Conheça Os Melhores Goleiros Brasileiros De Todos Os Tempos

Muitos torcedores e fãs do futebol se orgulham em terem visto craques como Pelé, Zico, Romário, Ronaldo e Neymar jogando. Afinal, é comum um torcedor dar os créditos de uma conquistas histórica ou de uma vitoria inesquecível apenas aos atacantes, esquecendo um dos jogadores mais importantes: O goleiro.

Com suas defesas impressionantes, muitas vezes eles garantiram os títulos de seus clubes, e até mesmo da seleção, através de defesas de pênaltis ou cobranças de falta. Confira a seguir os melhores goleiros brasileiros de todos os tempos.

Marcos

marcos
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images
Buda Mendes/LatinContent via Getty Images

Vamos começar logo com uma polêmica: Marcos Roberto Silveira Reis, que chegou ao Palmeiras em 1992, é bom mesmo? Só em 1999, durante a Copa Liberadores da América ele se tornou titular. O jogador ganhou o apelido de São Marcos após as defesa do chute de Marcelinho Carioca na disputa de pênaltis contra o Corinthians.

Ele foi o goleiro titular da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo de 2002 sendo o único jogador da Seleção a não ser substituído em toda a competição pelo técnico Felipão, mas dizem que foi um “afago” do treinador já que ele atravessava uma má fase e o Palmeiras vinha mal e até acabou rebaixado naquele ano.

Leão

Leão
David Cannon/Allsport/Getty Images
David Cannon/Allsport/Getty Images

Famoso por seu temperamento explosivo, o goleiro colecionou títulos enquanto esteve no Palmeiras, entre eles os paulistas de 1972, 1974 e 1976, e os brasileiros de 1972 e 1973. Jogou 105 vezes pela seleção, sendo titular de 1971 a 1979. Foi reserva do grande Félix na Copa de 70 aos 20 anos de idade, e titular nas Copas de 74 e 78, permanecendo 457 minutos sem levar gols.

Após se aposentar nos campos, Leão também fez carreira como treinador sendo Campeão Brasileiro de 2002 pelo Santos.

Mazzaropi

mazza
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Geraldo Pereira de Matos Filho, mais conhecido como Mazzaropi, marcou a grande época do futebol carioca dos anos 70/80, já que jogou no Vasco da Gama de 1974 a 1984 tendo como rival ninguém menos que Cantareli, o arqueiro do maior inimigo, o Flamengo.

A alcunha é atribuída ao jogador Brito, que ao ver Geraldo chegando ao Club de Regatas Vasco da Gama com suas roupas simples, teria lhe chamado de Mazzaropi, nome de um humorista famoso na época e que se vestiria daquela maneira. Ah sim, ele é o detentor do recorde mundial ficando 1816 minutos sem levar gols.

Cantareli

canta
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Antônio Luís Cantareli, curiosamente nasceu em Além Paraíba, a mesma cidade de seu arquirrival, o goleiro Mazzaropi, do Vasco. Ele defendeu o Flamengo durante praticamente toda sua carreira, tendo somente uma rápida passagem pelo Náutico, em 1983.

Foi um importante jogador do Flamengo de 1973 a 1989. Defendeu o gol rubro-negro por 557 vezes e sempre foi um líder nos elencos. É o goleiro que mais atuou pelo clube. Em 2013 foi auxiliar técnico do Flamengo, tendo assumido a função após a efetivação de Jaime de Almeida como técnico.

Taffarel

taffa
PATRICK HERTZOG/AFP via Getty Images
PATRICK HERTZOG/AFP via Getty Images

Pela Seleção Brasileira, Taffarel tem o maior número de jogos de um goleiro da história. Foram 123 aparições, com 113 jogos pela seleção principal. Faturou a medalha de prata nas Olimpíadas de Seul 1988. Jogou também as Copas do Mundo de 1990 na Itália, 1994 nos Estados Unidos e 1998 na França. Seu grande ápice na Seleção Brasileira foi a campanha rumo ao título na Copa do Mundo de 1994, defendendo a cobrança de Daniele Massaro na disputa por pênaltis contra a Itália em plena final. Também disputou a final de 1998, perdida para a França, após defender dois pênaltis na disputa por pênaltis na semifinal contra a Holanda

Rogério Ceni

ceni
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images

Rogério Ceni é o jogador que mais vestiu a camisa de um clube na história do futebol mundial, batendo o recorde com 1117 partidas, superando Pelé, que vestiu a camisa do Santos em 1116 jogos.

O jogador coleciona outros recordes como o de maior goleiro-artilheiro da história do futebol mundial, o jogador que mais vezes foi capitão de uma mesma equipe e também o jogador que mais venceu por um mesmo clube na história. Só que seu ego parece ser maior uqe seu desempenho e, apesar de ter feito muitos gols, também levou muitos.

Dida

dida
Paolo Bruno/Getty Images
Paolo Bruno/Getty Images

O goleiro Nelson de Jesus da Silva começou a ganhar as graças dos fãs de futebol ao conquistar o tricampeonato brasileiro pelo Corinthians, quando na semifinal, defendeu dois pênaltis batidos pelo craque Rai.

Só que Dida fez história no Milan, time que defendeu por 10 anos e onde hoje é treinador. Lá ele conquistou a Super Copa Européia de 2003 e 2007, a Liga dos Campeões de 2002/03 e 2006/07, e o Mundial de Clubes da FIFA em 2007. Dida defendeu a seleção brasileira de 1995 a 2006.

Gilmar

gylmar
Emilio Ronchini/Mondadori via Getty Images
Emilio Ronchini/Mondadori via Getty Images

Gylmar dos Santos Neves ficou mais conhecido como Gilmar e além de ser bicampeão mundial pela seleção brasileira, é considerado até os dias atuais um dos melhores de todos os tempos em sua posição, por ter jogado em times lendários como o Corinthians da década de 50, o Santos da década de 60 e na Seleção.

Possui o privilégio de ter sido “campeão de tudo”, devido ao fato de ter ao menos um título em cada competição que disputou.

Gilmar

Gilmar_Rinaldi_CBF
Reprodução/Wikipedia
Reprodução/Wikipedia

Gilmar iniciou sua carreira no Internacional, em 1978, tendo feito parte do elenco colorado, tetra-campeão gaúcho de 1981 a 1984. Em 1985, transferiu-se para o São Paulo FC, aonde logo se firmou na posição de goleiro titular. Naquele mesmo ano, sagrou-se campeão paulista e, um ano mais tarde, conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro.

Aos 31 anos de idade, Gilmar retomou sua melhor forma e, em ótima fase, foi um dos destaques daquela equipe rubro-negra, que conquistou o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992, foi tão bem que acabou sendo convocado por Carlos Alberto Parreira, como terceiro goleiro, para a disputa da Copa do Mundo de 1994.

Félix

felix
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Félix Miéli Venerando, mais conhecido como Félix, foi campeão com a lendária Seleção Brasileira de Futebol no Copa do Mundo FIFA de 1970.

O jogador que começou nas nas divisões de base do Nacional, teve uma grande passagem pelo Juventus da Moóca ao se profissionalizar com apenas 15 anos. Pela Seleção Brasileira, a qual defendeu de 1965 a 1972, Félix disputou 48 partidas e foi o goleiro titular na conquista do tricampeonato mundial na Copa do Mundo de 1970.

Raul Plassmann

raul
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Raul Guilherme Plassmann, depois que parou de jogar, se tornou comentarista esportivo. Apesar de ter brilhado, tanto no Cruzeiro, como no Flamengo, disputou somente 17 partidas pela Seleção Brasileira, entre 1975 e 1980.

Esteve perto de participar da Copa do Mundo de 1982 aos 37 anos, no entanto, o treinador Telê Santana acabou optando pela convocação de Valdir Peres, Paulo Sérgio e Carlos, deixando-o de fora. Em 1987, iniciou a carreira de treinador à frente do Cruzeiro, mas sem sucesso.

Zétti

zetti
DMITRY KOSTYUKOV/AFP via Getty Images
DMITRY KOSTYUKOV/AFP via Getty Images

Armelino Donizetti Quagliato ficou mais conhecido como Zetti. Atualmente é treinador, mas está sem clube. Estreou no Palmeiras na derrota para o São Bento por 1–0, mas nesse mesmo jogo deu início a uma seqüência de 1238 minutos sem sofrer gols, a décima mais longa do mundo, que só seria interrompida pelo zagueiro Luís Pereira, do Santo André.

Nas semifinais do Paulistão tomou um “frango” incrível pelo meio das pernas, em falta cobrada pelo então jogador do São Paulo, Neto, mas continuou sendo querido pela torcida.

Júlio César

julio cesar
ODD ANDERSEN/AFP via Getty Images
ODD ANDERSEN/AFP via Getty Images

Júlio César Soares de Espindola, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira no ano de 2002, em 2003 foi convocado para a Copa das Confederações para ser reserva de Dida. Estreou como titular no ano seguinte, contra o Chile na Copa América de 2004.

Convocado para a Copa do Mundo de 2014 foi titular em todas as partidas da Seleção. Nas oitavas-de-finais da Copa do Mundo de 2014 contra o Chile, que terminou empatada no tempo normal, defendeu duas cobranças na disputa por pênaltis, e foi eleito o melhor jogador em campo. Entretanto, na semifinal contra a Alemanha, sofre sete gols e na disputa pelo terceiro lugar contra a seleção Holandesa sofreria mais três gols na derrota por 0–3.

Diego Alves

diego
MB Media/Getty Images
MB Media/Getty Images

Diego Alves Carreira se tornou o recordista de pênaltis defendidos na história do Campeonato Espanhol. Ao evitar o gol no pênalti de Alexander Szymanowski, do Leganés, ele ultrapassou Andoni Zubizarreta como o maior pegador de penalidades da história do torneio, com 17 defesas em 39 cobranças.

No retrospecto geral, tem mais êxitos nas cobranças de pênalti do que gols sofridos. Nas 54 cobranças de pênaltis contra ele, o resultado geral são 26 defesas, um chute contra ele pra fora e um na trave, as outras 26 foram convertidas em gols. Em 2 de outubro de 2017, defendeu sua primeira cobrança de pênalti pelo Flamengo, cobrado por Lucca, em jogo contra a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro.

Carlos

carlos
Reprodução/Web
Reprodução/Web

Carlos Roberto Gallo começou a carreira na Associação Atlética Ponte Preta em 1975, aos 19 anos. Na Seleção Brasileira, foi reserva na Copa do Mundo FIFA de 1978. Testado como possível titular no período de 1980 a 1981, foi terceiro reserva na Copa do Mundo FIFA de 1982. A partir de 1984, tornou-se titular absoluto do gol brasileiro, participando da Copa do Mundo FIFA de 1986 com destaque.

Continuou titular da Seleção até 1988, quando, transferido para a Turquia, perdeu espaço para Taffarel.

Waldir Peres

waldir
Mark Leech/Getty Images
Mark Leech/Getty Images

Waldir Peres de Arruda é considerado um dos mais importantes goleiros do futebol brasileiro. Defendeu o São Paulo de 1973 a 1984 e a Seleção Brasileira em três Copas do Mundo (1974, 1978 e 1982). Jogou nas décadas de 1970 e 1980, e foi considerado em boa parte desse tempo um dos melhores goleiros do Brasil.

Foi reserva nas Copas do Mundo de 1974 e 1978, sendo titular na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, onde era um dos destaques de um time que contava com Zico, Sócrates, Falcão e Oscar. Waldir Peres é o arqueiro com menor média de gols sofridos na seleção brasileira entre os que atuaram em Copas do Mundo.

Manga

manga
Central Press/Hulton Archive/Getty Images
Central Press/Hulton Archive/Getty Images

O pernambucano Haílton Corrêa de Arruda, mais conhecido como Manga foi, segundo a crítica especializada, um dos melhores goleiros da história do futebol brasileiro. É o jogador brasileiro que tem o recorde de participação em edições na Copa Libertadores.

Prestou até mesmo serviços de ídolo (embaixador) em festas de consulados e também exerceu a função de supervisor de treinadores de goleiros do Sport Club Internacional, até 2012. Atualmente vive no Equador, na cidade de Salinas.

Alisson

alisson
OLI SCARFF/AFP via Getty Images
OLI SCARFF/AFP via Getty Images

Alisson Ramses Becker, atualmente joga pelo Liverpool e foi o goleiro mais caro da história do futebol custando ao clube inglês 72,5 milhões de euros, mas poucos meses depois seu recorde foi superado por Kepa Arrizabalaga.

Em 2019, Alisson recebeu os prêmios de Luva de Ouro da Premier League, Melhor Goleiro da Copa América, Melhor Goleiro da UEFA, Melhor Goleiro do Mundo FIFA e o Troféu Yashin – Melhor Goleiro do Mundo pela France Football além de conquistar o troféu Samba de Ouro, dado ao melhor jogador brasileiro que atua na Europa.

Cássio

cassio
Sergei BobylevTASS via Getty Images
Sergei BobylevTASS via Getty Images

Juntando a experiência de 32 anos de idade sendo 8 de Corinthians com uma qualidade técnica primorosa, Cássio Ramos é provavelmente o maior pegador de pênaltis da atualidade. Essa é apenas uma característica de muitas do goleiro, que tem a seu favor dois títulos brasileiros, uma Libertadores e um Mundial.

Em 2007, recebeu a sua primeira convocação para a seleção principal, até então comandada pelo técnico Dunga. O goleiro, que atuava pelo Grêmio, foi convocado para a disputa dos amistosos contra Chile e Gana, após o corte do goleiro Hélton.

Deyvison

deyvison-goalie-br

E como nem só de passado vive o futebol brasileiro, as novas gerações nos trarão surpresas que pelo visto serão muito boas. Taí o Deyvison Silva que faturou o campeonato carioca série B2 de 2017 defendendo o time do Angra dos Reis, um belo exemplo das futuras gerações de craques que estão chegando por aí.

Assim como Deyvison, outros grandes atletas estão aguardando a oportunidade de brilhar e, quem sabe, nos presentear com mais alguns canecos nas próximas Copas do Mundo. Estaremos aguardando!