As Maiores Derrotas Da História Da Copa Do Mundo

Duas derrotas chamaram atenção até aqui na Copa do Mundo 2018. Ainda na primeira rodada, a atual campeã Alemanha foi derrotada pelo México por 1 a 0. Já nesta semana, pela segunda rodada da fase de grupos, a Argentina de Lionel Messi perdeu para a Croácia pelo placar de 3 a 0.

Depois do tropeço dessas grandes seleções, resolvemos relembrar as derrotas mais marcantes da história das Copas, sem esquecer da histórica goleada sofrida pelo Brasil em 2014. Confira os duelos que ficaram marcados por tropeços surpreendentes!

Que isso, Argentina?

Foto: Clive Brunskill/Getty Images
Foto: Clive Brunskill/Getty Images

Os hermanos mostraram dificuldades no Mundial 2018 e podem até ficar de fora da próxima fase dependendo dos resultados da última rodada da fase de grupos. A Argentina levou um verdadeiro baile da Croácia e foi derrotada por 3 a 0 no Estádio Nizhny Novgorod. Apático, o craque Lionel Messi nada conseguiu fazer para evitar a dramática derrota.

Os memes da derrota argentina

Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

Assim como aconteceu com a Alemanha, os brasileiros logo criaram memes para a derrota da Argentina. O time de Lionel Messi, agora, já não depende só de si para se classificar às oitavas de final. Com apenas um ponto em dois jogos, precisará vencer a Nigéria na última rodada e torcer por uma combinação de resultados. Será que os hermanos vão voltar mais cedo para casa?

O que acontece com Messi?

Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet

Lionel Messi está em sua quarta Copa do Mundo e é bem provável que seja a última. Aos 30 anos, o craque do Barcelona já conquistou diversos títulos com o clube e briga sempre para ser o melhor do mundo com Cristiano Ronaldo. Porém, ele deve encerrar sua carreira sem o troféu da Copa do Mundo e sem brilhar com a camisa do seu país. Com isso, o ex-jogador Diego Armando Maradona seguirá como o maior ídolo dos argentinos.

O grande vexame do Brasil

Foto: FIFA/FIFA via Getty Images
Foto: FIFA/FIFA via Getty Images

Nossa lista não poderia deixar de fora outra grande derrota. A goleada sofrida pela Seleção Brasileira em plena semifinal de um Mundial disputado em casa. No Estádio do Mineirão, o time do técnico Felipão levou 7 a 1 da Alemanha. É sem dúvidas um dos maiores vexames da história do futebol. Kroos e Schürrle marcaram duas vezes, Müller, Khedira e Klose também fizeram os seus. Oscar fez o de honra para o Brasil no fim do jogo.

Campeã é surpreendida

Foto: Alexander Hassenstein/Getty Images
Foto: Alexander Hassenstein/Getty Images

Foi um resultado inesperado. Depois de ser campeã no Brasil, a seleção da Alemanha chegou ao Mundial da Rússia como uma das favoritas. Mas logo na estreia decepcionou ao ser derrotada pelo México. O gol da equipe de Juan Carlos Osorio saiu com o atacante Lozano, camisa 22, aos 34 minutos. Os alemães não conseguiram furar o bloqueio adversário e a festa no final da partida foi toda dos mexicanos, com torcedores e jogadores chorando de emoção.

Memes da derrota alemã

Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet

A Internet não perdoa! Logo depois da derrota da Alemanha, diversos memes surgiram nas redes sociais. Na montagem acima, os brasileiros brincam com o fato da Alemanha ser o possível adversário do Brasil na próxima fase da Copa do Mundo. O cruzamento pode acontecer já nas oitavas de final se a Seleção Brasileira ficar em primeiro lugar do Grupo E e os alemães se classificarem em segundo no Grupo F.

“Roja” de vergonha

Foto: Alex Grimm – FIFA/FIFA via Getty Images
Foto: Alex Grimm – FIFA/FIFA via Getty Images

A Espanha tinha vencido a Copa do Mundo de 2010 e as duas últimas Eurocopas, em 2008 e 2012. Ainda que envelhecida, era tida como uma das grandes favoritas ao título de 2014. Porém, os espanhóis sofreram duas derrotas em menos de uma semana de torneio e foram eliminados na fase de grupos. Logo na estreia foram atropelados pela seleção da Holanda. O adversário fez 5 a 1 e deu show de futebol. Naquele jogo, nada deu certo: Casillas tomou frango, Sergio Ramos errou posicionamento e foi engolido por Robben na corrida, David Silva perdeu gol, Diego Costa não foi bem… Na rodada seguinte, a Espanha ainda foi derrotada pelo Chile por 2 a 0.

A campeã que virou lanterna

Foto: Robert Cianflone/Getty Images
Foto: Robert Cianflone/Getty Images

Parace que os campeões costumam ir mal nos anos seguintes. Antes da Espanha, a seleção italiana já tinha decepcionado. Na Copa do Mundo de 2010, a Azzurra não conseguiu vencer na fase de grupos, mesmo contra adversários sem a sua tradição: Paraguai, Eslováquia e Nova Zelândia. Com os resultados (dois empates e uma derrota), a seleção tetracampeã mundial terminou como lanterna. A eliminação foi decretada depois da derrota pela estreante Eslováquia por 3 a 2. O grande herói da vitória foi o atacante Vittek, que marcou dois gols da partida e desestabilizou a experiente zaga italiana formada pelo capitão Cannavaro e por Chiellini. A Itália não se despedia da primeira fase de um Mundial desde 1974.

A derrota inglesa que virou filme

Foto: STAFF/AFP/Getty Images
Foto: STAFF/AFP/Getty Images

A Inglaterra sofreu um duro golpe em sua primeira participação em uma Copa do Mundo. No dia 29 de junho de 1950, os ingleses entraram em campo para enfrentar os Estados Unidos, que era formado por atletas semi-profissionais. Esperava-se um massacre do English Team, que começou pressionando. Porém, aos poucos, os norte-americanos foram ganhando confiança. Fizeram um gol e até o fim seguraram o resultado. É considerada uma das maiores zebras da história do futebol até hoje. O jogo daquele duelo disputado no Brasil virou assunto de livros e até tema do filme “Duelo de Campeões”.

“Maracanaço”

Foto: STAFF/AFP/Getty Images
Foto: STAFF/AFP/Getty Images

Naquela mesma Copa, o Brasil também sofreu uma dura derrota. Até o duelo com o Uruguai, a anfitriã tinha uma boa campanha e era apontada como a grande favorita. Bateu o México por 4 a 0, a Iugoslávia por 2 a 0 e empatou com a Suiça por 2 a 2 na primeira fase, e fez arrasadores 7 gols contra a Suécia e 6 contra a Espanha na segunda fase. Porém, na grande final, foi derrotada pelos uruguaios. Depois de abrir o placar, a seleção brasileira viu Juan Alberto Schiaffino empatar. Sem conseguir marcar mais um gol, o time perdeu as esperanças com o segundo gol uruguaio, marcado por Alcides Ghiggia. E o silêncio tomou conta do Maracanã, que teve 200 mil torcedores.

Uruguai leva seis da Dinamarca

Foto: S&G/PA Images via Getty Images
Foto: S&G/PA Images via Getty Images

A equipe que ficou conhecida como “Dinamáquina” ganhou força na Copa de 1986. Estreante em Copa do Mundo, a Seleção da Dinamarca surpreendeu a todos na primeira fase do torneio, após três vitórias surpreendentes sobre Escócia, Uruguai e Alemanha Ocidental. O ápice aconteceu em 8 de junho de 1986, no gramado do Estádio Neza 86, com a goleada por 6 a 1 sobre o tradicional time do Uruguai na segunda rodada do Grupo 5.

Dinamarca goleou, mas também foi goleada

Foto: Allsport/Getty Images
Foto: Allsport/Getty Images

Em 1986, quando já começava a ser cotada entre as seleções favoritas, a Dinamarca se despediu da Copa de maneira vexatória nas oitavas de final: 5 a 1 para a Espanha, de virada, com quatro gols do ex-atacante Emilio Butragueño. Mesmo assim, o dinamarquês Preben Elkjaer terminou eleito o terceiro melhor jogador daquele Mundial, muito por conta de sua partidaça contra o Uruguai.

Derrota e perda do título

Foto: Henri Szwarc/Bongarts/Getty Images
Foto: Henri Szwarc/Bongarts/Getty Images

Impossível não lembrar da Copa de 1998, na França, quando o Brasil perdeu a chance de conquistar mais um título. Os 3 a 0 sofridos para os anfitriões na grande decisão foram marcados por boatos e confusões. Antes do confronto, Ronaldo sofreu uma convulsão no hotel e foi levado às pressas ao hospital. Foi examinado por médicos enquanto o resto da seleção brasileira se dirigia ao Stade de France. Algumas horas depois foi liberado e entrou em campo. Porém, nada fez. O craque Zinedine Zidane se consagrou na partida, marcando dois gols de cabeça e fazendo uma atuação espetacular. A derrota brasileira gerou dezenas de teorias da conspiração. Uma das mais conhecidas diz que o Brasil entregou o jogo para poder ganhar a Copa de 2002.

A vergonha da era Zidane

Foto: Andreas Rentz/Bongarts/Getty Images
Foto: Andreas Rentz/Bongarts/Getty Images

Em 2002, quatro anos depois de derrotar o Brasil, a seleção da França era apontada como uma das grandes favoritas a conquistar o título da Copa do Mundo disputada no Japão/Coréia do Sul. Porém, logo na abertura da Copa, foi surpreendida e derrotada pela seleção do Senegal. O gol marcado por Bouba Diop deu a vitória aos africanos. Na sequência, Zidane e cia não conseguiram se encontrar: empataram em 0 a 0 e depois, no último jogo do Grupo A, perderam para a Dinamarca por 2 a 0. Com os resultados, a França foi mais uma seleção campeã a fracassar na primeira fase.

Histórica derrota da Argentina

Foto: Keystone/ullstein bild via Getty Images
Foto: Keystone/ullstein bild via Getty Images

Em 1958, na Copa do Mundo da Suécia, a Argentina foi derrotada em sua chance de avançar para as quartas de final por 6 a 1 para a Tchecoslováquia. Foi o pior placar da história da seleção argentina em Copas. Depois da eliminação, os hermanos foram recebidos em Buenos Aires com chuva de moedas e pedras, especialmente o goleiro Carrizo (foto), considerado um dos maiores de todos os tempos no país.

O desastre de 1990

Foto: Peter Robinson – EMPICS/PA Images via Getty Images
Foto: Peter Robinson – EMPICS/PA Images via Getty Images

A seleção de Sebastião Lazaroni decepcionou na Copa de 1990. O Brasil saiu logo nas oitavas de final e, pior, eliminado pelo maior rival. Vice-campeã naquele ano, a Argentina venceu o duelo contra os brasileiros com o gol de Caniggia. Em 2004, durante programa de televisão, Maradona revelou que o massagista argentino Miguel Di Lorenzo ofereceu uma água “batizada” ao lateral brasileiro Branco, que passou mal, durante a partida, fato confirmado pelo jogador Basualdo logo depois.

Depois do bi, a desclassificação precoce

Daily Express/Hulton Archive/Getty Images
Daily Express/Hulton Archive/Getty Images

O time brasileiro de 1966 tinha os craques Pelé e Garrincha e vinha de dois títulos mundiais em sequência. Não tinha como o Brasil não ser apontado como o grande favorito, apesar de estar entrando em uma fase de transição. Porém, a eliminação veio logo na primeira fase, depois de duas derrotas surpreendentes, para Hungria e Portugal, e apenas uma vitória, sobre a Bulgária. O sonho do tri se transforma em vexame histórico.

Tragédia do Sarriá

Foto: Mark Leech/Getty Images
Foto: Mark Leech/Getty Images

Tragédia do Sarriá foi como ficou conhecida a partida “Brasil 2 X 3 Itália”, pela segunda fase na Copa do Mundo de 1982, disputada na Espanha. O duelo leva esse nome em referência ao estádio onde o jogo foi disputado em Barcelona. Apontado como um dos melhores times de todos os tempos, o Brasil tinha Zico, Falcão, Cerezo, Sócrates e encantava o mundo pelo futebol mostrado. Mas foi surpreendido pelos italianos.

Derrota que acabou em morte

Foto: Stephen Dunn/ALLSPORT
Foto: Stephen Dunn/ALLSPORT

Os anos 90 trouxeram a melhor geração de jogadores produzidos em território colombiano, liderada principalmente por Valderrama, Asprilla e Rincón. Além de contar com um ótimo elenco, a Colômbia chegou ao mundial de 1994 cheia de moral depois de vencer a Argentina por 5 a 0 em Buenos Aires, pelas Eliminatórias. Mas o sonho virou pesadelo. A Colômbia começou a competição com a mais pura soberba e acabou perdendo seus dois primeiros jogos. Com isso, foi desclassificada ainda na primeira fase. Para piorar, por causa de um gol contra na derrota para os Estados Unidos, por 2 a 1, o zagueiro Andrés Escobar foi morto com seis tiros ao voltar à Colômbia.