Os Melhores Técnicos Do Futebol Brasileiro, Em Ordem Crescente

Tite vinha sendo eleito o melhor do Brasil, mas agora está na seleção e sofrendo com as críticas por causa da participação decepcionante na Copa do Mundo, a convocação de jogadores importantes de clubes brasileiros para amistosos inúteis e a insistência em repetir erros, característica que marca quase todos os técnicos do Brasil.

Com Tite de fora, fizemos uma lista – ordenada do pior para o melhor – com os melhores técnicos do futebol brasileiro baseada na opinião de jogadores, jornalistas e no próprio desempenho.

Wanderlei

01
Alexandre MARCHI/Gamma-Rapho via Getty Images
Alexandre MARCHI/Gamma-Rapho via Getty Images

Luxemburro? A torcida não perdoa e esquece que ele já foi campeão brasileiro pelo Palmeiras (duas vezes), Santos, Cruzeiro, Corinthians e, se contarmos a série B, pelo Bragantino. Dono de performances expressivas como a da sua primeira passagem pelo Cruzeiro (70,4%), também chegou a números horríveis como os da segunda passagem pelo mesmo Cruzeiro (36,85).

Achamos que a Copa do Mundo de 1998 marcou muito, tanto o técnico quanto a torcida e a crítica.

Vágner Mancini

02
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

O auge de sua carreira como jogador foi atuando pelo Grêmio onde foi campeão da Libertadores de 1995, entrando portanto na história do clube do Rio Grande do Sul. Como treinador, teve duas performances muito ruins, no Botafogo e no Sport onde alcançou apenas 29% de aproveitamento, sendo que no último disputou apenas 16 partidas contra 42 no primeiro. Já no Grêmio obteve 78%, mas com apenas 6 partidas a alta performance fica discutível.

Marcelo Oliveira

03
Luis Vera/LatinContent /Getty Images
Luis Vera/LatinContent /Getty Images

Ele foi jogador e comentarista esportivo, mas começou sua carreira como técnico na base do Atlético Mineiro e por lá ficou durante muito tempo. Em 2009 foi contratado para treinar o Ipatinga. Após a derrota de 2–0 para o Paraná, Marcelo Oliveira foi demitido, assumindo em 2010 o comando do Paraná Clube, deixando o time em outubro. Em 18 de novembro foi anunciado como o novo técnico do Coritiba para a temporada 2011, substituindo Ney Franco, onde teve a mais longa e vitoriosa da sua carreira até então levando o time a dois títulos estaduais e duas finais da Copa do Brasil. Sua melhor performance foi no Cruzeiro com 68,44% de aproveitamento.

Alberto Valentim

05
Alexandre Loureiro/Getty Images
Alexandre Loureiro/Getty Images

Após conseguir bons resultados com o Palmeiras na reta final de 2017, Valentim foi para o Botafogo. Com os cariocas, o treinador fez um bom trabalho e acabou contratado pelo Pyramids. Após dois jogos no Egito, Valentim acertou com o Vasco e não emplacou. Teve problemas para tirar o Cruzmaltino da briga contra o rebaixamento e terminou o campeonato com 39,5% de aproveitamento. Foram 40 pontos conquistados em 36 jogos (por Botafogo e Vasco).

Rogério Ceni

04
Levi Bianco/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images
Levi Bianco/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images

Rogério Mücke Ceni jogou pelo São Paulo como titular de 1997 até 2015, sendo atualmente o jogador que mais vestiu a camisa de um mesmo clube na história do futebol mundial, tendo superado Pelé, que vestiu a camisa do Santos em 1116 jogos, o de maior goleiro artilheiro da história do futebol mundial, jogador que mais vezes foi capitão de uma mesma equipe (982 jogos), e também o de jogador que mais venceu por um mesmo clube na história.

Como treinador do São Paulo sonhou trazer de volta as glórias passadas, porém, com o passar do tempo, os jogadores importantes foram vendidos, o time ficou cada vez mais enfraquecido e o acúmulo de maus resultados levou a sua demissão.

Vai se redimir no Fortaleza?

Jair Ventura

06
APU GOMES/AFP/Getty Images
APU GOMES/AFP/Getty Images

Como jogador, atuou nas equipes de São Cristóvão, Bonsucesso, Bangu, Mulhouse e Mesquita, além de equipes na Grécia e no Gabão e aposentou-se aos 26 anos de idade, e posteriormente teve passagens pelo América do Rio de Janeiro e Madureira.

Também foi preparador físico e estreou como treinador interino em 27 de janeiro de 2010, mas seu melhor aproveitamento foi de 53,25 no Botafogo, já no Corinthians conseguiu apenas 31,58%

Diego Aguirre

07
ALEJANDRO PAGNI/AFP/Getty Images
ALEJANDRO PAGNI/AFP/Getty Images

Depois de comandar o São Paulo em 2018, o uruguaio Diego Aguirre aceitou a proposta do Al Rayyan, do Catar, e será o treinador do time na próxima temporada. O comandante volta a trabalhar no clube em que conquistou três competições entre 2012 e 2013, entre elas a Copa do Emir.

O Catar está em destaque no futebol mundial por conta da Copa do Mundo de 2022, que o país vai organizar.

Enderson Moreira

08
Miguel Schincariol/Getty Images
Miguel Schincariol/Getty Images

Graduado em Educação Física pela UFMG, iniciou a carreira no futebol profissional como preparador físico do América Mineiro em 1995, ascendendo a treinador da categoria de base no ano seguinte. No entanto, o seu inicio como treinador ocorreu de fato na Escolinha de Futebol Pequeno Craque, no bairro Letícia, Venda Nova, Belo Horizonte/MG.

Seu pior aproveitamento foi treinando o Ipatinga onde conseguiu apenas 33,3% e a melhor no Inter B onde chegou a 66,6%, mas seu normal mesmo é próximo de 50%, índice que conseguiu nos outros times que treinou.

Thiago Larghi

09
Alexandre Schneider/Getty Images
Alexandre Schneider/Getty Images

Larghi é formado em educação física e iniciou sua carreira profissional no futebol no Botafogo em 2011. Em 2013, foi convidado por Carlos Alberto Parreira a se juntar à equipe técnica de Luiz Felipe Scolari na Seleção Brasileira, participando da Copa do Mundo de 2014. Após deixar a Seleção, se mudou para a Europa, onde fez estágio com Pepe Guardiola no Bayern de Munique. Em 2016, retornou ao Brasil para se juntar à equipe de Oswaldo de Oliveira no Sport e em sequência no Corinthians.

Em fevereiro de 2018, após Oswaldo de Oliveira ser demitido do Atlético, Larghi assumiu como técnico do time interinamente. Em junho, após mais de quatro meses no cargo, foi efetivado pela diretoria atleticana. Deixou o clube em outubro, sendo substituído por Levir Culpi.

Fabio Carille

10
Adriana Spaca/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images
Adriana Spaca/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images

Fábio Carille foi zagueiro e lateral-esquerdo, rodou por diversas equipes, entre elas Corinthians (1995), Paraná (1996), Coritiba (1996), Santo André (1999), Juventus (2000) e Barueri (2007), time pelo qual pendurou as chuteiras.

Em 22 de dezembro de 2016, foi anunciado como o novo treinador do Corinthians para a temporada de 2017. No seu primeiro ano no comando do Timão, conquistou o Campeonato Paulista e o Campeonato Brasileiro. Em 2018, foi bicampeão do Paulista.

No dia 22 de maio de 2018, o treinador comunicou a diretoria do Corinthians que aceitou uma proposta do Al-Wehda, da Arábia Saudita, e deixou o clube. Carille assinou por duas temporadas com o clube árabe.

Zé Ricardo

11
Gabriel Rossi/Getty Images
Gabriel Rossi/Getty Images

José Ricardo Mannarino, é mais conhecido como Zé Ricardo e atuava como zagueiro. Como jogador de futebol de salão, jogou até os 25 anos de idade, mas ele é professor e lecionou Educação Física no Ciep Presidente Salvador Allende e foi professor de futsal no Colégio Nossa Senhora de Lourdes, ambos localizados em Vila Isabel, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Seu melhor aproveitamento foi no Flamengo com 62.59%, mas no Botafogo conseguiu apenas 50,41%

Roger Machado

12
ANDRES LARROVERE/AFP/Getty Images
ANDRES LARROVERE/AFP/Getty Images

Com um dos elencos mais caros e completos do Brasil, Roger saiu do Palmeiras quando o time acumulou três derrotas seguidas e ocupava o sexto lugar no Campeonato Brasileiro. Com o time que o treinador tinha em mãos, os resultados conquistados no Brasileirão eram considerados insatisfatórios, tanto pela imprensa, quanto pela diretoria do clube. Saiu com 51% de aproveitamento, depois de conquistar 23 pontos dos 45 possíveis em 15 jogos.

Maurício Barbieri

13
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Se formou em Educação Física na Universidade de São Paulo, fez estágio no Futebol Clube do Porto, campeão da Europa e do Mundo em 2004 sob o comando de José Mourinho.

Com passagens por Flamengo, Audax-RJ, Desportivo Brasil-SP e Guarani-SP, Barbieri estava no Goiás desde o fim do ano passado. Ele chegou para substituir Ney Franco, técnico que conduziu o time goiano de volta à Série A. Maurício comandou o Goiás em 20 jogos, com 14 vitórias, dois empates e quatro derrotas, conseguindo 73% de aproveitamento. As duas derrotas na decisão do Campeonato Goiano provocaram a saída dele da equipe esmeraldina.

Tiago Nunes

14
Wagner Meier/Getty Images
Wagner Meier/Getty Images

Tiago Retzlaff Nunes nunca foi jogador de futebol. Iniciou sua carreira em 2005, com apenas 25 anos, quando dirigiu o São Luiz. Em 2013 comandou o sub-23 do Grêmio, até que assumiu a mesma categoria no Atlético-PR. Passou para o time principal após a demissão de Fernando Diniz. Pegou o time na zona de rebaixamento e brigou por Libertadores até a última rodada.

Passou também pelo Juventude e Ferroviária, em 13 de maio de 2016 foi anunciado pelo São Paulo-RS, no qual teve uma curta passagem e em 17 de outubro, foi anunciado pelo Veranópolis.

Odair Hellmann

15
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

O catarinense Odair Hellmann foi auxiliar-técnico na conquista do ouro inédito para a Seleção Brasileira de Futebol nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Odair é considerado um dos melhores técnicos brasileiros em atividade.

Odair foi revelado no Internacional, onde atuou entre 1997 e 1998, mas também atuou em clubes como Fluminense, América-RJ e Brasil de Pelotas. Também possui experiência internacional ao ter atuado no Enköpings, da Suécia, e no Eastern, de Hong Kong.

Errar é humano? Confira a seguir.

Mano Menezes

16
Buda Mendes /LatinContent/Getty Images
Buda Mendes /LatinContent/Getty Images

Mano já teve sua chance na seleção, durando pouco mais de dois anos no cargo antes de ser demitido e substituído por Felipão.

Além da seleção, Mano teve algumas passagens sem brilho por Flamengo e Corinthians antes de se achar no Cruzeiro. Ele treinou o time em 2015 antes de ir para a China, mas o treinador só foi ganhar moral de verdade após o título na Copa do Brasil em 2017, competição que venceu pela terceira vez.

Um doce para quem souber o nome do técnico a seguir. Vai apostar?

Cuca

17
VANDERLEI ALMEIDA/AFP/Getty Images
VANDERLEI ALMEIDA/AFP/Getty Images

Dono de uma Libertadores e um Campeonato Brasileiro por Atlético-MG e Palmeiras em 2013 e 2016, respectivamente, Cuca sabe como trabalhar com os jogadores mais talentosos. Com ele Ronaldinho Gaúcho jogou seu melhor futebol no Brasil. Dudu e Moisés brilharam no alviverde e agora Gabriel virou artilheiro no Brasileirão depois de ter jogado de forma horrorosa com Jair Ventura. O Santos melhorou da água para o vinho com seu novo treinador, que é o mais vitorioso do Brasil nesta década, tirando Tite.

Será que brasileiro tem mesmo memória curta? Confira!

Felipão

18
ALEJANDRO PAGNI/AFP/Getty Images
ALEJANDRO PAGNI/AFP/Getty Images

Depois do 7 a 1, Felipão foi execrado por todos os lados. Não ajudou o fato de dirigir o Grêmio logo depois saindo do time sem ter sucesso algum. Seu período na China ajudou a tirar ele do foco das críticas até o retorno pelo Palmeiras.

Roger Machado e seu ar de novo renderam algumas partidas péssimas e um título perdido em casa para o Corinthians. Com Felipão o time joga melhor, mesmo que não tenha estabilidade emocional alguma.

Ranking: de pior para melhor, os técnicos do Brasil

19
JUAN MABROMATA/AFP/Getty Images
JUAN MABROMATA/AFP/Getty Images

Caso Tite decida sair da seleção amanhã, Renato Gaúcho é o principal candidato ao cargo. Não dá para dizer que ele é um treinador sensacional, mas com ele o Grêmio venceu a Copa do Brasil, a Copa Libertadores e a Recopa Sul-Americana se impondo em campo. E não foi pelo jogo violento, como de costume, mas com toque de bola e talento.

Renato fala muito, mas seu time sabe jogar até mesmo com refugos e vaiados em outros times, como Leo Moura, Cortez, Cícero e Maicon, o que faz dele o melhor treinador em atividade no Brasil.