O Que Disse A Esposa De Schumacher E Quais Os Mistérios Que O Cercam Após O Acidente?

Pouco se sabe sobre o real estado de saúde de Michael Schumacher, sete vezes campeão de Fórmula 1. Desde o acidente de esqui no dia 29 de dezembro de 2013, na França, onde o alemão sofreu uma grave lesão cerebral, a família optou por manter o tratamento em segredo, além de deixar o ex-piloto longe dos holofotes.

Os médicos e amigos próximos também estão proibidos de passar informações para a imprensa, o que só faz aumentar as especulações. Confira a trajetória de Schumacher e todos os boatos sobre sua situação até aqui, além de rara declaração de sua esposa sobre seu estado de saúde.

Entenda o acidente

Foto: STR/AFP/Getty Images
Foto: STR/AFP/Getty Images

O alemão Michael Schumacher sofreu um grave acidente de esqui nos Alpes Franceses, no dia 29 de dezembro de 2013. De acordo com as investigações, o ex-piloto descia uma das pistas do complexo de Méribel, juntamente com o filho Mick e alguns amigos, quando bateu com a cabeça fortemente em uma pedra e sofreu um severo traumatismo craniano.

Momentos de incertezas

Foto: FERRARI PRESS OFFICE/AFP/Getty Images
Foto: FERRARI PRESS OFFICE/AFP/Getty Images

Depois de bater a cabeça e ficar desacordado, o ex-piloto foi resgatado por um helicóptero e levado até o centro médico de Moutier. Em seguida, ele foi encaminhado ao Hospital de Grenoble, onde passou por cirurgia no cérebro e ficou em coma induzido por seis meses. Ainda segundo as investigações, o capacete conseguiu evitar a morte. Porém, o acessório não o livrou dos profundos danos ao cérebro.

Homem rouba prontuários

Foto: Clive Mason/Getty Images
Foto: Clive Mason/Getty Images

Um homem chegou a roubar os prontuários médicos de Schumacher do Hospital Universitário de Grénoble, na França, onde ele ficou internado após o acidente. Por conta disso, ele acabou preso. Depois de algumas semanas, o rapaz foi encontrado enforcado dentro da cela. Segundo o Ministério Público de Zurique, o homem era um dos funcionários da companhia suíça Rega, especializada em transporte aéreo emergencial no país. A empresa chegou a ser procurada pela família de Schumacher para levar o ex-piloto do hospital de Grenoble até o de Lausanne. Mas o translado acabou sendo feito de ambulância. Não se sabe ao certo como o ladrão teve acesso ao dossiê.

Custo para manter o ídolo vivo

Foto: Clive Mason/Getty Images
Foto: Clive Mason/Getty Images

O alemão segue internado em sua casa sob a supervisão de uma equipe médica composta por 15 pessoas e coordenada pelo doutor Richard Frackowiak. Mas os cuidados especiais custam uma fortuna para a família. Para manter o heptacampeão de Fórmula 1 vivo, seus familiares precisam desembolsar mais de R$ 500 mil por semana. De acordo com o jornal espanhol As , os gastos com cuidados médicos já chegaram a mais de 28 milhões de euros, valor equivalente a cerca de R$ 110 milhões.

O império

Foto: Clive Rose/Getty Images
Foto: Clive Rose/Getty Images

Conforme informações da revista “Forbes”, Michael Schumacher ganhou cerca de R$ 3,3 bilhões enquanto competia. Ele é o quinto esportista que mais faturou ao longo da carreira. No ranking, o alemão está atrás apenas de Michael Jordan (basquete), Tiger Woods, Arnold Palmer e Jack Nicklaus (todos do golfe). Mas a fortuna conquistada com o seu trabalho é suficiente para manter o tratamento?

Problemas financeiros?

Foto: Vladimir Rys Photography via Getty Images
Foto: Vladimir Rys Photography via Getty Images

A situação financeira de sua família não parece das melhores. Desde o acidente, vários patrocinadores deixaram de apoiar Schumacher e a renda diminuiu drasticamente. Em 2015, foi noticiado que sua esposa, Corinna Schumacher, vendeu o avião particular da família por US$ 38 milhões. Uma mansão na Noruega, perto da capital Oslo, também teria sido negociada para ajudar nas despesas.

Ferrari para vender

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A família Schumacher colocou para vender a Ferrari Enzo do alemão, segundo informações da publicação “Motor1”. É a segunda vez que os familiares do ex-piloto tentam vender o veículo. A primeira fez foi em 2013, logo após o acidente, quando foi pedido 1,12 milhões de euros. O valor atual não foi revelado. A Ferrari Enzo de Schumacher é uma das 399 unidades disponíveis, mas este exemplar conta com várias particularidades.

Entrada de Rubinho é vetada

Foto: MARK RALSTON/AFP/Getty Images
Foto: MARK RALSTON/AFP/Getty Images

Rubens Barrichello, colega de Schumacher na equipe Ferrari entre 2000 e 2005, garante que também não tem informações sobre o estado de saúde do ex-companheiro. Durante entrevista ao programa “Conversa com Bial”, ele revelou que teve sua visita negada em 2015: “Estou buscando meios de saber como é que posso ir visitá-lo. A primeira vez que eu tentei, eles negaram. Eles falaram: ‘Oh, não vai fazer nenhum bem para você, e também não vai fazer para ele.’ Não tenho notícias dele, mas ele deve estar presente de alguma forma.

Felipe Massa visitou Michael

Foto: Mark Thompson/Getty Images
Foto: Mark Thompson/Getty Images

Durante o programa Bem Amigos, do SporTV , o brasileiro Felipe Massa confessou ter conhecimento sobre as condições médicas do alemão. Porém, ele evitou dar detalhes em respeito aos familiares de Schumacher: “Eles preferem deixar tudo entre eles. Eu sei como ele está, tenho essa informação. Mas a família quem tem de passar a informação, é a família quem tem de dizer como ele está, como não tá”. O ex-piloto ainda ressaltou sua torcida pela recuperação do ex-companheiro de Ferrari: “Continuo sempre torcendo por ele, pela recuperação dele, pra voltar, pra quem sabe aparecer, ver um carro de corrida”. Ele foi um dos únicos poucos autorizados a visitar o alemão.

Empresário pede a verdade

Foto: Ryan Pierse/Getty Images
Foto: Ryan Pierse/Getty Images

O ex-empresário de Schumacher, Willi Weber, acredita que chegou a hora da família contar a verdade. Em entrevista à revista alemã “Bunte”, ele criticou o silêncio dos familiares do ex-piloto: “Batalhei durante um tempo porque a família Schumacher não conta toda a verdade. Mas estou batendo a cabeça contra a parede. Não escutam o meu conselho. É hora de dizer a verdade para os fãs“. Será que eles vão seguir os conselhos do agente?

E agente também teve entrada vetada

Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images
Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images

Não foi a primeira vez que Will Weber bateu de frente com a família do ex-piloto. Assim como Rubinho Barrichello, ele já havia se queixado de ter sido proibido de visitar o heptacampeão da Fórmula-1. Mesmo sem maiores informações, o ex-agente diz que não perdeu as esperanças de ver Schumacher melhor: “Quando estou em casa e toca o telefone, às vezes penso que será Michael para me perguntar como estou”.

O que é oficial

Foto: Steve Mitchell/EMPICS via Getty Images
Foto: Steve Mitchell/EMPICS via Getty Images

O que se sabe, até o momento, é que Schumacher não anda. A informação foi confirmada pelos seus advogados em tribunal, durante um processo movido contra a revista alemã “Bünte”. A publicação foi processada depois de divulgar um artigo sobre o estado do ex-piloto, onde relatava que “apesar de muito magro voltou a andar, com a ajuda dos terapeutas, dando alguns passos e conseguindo levantar um braço”. A revista teve de pagar uma indenização de 50.000 euros (cerca de 168.000 reais) à família de Schumacher.

Declaração da esposa de Schumacher

Foto: STR/AFP/Getty Images
Foto: STR/AFP/Getty Images

Em meados de junho de 2014, Schumacher foi transferido para um hospital de Lausanne e, em seguida, para sua mansão em Gland, na Suíça, onde mora com a família. Desde então, pouco se sabe sobre seu estado de saúde. As informações sobre seu tratamento e evolução são mantidas a sete chaves por familiares e amigos, o que tem gerado uma série interminável de boatos. Alguns já foram desmentidos. Numa raríssima declaração da esposa, ela disse: “Ele está melhorando aos poucos com certeza, mas, de qualquer forma, ficando bom”.

Advogado defende blindagem

Foto: Hoch Zwei/Getty Images
Foto: Hoch Zwei/Getty Images

Advogado da família Schumacher, Felix Damm apoia a atitude da esposa do ex-piloto. Ele argumenta que, apesar do alemão se tratar de uma figura pública, a sua família não tem a obrigação de dar informações sobre o processo de recuperação: “Não é possível divulgar um comunicado e esclarecer todas as questões. Em vez disso, cada comunicado levará a novas questões”.

“Schumacher não consegue andar”

Foto: JOSEP LAGO/AFP/Getty Images
Foto: JOSEP LAGO/AFP/Getty Images

Apesar de evitar o assunto, o advogado Felix Damm foi o responsável por desmentir as informações divulgadas pela revista alemã Bunte, que disse que o ex-piloto já era capaz de andar. Damm negou: “Ele não consegue andar. Optamos por não divulgar nada porque não queremos dar falsas esperanças a ninguém, que é precisamente o que as revistas que escrevem isso estão a fazer. Optávamos por manter o seu estado de saúde reservado, até pela gravidade das suas lesões”.

Filho segue os passos do pai

Foto: Alexander Koerner/Bongarts/Getty Images
Foto: Alexander Koerner/Bongarts/Getty Images

Michael tem dois filhos, Gina-Marie Schumacher e Mick Schumacher. O rapaz segue os passos do pai. Aos 19 anos, Mick já passou pelo kart e atualmente compete na F3 Europeia. No último ano, o jovem homenageou o pai antes do início do Grande Prêmio da Bélgica. Ele deu uma volta no circuito de Spa-Francorchamps com uma réplica da Benetton de 1994 com que Michael conquistou o primeiro de seus sete títulos da categoria. E foi ovacionado pelo público!

Uma vitória especial

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O dia 28 de julho de 2018 ficará marcado para sempre na vida de Mick Schumacher. O filho do heptacampeão mundial de Fórmula conquistou sua primeira vitória na Fórmula 3 Europeia, exatamente no mesmo circuito em que o pai ganhou pela primeira vez na principal categoria do automobilismo, em 1992. Parece que ele terá uma jornada cheia de vitórias como seu pai.

Sobrinho também sonha com F-1

Foto: KSM Schumacher Racing Team/Facebook
Foto: KSM Schumacher Racing Team/Facebook

A família Schumacher tem mais um membro sonhando em competir na Fórmula 1: David Schumacher. O garoto de 16 anos é filho de Ralf Schumacher, ex-piloto da categoria, e sobrinho do heptacampeão mundial Michael Schumacher. Em entrevista à revista alemã “Sport Bild”, o jovem confessou que sonha seguir os passos da família e chegar à elite do automobilismo: “Eu definitivamente quero estar na Fórmula 1. Espero também estar em uma equipe muito boa, e gostaria de estar junto com o meu primo Mick no início da Fórmula 1. Ficaria muito feliz em disputar uma corrida de Fórmula 1 com meu primo Mick”.

Filho se emociona ao falar de Schumacher

Foto: Dan Istitene/Getty Images
Foto: Dan Istitene/Getty Images

Mick Schumacher falou sobre seu pai pela primeira vez, em 2017, antes de fazer sua estreia na Fórmula 3. Durante a entrevista, ele confessou que sonha em conquistar os mesmos feitos que o ex-piloto: “Meu pai é o meu modelo, simplesmente porque ele é o melhor. É o meu ídolo e meu objetivo é chegar a ser campeão do mundo de Fórmula 1 como ele”. Apesar de só ter 18 anos, muito se especula sobre uma possível ida à Fórmula 1. Porém, o jovem evita falar sobre o futuro: “Ainda não penso na Fórmula 1 neste momento, mas logo veremos o que acontece no futuro”.

Filha também quebra silêncio

Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images
Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images

Aos 21 anos, Gina-Maria Schumacher também resolveu falar sobre o pai depois de alguns anos. Em um programa de televisão da Alemanha, ela demostrou sua admiração pelo ex-piloto e explicou sua paixão por cavalos: “Fui várias vezes com ele, mas sempre preferi os cavalos”. A jovem é uma consagrada cavaleira, tendo já vencido diversas competições. Apesar de falar sobre o pai, ela não deu detalhes sobre a recuperação.

Ex-presidente da Ferrari lamenta situação

Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images
Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images

Poucas pessoas falam sobre o estado de saúde do ex-piloto. Em 2016, quem resolveu comentar sobre a recuperação de Schumacher foi ex-presidente da Ferrari Luca di Montezemolo. Sem muitos detalhes, ele lamentou a situação vivida pelo ídolo da Fórmula-1: “Tenho notícias e infelizmente não são boas. Não é como eu gostaria. Todo o mundo tem dito que ele era um esquiador veloz. Isso não é verdade. É por uma daquelas circunstâncias da vida que ele se encontra ainda na presente situação”.

Porta-voz justifica silêncio

Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images
Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images

A porta-voz da família de Michael Schumacher, Sabine Kehm, explicou o motivo de não dar declarações sobre o estado de saúde do ex-piloto. Segundo ela, o silêncio é a única alternativa: “Não vejo opção. Cada frase se torna uma pergunta, cada palavra é um motivo para se obter novas informações, e sempre será assim. Antes do acidente, a vida privada de Michael era sagrada, e todos sempre aceitaram desta forma”. Sobre a recuperação de Schumacher, Kehm foi enfática. “A recuperação de Michael é um processo contínuo”.

Fãs esperam uma resposta

Foto: SAMUEL KUBANI/AFP/Getty Images
Foto: SAMUEL KUBANI/AFP/Getty Images

Aos 49 anos, o ex-piloto segue em casa e nenhuma informação oficial é divulgada pela família. Mesmo assim, os fãs seguem esperançosos e aguardam por novidades. Desde o grave acidente, a internet se solidarizou com o ídolo, com mensagens de apoio à família usando a “hashtag” #KeepFightingMichael. Outros pilotos também adotaram a campanha. Até a Mercedes chegou a colocar um adesivo em seus carros.

Uma notícia duvidosa

Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images
Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images

Desde o acidente, alguns boatos foram desmentidos. Mas algumas notícias seguem como especulações, sem nenhuma confirmação. A revista italiana “Autosprint” chegou a publicar que Schumacher teria os músculos faciais imóveis, mas responderia a estímulos sonoros com os olhos. Além disso, ele já ficaria sentado em cadeira de fisioterapia para fazer exercícios e “chora ao escutar a voz dos filhos e da mulher Corinna”. Nada disso é confirmado pelas fontes oficiais.

Outro boato

Foto: Paul-Henri Cahier/Getty Images
Foto: Paul-Henri Cahier/Getty Images

Em setembro de 2017, a revista alemã “Bravo” divulgou uma nota sobre a intenção da família de transferir Michael para uma clínica nos Estados Unidos, em Dallas, no Texas, especializada em lesões cerebrais, comandada pelo Dr. Mark Weeks. A publicação ainda ressaltou que o ex-piloto estaria “muito fraco” e por isso o tratamento seria em terras norte-americanas. Porém, até o momento ele segue na Europa.

Uma foto atual?

Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images
Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images

Outro indivíduo, desta vez um papparazzi, anunciou que teria conseguido tirar uma foto de Schumacher em sua residência e que o ex-piloto estaria pesando apenas 45 quilos. Ele teria pedido um milhão de euros pela imagem, que nunca chegou a ser publicada nos veículos de comunicação. Seria apenas um boato? Tempos depois um jornal voltou a falar sobre o assunto, mas efetivamente nada foi divulgado.

Schumacher perde muito peso

Foto: Clive Mason/Getty Images
Foto: Clive Mason/Getty Images

A foto não apareceu, mas a informação passou a ser tratada como verdade. Em 2015, o jornal britânico “Daily Express” divulgou que o ex-piloto estaria mesmo pesando somente 45 quilos, bem menos do que costumava pesar, e não conseguiria falar ou se locomover sozinho. A publicação entrevistou uma fonte próxima à família que disse “não ver milagres no horizonte”. Mais uma vez as informações não foram confirmadas de forma oficial.

A carreira

Foto: PORNCHAI KITTIWONGSAKUL/AFP/Getty Images
Foto: PORNCHAI KITTIWONGSAKUL/AFP/Getty Images

Na Fórmula 1, Michael Schumacher estreou no GP da Bélgica em 1991 pela Jordan, mas na corrida seguinte já competiu pela Bennetton, onde ficou até 1995. No ano seguinte, o alemão foi contratado pela Ferrari, equipe pela qual conquistou cinco títulos mundiais (consecutivos), entre 2000 e 2004, e onde permaneceu até 2006, até deixar a categoria pela primeira vez.

O retorno

Foto: Mark Thompson/Getty Images
Foto: Mark Thompson/Getty Images

Depois, Schumacher foi correr de motos, mas sofreu algumas quedas que provocaram ferimentos e tiraram boa parte do seu vigor físico e mental. Ele retornou ao antigo esporte em 2010, pela Mercedes, que voltava à Fórmula 1 após comprar a Brawn-GP, campeã de construtores e de pilotos (com Jenson Button) no ano anterior.

Uma despedida sem vitórias

Foto: Mark Thompson/Getty Images
Foto: Mark Thompson/Getty Images

Depois de retornar à Fórmula 1, Schumacher não conseguiu grandes resultados. Entre 2010 e 2012, ele subiu apenas uma vez ao pódio, no GP da Europa, disputado em Valência, Espanha, quando chegou em terceiro lugar. Ele se despediu das corridas com um 7º lugar no Brasil, tendo largado em 14º. Mesmo fora do pódio, ele comemorou: “Foi excitante”.

As vitórias

Foto: K. Asif/India Today Group/Getty Images
Foto: K. Asif/India Today Group/Getty Images

Em 2012, ele anunciou sua aposentadoria, encerrando uma carreira de 19 temporadas na principal categoria do esporte a motor, com direito a sete títulos mundiais, 91 vitórias e uma série de recordes. O campeão se retirou de cena alguns dias após a Mercedes anunciar a contratação de Lewis Hamilton para fazer dupla com Nico Rosberg.

26 anos da primeira conquista

Foto: Bongarts/Getty Images
Foto: Bongarts/Getty Images

Neste mês completa 26 anos que Michael Schumacher, guiando sua Benetton, venceu pela primeira vez uma corrida de Formula 1. O triunfo aconteceu no dia 30 de agosto de 1992. No circuito de Spa-Francorchamps, no Grande Prêmio da Bélgica, o alemão deixou para trás nomes como Nigel Mansell, Riccardo Patrese e Ayrton Senna. Na época, o ex-piloto tinha apenas 23 anos e superou até o seu colega de equipe Martin Brundle.

Schumacher coloca Alemanha no topo

Foto: Bongarts/Getty Images
Foto: Bongarts/Getty Images

Durante longos 17 anos, nenhum alemão havia vencido uma corrida de Fórmula 1. Em 1992, ele fez o seu em primeiro ano completo na categoria. A vitória na Bélgica ajudou Michael Schumacher a terminar em terceiro lugar no campeonato, atrás apenas de Mansell e Patrese. O então novato superou até mesmo o brasileiro Ayrton Senna. Ele foi o melhor recém-chegado à Fórmula 1 desde ex-automobilista britânico Jackie Stewart. E duas temporadas depois ele se tornaria campeão mundial. Uma carreira meteórica!

As polêmicas

Foto: Tobias Heyer/Bongarts/Getty Images
Foto: Tobias Heyer/Bongarts/Getty Images

Ao longo de sua carreira, o ex-piloto também acumulou polêmicas. Algumas são bem conhecidas, entre elas o comentado uso de eletrônica (proibida) no carro de 1994 da Benetton, e a ordem da Ferrari para que Rubens Barrichello cedesse sua posição no GP da Áustria de 2002. Também teve o episódio das manobras que tiraram pilotos das provas, quando estes brigavam por títulos com ele, casos de Damon Hill e Jacques Villeneuve.

A polêmica ultrapassagem

Andreas Rentz/Bongarts/Getty Images
Andreas Rentz/Bongarts/Getty Images

Ainda na mesma entrevista, Rubinho falou sobre a polêmica ultrapassagem que ele teve que ceder a Schumacher para garantir o título do alemão: “Eu entrei na última curva decidido que eu não ia deixar. E aí você fica em um momento assim : ‘Eu amo tanto o que eu faço. Será que vou ser despedido? Será que vai acontecer isso? Será que vai acontecer ou aquilo? Esse dia, saí do pódio e não fui para a sala de imprensa porque fui passar mal. Vomitei muito de raiva. Mudaram as regras da Fórmula 1 por causa desse dia. (…) Hoje em dia, você ouve em casa o que o piloto está falando. Nesse dia, se você tivesse ouvido, você iria sentir nojo”.

Homenagem aos 49 anos

Foto: ROLAND WEIHRAUCH/AFP/Getty Images
Foto: ROLAND WEIHRAUCH/AFP/Getty Images

No dia 3 de janeiro deste ano, o ex-piloto completou 49 anos. E as antigas escuderias não deixaram passar a oportunidade de homenagear o eterno ídolo da Fórmula 1. Através de perfis oficiais no Twitter, Ferrari e Mercedes publicaram imagens de Schumacher e usaram a mesma hashtag para mandar uma força extra ao ex-piloto: #keepfighting. A equipe italiana publicou: “Hoje, Michael completa 49 anos. Nossos pensamentos estão sempre com ele. Continue lutando. Força Michael”. Já a britânica escreveu: “155 pódios, 91 vitórias, 68 poles, 7 títulos, número um do mundo… Lenda. Parabéns Michael. Continue lutando”.

Ajudando pessoas

Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images
Foto: Alex Grimm/Bongarts/Getty Images

Quase três anos após o acidente, Corinna Schumacher lançou uma iniciativa sem fins lucrativos para ajudar pessoas que estão lutando contra adversidades. A “Siga Lutando” é coordenada pelo staff do ex-piloto em nome de sua família. “Queremos encorajar outras pessoas a nunca desistirem”, afirmou a mulher do piloto em comunicado divulgado na época.

Família compra casa de veraneio

Foto: Reprodução/Google
Foto: Reprodução/Google

Apesar de a fortuna ter diminuído, Corinna Schumacher comprou uma mansão no valor de € 30 milhões (cerca de R$ 133 milhões) em Maiorca, nas Ilhas Baleares, na Espanha. O imóvel pertencia ao presidente do Real Madrid, Florentino Perez, segundo o jornal alemão “Bild”. A negociação foi fechada recentemente. Segundo o jornal “The Sun”, a família deve usar a nova propriedade como uma casa de veraneio, enquanto moram na Suíça.

A última declaração sobre o assunto

Foto: ERIC ESTRADE/AFP/Getty Images
Foto: ERIC ESTRADE/AFP/Getty Images

Nos últimos dias, o presidente da FIA, Jean Todt, deu uma nova declaração sobre Michael Schumacher. Ele é uma das poucas pessoas autorizadas pela família a visitar o heptacampeão mundial. E mais uma vez ele evitou dar detalhes sobre o estado de saúde do eterno ídolo: “É momento de deixar o Schumacher viver sua vida em paz”. Indagado para dar apenas uma visão superficial do estado de saúde de Schumacher, Todt repetiu o aviso de que é preciso deixar o alemão em paz.