Curiosidades Sobre O Técnico Felipe Scolari, O Felipão

Um dos técnicos brasileiros com mais prestígio no futebol mundial, Luiz Felipe Scolari escreveu seu nome no mundo da bola com muitas conquistas e feitos que poucos conseguiram. Já sabemos no que você está pensando. Brasil 1 x 7 Alemanha. Só que a carreira de Felipão não se resume a isso.

Ao longo de quase quatro décadas desempenhando a função de treinador, a carreira de Felipão reúne várias curiosidades, mas será que você já conhece todas? Acompanhe a sequência a seguir para saber!

Começando de leve

01
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Luiz Felipe Scolari já foi jogador e atuava como zagueiro. Atualmente é técnico, mas está sem clube. É descendente de italianos e além da nacionalidade brasileira, possui também a italiana.

Foi campeão do mundo de futebol como técnico da Seleção Brasileira em 2002 na Copa do Mundo do Japão e Coreia do Sul. Entre os clubes que treinou, teve importantes e vitoriosas passagens por Grêmio e Palmeiras, com os quais conquistou a Copa Libertadores da América. Em 2013, foi campeão da Copa das Confederações pela Seleção Brasileira.

Garoto propaganda

02
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

Felipão sempre foi conhecido por sua fé católica. Na conquista do pentacampeonato mundial com a Seleção Brasileira, ele levou consigo e com seus jogadores uma imagem de Nossa Senhora de Caravaggio, que é uma santa venerada entre os descendentes de italianos do Sul do Brasil, que é o caso para sua família.

Ele inclusive se tornou o garoto-propaganda de Farroupilha e do Antigo Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio ao estrelar uma campanha para visitação do Santuário.

O pagador de promessas

03
Reprodução/Web
Reprodução/Web

A imagem acompanhou a Seleção Brasileira durante a campanha em que conquistou pela quinta vez o campeonato mundial você já entendeu. O que você talvez não saiba é que Felipão, em agradecimento, pagou uma promessa, indo de Caxias do Sul a Farroupilha, a pé, andando uma distância de aproximadamente 20km.

Ao deixar a seleção, a imagem da santa permaneceu no Brasil, até que tempos depois, para impulsionar a participação de Portugal na Eurocopa, Felipão mandou buscá-la na Granja Comary.

Também possui títulos como jogador

04
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Scolari começou sua carreira futebolística aos dezessete anos, jogando nos juvenis do Aimoré, da cidade gaúcha de São Leopoldo, mas ao contrário de sua trajetória como treinador, Felipão teve apenas um título como atleta.

A única oportunidade veio em 1981, quando o então zagueiro venceu o Campeonato Alagoano com o CSA. Após a conquista do Estadual, Scolari decidiu pendurar as chuteiras e iniciar sua carreira como técnico, justamente no Azulão de Maceió. Apesar de não ser reconhecido como um jogador habilidoso, destacou-se pelo seu estilo aguerrido e de liderança, muitas vezes sendo capitão nas equipes por onde passou.

Maior vencedor do século XXI

05
Matthew Ashton – AMA/Getty Images
Matthew Ashton – AMA/Getty Images

De 2001 até os dias de hoje, Felipão teve a oportunidade de levantar 15 troféus, o que faz dele o técnico brasileiro com mais canecos desde o início do século XXI.

Isso inclui o Campeonato Brasileiro de 2018, a Supercopa da China de 2016 e 2017, Campeonato Chinês de 2015, 2016 e 2017, Liga dos Campeões da AFC de 2015, Copa das Confederações de 2013, Copa do Brasil de 2012, Campeonato Uzbeque de 2009, Copa do Mundo de 2002, Copa Sul-Minas de 2001. Esta é a razão pela qual Felipao possui uma enorme fortuna. Estima-se que ele tenha um salário de 4 milhões e um patrimônio de 20 milhões. E isso seria em dólar americano.

O maior da China

06
Visual China Group via Getty Images/Visual China Group via Getty Images
Visual China Group via Getty Images/Visual China Group via Getty Images

Dentre os técnicos brasileiros que se aventuraram no distante futebol chinês, Felipão foi, de longe, o mais vitorioso. Durante suas duas temporadas à frente do Guangzhou Evergrande, o comandante conquistou sete títulos. Além de um tricampeonato nacional, Scolari coleciona uma Copa da China, duas Supercopas e uma Liga dos Campeões da Ásia.

Após dois anos e meio à frente do Guangzhou, em reunião no dia 16 de outubro de 2017, o técnico brasileiro comunicou à diretoria do clube chinês que não renovaria seu contrato (que venceria dia 30 de novembro).

O técnico mais velho do Campeonato Paulista

07
Visual China Group via Getty Images/Visual China Group via Getty Images
Visual China Group via Getty Images/Visual China Group via Getty Images

Com 70 anos – sendo que 37 destes dedicados à vida de treinador – Felipão é o técnico mais velho entre os outros 11 comandantes da atual edição do Campeonato Paulista. O treinador chileno Jorge Sampaoli, do Santos, é o segundo na lista, com 58 anos.

Alguns ainda não sabem, mas Luiz Felipe Scolari é um gaúcho de Passo Fundo e nasceu em 9 de novembro de 1948 e também foi o mais velho treinador a conquistar um brasileirão.

Treinador do CR7

08
NICOLAS ASFOURI/AFP via Getty Images
NICOLAS ASFOURI/AFP via Getty Images

Você deve lembrar que entre os anos de 2003 e 2008, Felipão esteve no comando da Seleção Portuguesa. O treinador não só treinou CR7, mas também teve a oportunidade de acompanhar de perto o crescimento técnico do atleta que mais tarde ganharia, em cinco ocasiões, o prêmio de Melhor Jogador da FIFA.

Na verdade é considerado um dos responsáveis pela ascensão da carreira de Cristiano Ronaldo, pelo qual mantém grande amizade, tanto que, quando o pai do jogador faleceu, em 2005, poucas horas antes de um jogo entre Portugal e Rússia, foi Scolari quem contou sobre o falecimento.

Maior sequencia de vitórias em Copas do Mundo

09
Amin Mohammad Jamali/Getty Images
Amin Mohammad Jamali/Getty Images

Muito reconhecido no futebol internacional, Felipão ainda é o treinador com mais vitórias consecutivas em Copas do Mundo. Isso porque o gaúcho, natural de Passo Fundo, alcançou sete vitórias com a Seleção Brasileira na Copa de 2002 e acabou levando o título para casa.

Se você notou que esse número não é o recorde, acertou, pois ele só veio no mundial seguinte quando já comandando Portugal, o treinador conseguiu mais quatro triunfos seguidos, somando assim 11 sucessos ininterruptos.

Treinador com mais títulos da Copa do Brasil

10
Miguel Schincariol/Getty Images
Miguel Schincariol/Getty Images

Depois de conquistar quatro títulos da Copa do Brasil, Luiz Felipe Scolari se tornou o treinador mais vitorioso da competição. A primeira delas veio em 1991, quando ainda comandava o Criciúma. Mais tarde, em 1994, ergueu o troféu como técnico do Grêmio.

Quatro anos depois, em 1994, foi responsável por dirigir o Palmeiras, que se consagraria campeão daquela edição. O Alviverde voltaria a vencer o torneio em 2012, justamente com Felipão no comando técnico da equipe.

Professor

felipao1-590x379
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Luiz Felipe Scolari foi professor de Educação Física na Escola A. J. Renner, também conhecida como Escola Industrial, localizada no município de Montenegro, cidade localizada a, aproximadamente, 60 km de Porto Alegre. Naquela época, ele ainda não era tão famoso e dedicava-se intensamente às atividades educacionais.

Além disso, também foi professor de educação física na cidade de Caxias do Sul, em instituições como a Escola Estadual Cristóvão Mendonza e o Colégio La Salle Carmo. Curiosamente, um de seus alunos na escola foi um tal de Adenor Leonardo Bachi, o Tite.

Breve carreira

12
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Como assim breve carreira? Não seriam 37 anos como treinador? É verdade, mas estamos falando da carreira de jogador de futebol. Essa sim, foi breve. Apesar de tantas conquistas e fama como treinador, Felipão não é tão lembrado por sua carreira como jogador, até porque o reconhecido treinador atuou profissionalmente por apenas oito temporadas, entre 1973 e 1981. Caxias do Sul, Juventude, Novo Hamburgo e CSA foram quatro clubes em que Scolari atuou como zagueiro.

Família boa de bola

13
Gunnar Berning/Bongarts/Getty Images
Gunnar Berning/Bongarts/Getty Images

Scolari começou sua carreira futebolística um pouco tarde para os padrões de hoje em dia, aos dezessete anos, jogando nos juvenis do Aimoré, da cidade gaúcha de São Leopoldo. Seu interesse pelo futebol ocorreu por influência de seu pai, Benjamin Scolari, que, na sua época, também havia atuado como zagueiro no sul do Brasil.

Depois do Aimoré, transferiu-se para o Caxias, onde jogou por sete anos. Depois disso, jogou ainda por Juventude, Novo Hamburgo e CSA — neste último, conquistou seu único título como jogador, já no seu último ano de zagueiro: o Campeonato Alagoano de 1981.

CSA

14
NTONIO SCORZA/AFP via Getty Images
NTONIO SCORZA/AFP via Getty Images

Mostrando o mesmo estilo que o definiu como jogador, Scolari começou como técnico no próprio CSA, levando o clube maceioense ao título alagoano de 1982. Conforme já comentamos, foi pelo CSA que Felipão conquistou seu único título como atleta.

Após a primeira experiência como técnico, retornou à sua terra natal para passar por diversos clubes gaúchos. Com duas passagens pelo Juventude, uma por Brasil de Pelotas e Pelotas. Após conseguir destaque nas passagens pelo Juventude, onde realizou uma série de amistosos no Oriente Médio voltando invicto, com vitórias sobre grande clubes e até seleções daquele continente, foi para o Grêmio.

Indicação

15
EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images
EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Uma curiosidade bem interessante e que poucos parecem saber ou lembrar: Felipão foi convocado para dirigir pela primeira vez a Seleção Brasileira, em 2001, mas reza a lenda que o apresentador Milton Neves teria sido o responsável pelo técnico ter sido convidado para dirigir a Seleção. Ele, Milton Neves, conta que recebeu uma ligação do então dirigente da CBF, Ricardo Teixeira, querendo saber a opinião do jornalista sobre quem deveria ser contratado para o lugar de Emerson Leão.

Será que foi assim mesmo?

Milton Neves

16
ANTONIO SCORZA/AFP via Getty Images
ANTONIO SCORZA/AFP via Getty Images

Segundo o jornalista, foi assim que aconteceu: “O Ricardo Teixeira queria ouvir algumas pessoas para decidir quem colocaria no lugar de Émerson Leão, como técnico da seleção e estava na dúvida entre Felipão e Vanderlei Luxemburgo, meu desafeto. Eu respondi logo, ‘é Felipão’. O Teixeira disse que o meu voto foi de desempate e que ligaria em seguida para convidar o Felipão”.

Fato ou boato, a verdade é que Felipão foi o técnico da seleção brasileira, de 2001 a 2003.

Comendador

felipao-badge-br
Reprodução/Wikipedia
Reprodução/Wikipedia

Após a conquista da Copa de 2002, o treinador manifestou seu desejo de dirigir uma equipe europeia e, assim, deixou a Seleção Brasileira. Recebeu convite da Federação Portuguesa de Futebol para dirigir a Seleção local e, desde então, levou a equipe à final da Eurocopa de 2004, sendo derrotada pela Grécia no Estádio da Luz, em Lisboa.

Pelos resultados obtidos na competição, foi agraciado pelo então Presidente da República Portuguesa, Jorge Sampaio, no dia 5 de julho desse ano, com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.

Felipão contra o Brasil

18
JAVIER SORIANO/AFP via Getty Images
JAVIER SORIANO/AFP via Getty Images

Em partidas amistosas, Felipão dirigiu a Seleção Portuguesa contra a seleção do Brasil em duas oportunidades. Na primeira, em 2003, Portugal venceu por 2 a 1, na cidade do Porto. Em 2007, nova vitória portuguesa, desta vez por 2 a 0, em jogo disputado em Londres.

Após a eliminação frente à Alemanha na Eurocopa 2008, nas quartas-de-final, Scolari deixou a Seleção Portuguesa para assumir o comando do Chelsea, seu primeiro clube de ponta no futebol europeu.

Quase português

felipao-ao-lado-da-sua-esposa-252732
Reprodução/Web
Reprodução/Web

A vida pessoal de Felipão é bem tranquila. Casado com Olga Scolari, o treinador tem dois filhos, Fabrício e Leonardo, que completam a família do técnico. Leonardo e Fabrício não querem saber de futebol. O mais velho estudou direito na Universidade Lusíadas.

Durante sua temporada portuguesa, os Scolari rodaram de carro pela Noruega, Suécia, Dinamarca e República Tcheca. A amigos, ele não esconde: “Por mim, ficaria vivendo aqui. É melhor para a minha família, vivemos bem e com tranqüilidade”.