, mais conhecido como Manga foi, segundo a crítica especializada, um dos melhores goleiros da história do futebol brasileiro. É o jogador brasileiro que tem o recorde de participação em edições na Copa Libertadores.

Prestou até mesmo serviços de ídolo (embaixador) em festas de consulados e também exerceu a função de supervisor de treinadores de goleiros do Sport Club Internacional, até 2012. Atualmente vive no Equador, na cidade de Salinas.

Alisson

alisson
OLI SCARFF/AFP via Getty Images
OLI SCARFF/AFP via Getty Images

Alisson Ramses Becker, atualmente joga pelo Liverpool e foi o goleiro mais caro da história do futebol custando ao clube inglês 72,5 milhões de euros, mas poucos meses depois seu recorde foi superado por Kepa Arrizabalaga.

Em 2019, Alisson recebeu os prêmios de Luva de Ouro da Premier League, Melhor Goleiro da Copa América, Melhor Goleiro da UEFA, Melhor Goleiro do Mundo FIFA e o Troféu Yashin – Melhor Goleiro do Mundo pela France Football além de conquistar o troféu Samba de Ouro, dado ao melhor jogador brasileiro que atua na Europa.

Cássio

cassio
Sergei BobylevTASS via Getty Images
Sergei BobylevTASS via Getty Images

Juntando a experiência de 32 anos de idade sendo 8 de Corinthians com uma qualidade técnica primorosa, Cássio Ramos é provavelmente o maior pegador de pênaltis da atualidade. Essa é apenas uma característica de muitas do goleiro, que tem a seu favor dois títulos brasileiros, uma Libertadores e um Mundial.

Em 2007, recebeu a sua primeira convocação para a seleção principal, até então comandada pelo técnico Dunga. O goleiro, que atuava pelo Grêmio, foi convocado para a disputa dos amistosos contra Chile e Gana, após o corte do goleiro Hélton.

Deyvison

deyvison-goalie-br

E como nem só de passado vive o futebol brasileiro, as novas gerações nos trarão surpresas que pelo visto serão muito boas. Taí o Deyvison Silva que faturou o campeonato carioca série B2 de 2017 defendendo o time do Angra dos Reis, um belo exemplo das futuras gerações de craques que estão chegando por aí.

Assim como Deyvison, outros grandes atletas estão aguardando a oportunidade de brilhar e, quem sabe, nos presentear com mais alguns canecos nas próximas Copas do Mundo. Estaremos aguardando!

Carlos

mjg-carlos
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Carlos Roberto Gallo começou a carreira na Associação Atlética Ponte Preta em 1975, aos 19 anos. Na Seleção Brasileira, foi reserva na Copa do Mundo FIFA de 1978. Testado como possível titular no período de 1980 a 1981, foi terceiro reserva na Copa do Mundo FIFA de 1982. A partir de 1984, tornou-se titular absoluto do gol brasileiro, participando da Copa do Mundo FIFA de 1986 com destaque.

Continuou titular da Seleção até 1988, quando, transferido para a Turquia, perdeu espaço para Taffarel.

Taffarel

taffa
PATRICK HERTZOG/AFP via Getty Images
PATRICK HERTZOG/AFP via Getty Images

Pela Seleção Brasileira, Taffarel tem o maior número de jogos de um goleiro da história. Foram 123 aparições, com 113 jogos pela seleção principal. Faturou a medalha de prata nas Olimpíadas de Seul 1988. Jogou também as Copas do Mundo de 1990 na Itália, 1994 nos Estados Unidos e 1998 na França. Seu grande ápice na Seleção Brasileira foi a campanha rumo ao título na Copa do Mundo de 1994, defendendo a cobrança de Daniele Massaro na disputa por pênaltis contra a Itália em plena final. Também disputou a final de 1998, perdida para a França, após defender dois pênaltis na disputa por pênaltis na semifinal contra a Holanda

Leão

mjg

Famoso por seu temperamento explosivo, o goleiro colecionou títulos enquanto esteve no Palmeiras, entre eles os paulistas de 1972, 1974 e 1976, e os brasileiros de 1972 e 1973. Jogou 105 vezes pela seleção, sendo titular de 1971 a 1979. Foi reserva do grande Félix na Copa de 70 aos 20 anos de idade, e titular nas Copas de 74 e 78, permanecendo 457 minutos sem levar gols.

Após se aposentar nos campos, Leão também fez carreira como treinador sendo Campeão Brasileiro de 2002 pelo Santos.

Rogério Ceni

ceni
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images

Rogério Ceni é o jogador que mais vestiu a camisa de um clube na história do futebol mundial, batendo o recorde com 1117 partidas, superando Pelé, que vestiu a camisa do Santos em 1116 jogos.

O jogador coleciona outros recordes como o de maior goleiro-artilheiro da história do futebol mundial, o jogador que mais vezes foi capitão de uma mesma equipe e também o jogador que mais venceu por um mesmo clube na história. Só que seu ego parece ser maior uqe seu desempenho e, apesar de ter feito muitos gols, também levou muitos.

Barbosa

Uruguayan forward Juan Alberto Schiaffin
STAFF/AFP via Getty Images
STAFF/AFP via Getty Images

Moacyr Barbosa, mais conhecido como Barbosa, é um dos melhores goleiros da história do Vasco da Gama. No time carioca, ele ganhou seis títulos de campeão estadual e um campeonato sul-americano. Apesar disso, ele é mais lembrado por sua participação na derrota da Seleção Brasileira no Copa do Mundo de 1950.

Goleiro titular do Brasil, Barbosa foi considerado um dos principais culpados pela derrota por 2 a 1 para o Uruguai, no Maracanã, na grande final do torneio. Ele foi acusado de ter falhado no gol marcado por Alcides Ghiggia e carregou até a morte o fardo da derrota. Mas reduzir Barbosa ao erro de 1950 é, sem dúvida, a maior injustiça já cometida na história do nosso futebol.

Castilho

Castilho
Mailson Santana/Divulgação Fluminense
Mailson Santana/Divulgação Fluminense

Ídolo do Fluminense, Carlos José Castilho defendeu a equipe carioca de 47 até 64, sagrando-se tricampeão carioca, campeão do Torneio Municipal do Rio e vencedor da Copa Rio de 1952. Foram 699 partidas, ninguém jogou tantas vezes pelo Fluminense quanto “Leiteria”. Por conta do seu passado vitorioso no clube, o goleiro tem hoje um busto nas Laranjeiras.

Já na Seleção Brasileira, Castilho esteve com a equipe em quatro Copas do Mundo. Foi reserva de Barbosa no torneio de 1950, titular em 1954 na Suíça e novamente reserva (de Gilmar) nas edições de 1958 e 1962, se tornando bicampeão mundial. Infelizmente, Castilho cometeu suicídio em 2 de fevereiro de 1987, aos 59 anos.

Carlos Germano

Soccer - Friendly - Holland v Brazil
Neal Simpson/EMPICS via Getty Images
Neal Simpson/EMPICS via Getty Images

Carlos Germano foi personagem marcante da história do Vasco da Gama, onde jogou em 632 oportunidades entre 1990 e 1999. No clube carioca, o goleiro atingiu a incrível marca de 933 minutos sem sofrer gols, entre 24 de novembro de 1991 e 27 de setembro de 1992. Também participou das conquistas do Brasileirão de 1997 e da Libertadores de 1998.

Já com a camisa da Seleção Brasileira, Germano foi campeão da Copa América de 1997 e disputou a Copa do Mundo de 1998, quando a seleção terminou em segundo lugar. Ao encerrar a carreira de jogador, ele passou a atuar como preparador de goleiros. Recentemente, ele foi anunciado como novo profissional do Vasco. Ele já havia trabalhado como preparador de goleiros do time carioca, entre 2008 e 2014.

Ronaldo Giovanelli

Fußball: Brasiliens Torhüter Ronaldo in Aktion
Achim Scheidemann/picture alliance via Getty Images
Achim Scheidemann/picture alliance via Getty Images

Com 602 jogos no currículo, Ronaldo Giovanelli é o terceiro jogador que mais defendeu a camisa do Corinthians, perdendo apenas para Wladimir e Luizinho. O ex-goleiro também é considerado, junto com nomes como Rivelino, Sócrates, Wladimir, Neto e Marcelinho Carioca, um dos maiores ídolos da história do clube paulista.

Pelo clube alvinegro, o hoje comentarista de programas esportivos conquistou cinco títulos: três Campeonatos Paulista (1988, 1995 e 1997), uma Copa do Brasil (1995) e um Brasileirão (1990). Nos anos 90, Ronaldo foi convocado várias vezes para defender a Seleção Brasileira, chegando a participar da Copa América de 1991.

Ederson

Manchester City v Leicester City - Premier League
Laurence Griffiths/Getty Images
Laurence Griffiths/Getty Images

Nascido em 17 de agosto de 1993, Ederson é um dos melhores goleiros brasileiros em atividade e reserva imediato de Alisson na Seleção Brasileira. Por isso, ele merece estar nesta lista!

Em meados de 2017, o Manchester City precisou desembolsar 40 milhões de euros para contratar o goleiro brasileiro junto ao Benfica. Com isso, Ederson se tornou um dos arqueiros mais caros da história do futebol.

Neto

FC Internazionale v FC Barcelona: Group F - UEFA Champions League
Pier Marco Tacca/Getty Images
Pier Marco Tacca/Getty Images

Apesar de ser reserva no Barcelona, Neto também é um dos melhores goleiros brasileiros em atividade. Revelado pelo Athletico-PR e destaque nas categorias de base da Seleção Brasileira, Neto foi com contradado pela Fiorentina em 2011 por 3,5 milhões de euros. Por lá, o arqueiro ficou até julho de 2015, quando a Juventus o buscou para ser reserva de Buffon. Em 2017, o brasileiro trocou a Velha Senhora pelo Valencia, onde se destacou e foi contratado pelo Barcelona em 2019. Atualmente, disputa posição com o alemão Ter Stegen.

Oberdan Cattani

imagem_11980_2iTdFoWz9yd4_original-1
Arquivo Palmeiras/Reprodução
Arquivo Palmeiras/Reprodução

Falecido em 2014, aos 95 anos, o lendário Oberdan Cattani dedicou 14 temporadas de sua carreira como atleta profissional ao Palmeiras e é até hoje um dos grandes ídolos do clube.

Oberdan defendeu o Palmeiras entre os anos de 1941 e 1954. Foram 351 jogos, com 207 vitórias, 76 empates e 68 derrotas. No clube, ele conquistou quatro edições do Campeonato Paulista (1942, 1944, 1947 e 1950), o Torneio Rio-São Paulo de 1951 e o Mundial Interclubes em 1951. Além do Palmeiras, Oberdan Cattani atuou nove vezes pela Seleção Brasileira.

Doni

Liverpool FC present new signings Charlie Adam, Alexander Doni, Stewart Downing, and Jordan Henderson.
Clint Hughes/Getty Images
Clint Hughes/Getty Images

Revelado pelo Corinthians, Doni passou por Santos e Cruzeiro antes de ser contratado por um clube europeu. No velho continente o goleiro se destacou na Roma e conseguiu emplacar seis temporadas na Itália. Ele ainda teve a chance de fazer parte do elenco do Liverpool, mas foi pouco aproveitado pelo clube inglês, chegando a disputar apenas quatro partidas.

Doni também já vestiu a camisa da Seleção Brasileira e, inclusive, foi campeão da Copa América de 2007. Ele voltou a ser convocado para a Copa do Mundo de 2010, edição em que o Brasil acabou eliminado nas quartas de final pela Holanda. Em 2007 e 2010, o arqueiro ficou no ranking dos melhores goleiros do mundo, feito pela IFFHS (Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol)

Gomes

Tottenham Hotspur v Watford - Carabao Cup Third Round
Action Foto Sport/NurPhoto via Getty Images
Action Foto Sport/NurPhoto via Getty Images

Mais um grande goleiro revelado pelo Brasil nos últimos anos. No cenário nacional, Gomes se destacou pelo Cruzeiro, onde ganhou um Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil e foi bicampeão mineiro.

A partir de 2004, Gomes começou a construir uma carreira sólida na Europa. O primeiro clube em quer jogou foi o PSV, da Holanda, onde conquistou títulos como o tetracampeonato holandês e as boas atuações acabaram o levando para a Seleção Brasileira. Em 2008, ele foi contratado pelo Tottenham, da Inglaterra. Gomes teve ainda passagem por clubes como Hoffenheim, da Alemanha, e Watford, da Inglaterra. Pela Seleção, o goleiro foi bicampeão da Copa das Confederações em 2005 e 2009.

Diego Cavalieri

Fluminense v Vasco - Brasileirao Series A 2015
Matthew Stockman/Getty Images
Matthew Stockman/Getty Images

Atualmente no Botafogo, Diego Cavalieri está entre os melhores jogadores brasileiros em atividade. Antes de chegar ao time alvinegro, o arqueiro teve grandes passagens por Palmeiras e Fluminense. A temporada de 2012 foi uma das mais espetaculares de sua carreira, sendo apontado como um dos principais nomes no título brasileiro do Flu de 2012.

Na Europa, atuou pelo Liverpool entre 2008 e 2010. Além disso, Cavalieri venceu a Copa das Confederações em 2013, com a Seleção Brasileira.

Fábio

Cruzeiro v Palmeiras - Brasileirao Series A 2017
Pedro Vilela/Getty Images
Pedro Vilela/Getty Images

Fábio é um dos grandes nomes do Cruzeiro e um dos principais goleiros revelados pelo Brasil nos últimos tempos. O arqueiro já disputou quase 900 jogos pela Raposa, clube em que ajudou a conquistar duas Copas do Brasil (2017 e 2018), dois Brasileiros (2013 e 2014) e sete Campeonatos Mineiros. Ele também conquistou inúmeros prêmios individuais, como o de melhor goleiro da Série A em 2010 e 2013. Na Seleção, as chances não foram muitas, mas ele venceu a Copa América de 2004.

Fernando Prass

Palmeiras v Flamengo - Brasileirao Series A 2017
Alexandre Schneider/Getty Images
Alexandre Schneider/Getty Images

Fernando Prass, atual goleiro do Ceará, também construiu uma carreira vitoriosa. Depois de se destacar no Coritiba e no Vasco, o arqueiro foi bicampeão da Copa do Brasil, além de bicampeão brasileiro com o time do Palmeiras. Em sua passagem pelo Verdão, ele ficou conhecido por ser um exímio defensor de pênaltis. O goleiro defendeu um total de 15 cobranças durante seus sete anos de clube.

No Palmeiras, sua partida mais memorável foi a contra o Santos na final da Copa do Brasil de 2015, quando defendeu uma cobrança de pênalti do time adversário e assumiu a responsabilidade de bater o penal decisivo. Nunca um título alviverde havia sido conquistado com um gol de goleiro até então.

Valdir Joaquim de Moraes

palmeiras
Divulgação/Palmeiras
Divulgação/Palmeiras

Valdir Joaquim de Moraes foi um dos melhores arqueiros do Brasil durante as décadas de 1950 e 1960. Ele também é considerado um dos grandes ídolos do Palmeiras. Valdir defendeu a meta do Verdão de 1958 e 1968, período no qual atuou em 480 partidas e conquistou diversos títulos: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967), Taça Brasil (1960 e 1967), Rio-São Paulo (1965) e Paulistão (1959, 1963 e 1966).

Depois de se aposentar, Valdir criou a profissão de preparador de goleiros em 1969, até então inexistente no Brasil. Nesta função, ele trabalhou na Seleção Brasileira (Copa do Mundo de 1982) e em clubes como São Paulo e no Corinthians. Valdir morreu em 11 de janeiro de 2020, aos 88 anos, em decorrência de falência múltipla dos órgãos.

Eurico Lara

lara
Arquivo/Museu Hermínio Bittencourt, do Grêmio
Arquivo/Museu Hermínio Bittencourt, do Grêmio

Conhecido pelas defesas impossíveis e agilidade embaixo das traves, Eurico Lara defendeu o Grêmio por 16 temporadas (de 1920 a 1935). Durante sua passagem pelo clube gaúcho, ele disputou 217 partidas e conquistou 16 títulos. Sua trajetória foi tão marcante que ele teve seu nome citado no hino do clube, escrito por Lupicínio Rodrigues.

O goleiro morreu com apenas 38 anos, em Porto Alegre, dia 6 de novembro de 1935. Ele foi vítima de problemas cardíacos. O falecimento do goleiro ocorreu 40 dias depois dele ter disputado sua última partida pelo clube gaúcho: Grêmio 2×0 Internacional.

Marcelo Grohe

Lanus v Gremio - Copa CONMEBOL Libertadores 2017
Demian Alday/Getty Images
Demian Alday/Getty Images

Marcelo Grohe, que está no Al-Ittihad, foi um dos destaques do futebol nacional nos últimos anos. Com a camisa do Grêmio, o goleiro entrou em campo em mais de 400 jogos, e foi campeão gaúcho (2006, 2007, 2010 e 2018), da Copa do Brasil de 2016 e da Libertadores em 2017. As boas atuações com o time gaúcho lhe renderam algumas convocações para defender a Seleção Brasileira. Integrou o elenco brasileiro que disputou a Copa América de 2015 e a Copa América Centenário de 2016.

Jefferson

Chapecoense v Botafogo - Brasileirao Series A 2014
Alan Pedro/Getty Images
Alan Pedro/Getty Images

Apelidado de Homem de Gelo, o goleiro Jefferson foi considerado um dos melhores goleiros do Brasil de sua época, especialmente durante a década de 2010. Pelo Botafogo, ele foi tricampeão carioca (2010, 2013 e 2018) e ganhou a Série B de 2015. Na Seleção, o arqueiro participou da conquista da Copa das Confederações de 2013.

“Trabalhei com Dida, Julio Cesar, Rogério Ceni, Fábio, Magrão, mas nunca vi um goleiro dentro do gol com a flexibilidade, o reflexo e a inteligência do Jefferson. Era impressionante. Além de ser sumidade no gol, foi jogador de liderança serena, espetacular. Tinha controle do grupo pela tranquilidade que ele passava, principalmente dentro de campo”, disse Oswaldo de Oliveira, técnico do Botafogo entre 2012 e 2013, em entrevista ao “FogãoNET”.

Wendell

wendell
Reprodução
Reprodução

Wendell Lucena Ramalho foi um dos grandes goleiros do futebol carioca nos anos 70. Durante a sua carreira, ele defendeu o Botafogo e o Fluminense. Ele também chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. Com a camisa do Brasil, Wendell fez sete partidas (cinco vitórias, um empate e uma derrota) e sofreu quatro gols. Ele provavelmente seria o goleiro titular da Seleção na Copa do Mundo de 1974. No entanto, ele se lesionou e ficou do torneio mundial.

Ado

20200608021738_151
Divulgação/CBF
Divulgação/CBF

Ado foi um dos reservas da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970, disputada no México. Destaque no Corinthians, ele chegou a ser titular, mas acabou perdendo a vaga para Félix antes mesmo do início da competição.

Já no Corinthians, Ado conviveu com um período de jejum de títulos do clube, mas ainda assim conquistou o coração dos alvinegros e é considerado um dos maiores goleiros da história do clube. Ado fez 205 jogos e sofreu 168 gols entre 1969 e 1974.

Victor

Atletico MG v Corinthians - Copa do Brasil 2014
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Apelidado de São Victor pela torcida do Atlético-MG, o goleiro Victor também é considerado um dos melhores de sua geração. Ajudou a conquistou os títulos mais importantes da história do Galo, sempre sendo protagonista. Victor venceu quatro vezes o Campeonato Mineiro (2013, 2015, 2017 e 2020), a Libertadores de 2013, a Recopa Sul-Americana (2014), a Copa do Brasil de 2014 e o Torneio da Flórida (2016). Antes, ele havia se destacado no Grêmio.

Com boas atuações no futebol nacional, Victor recebeu a primeira chance de defender a Seleção Brasileira em 2009, ano em que participou da coquista da Copa das Confederações. Em 2014, Victor foi convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari para Copa do Mundo.

Clemer

Goalie Clemer da Silva of Brazil's Inter...
JEFFERSON BERNARDES/AFP via Getty Images
JEFFERSON BERNARDES/AFP via Getty Images

Ídolo do Internacional, com 354 jogos em oito temporadas, Clemer é o goleiro mais vitorioso da história do clube. Com a camisa do time gaúcho, ele conquistou a Libertadores e a Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2006 (final em que o Colorado derrotou o Barcelona de Ronaldinho), além de outros títulos como Recopa Sul-Americana e Copa Sul-Americana.

Por conta disso, Clemer é considerado um dos maiores ídolos da história do Inter junto com nomes como Elias Figueroa, Paulo Roberto Falcão, Paulo César Carpegiani, Fernandão e Valdomiro.