As Grandes Tragédias Do Esporte Mundial

Não são apenas os grandes eventos e decisões dentro de quadra que entram para a história dos esportes. Momentos trágicos também podem se tornam inesquecíveis para os torcedores e personagens envolvidos em diferentes modalidades esportivas.

Alguns acidentes e até mesmo crimes envolvendo atletas do mundo todo ficaram eternizados na história. Recentemente, mais um caso abalou o mundo. Dez jovens morreram em um incêndio no CT do Flamengo.

Como essas tragédias aconteceram? Quem são os culpados por trás de tantas mortes? Entenda esses momentos fatídicos do esporte mundial agora.

A maior tragédia da história do Flamengo

GettyImages-1095848368
MARIE HOSPITAL/AFP/Getty Images
MARIE HOSPITAL/AFP/Getty Images

No dia 08 de fevereiro de 2019, perto das 5h da manhã, chamas consumiram totalmente um container usado como dormitório pelas categorias de base do Flamengo.

A pior tragédia da história do clube carioca deixou dez mortos e três feridos. Todos os jovens tinham entre 14 e 16 anos. Autoridades do Rio de Janeiro trabalham com um problema no sistema de ar-condicionado do alojamento como principal hipótese para o ocorrido.

Local seria desativado

GettyImages-1095610018
CARL DE SOUZA/AFP/Getty Images
CARL DE SOUZA/AFP/Getty Images

O Ninho do Urubu fica localizado no bairro de Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O local é utilizado para treinamentos do elenco profissional e das categorias de base do Flamengo.

O Centro de Treinamento passou por uma reforma que terminou em novembro de 2018, com a inauguração de um módulo moderno para os profissionais. A ala utilizada pelos mais jovens já tinha data para ser desativada e demolida. Mas infelizmente não deu tempo.

Flamengo já viveu outra tragédia

maraca
Reprodução/Youtube
Reprodução/Youtube

Outro episódio trágico na história do futebol brasileiro, mas envolvendo torcidas. No dia 19 de julho de 1992, parte da grade de proteção da arquibancada do Maracanã cedeu antes da partida entre Flamengo e Botafogo, pela final do Campeonato Brasileiro daquele ano. Torcedores do Flamengo despencaram quase oito metros, atingindo quem estava embaixo. Mais de 80 pessoas ficaram feridas e três morreram. O acidente forçou o fechamento do estádio por sete meses. Após reforma, o local teve sua capacidade reduzida de 200 mil para 100 mil lugares.

Emiliano Sala morre em acidente aéreo

GettyImages-1085388730
Cardiff City FC/Getty Images
Cardiff City FC/Getty Images

O jogador argentino Emiliano Sala, 28 anos, morreu na queda de um avião monomotor, quando voava de Nantes, na França, para Cardiff, no Reino Unido. A aeronave desapareceu no dia 21 de janeiro de 2019 no Canal da Mancha, mas o corpo do atleta só foi achado alguns dias depois.

Antes do ocorrido, Sala chegou a enviar um áudio a amigos dizendo que estava com “medo” porque a aeronave parecia estar “caindo aos pedaços”. O atleta havia acabado de ter a transferência confirmada do Nantes para o Cardiff City FC – time que, apesar de representar a capital do País de Gales, joga a primeira divisão inglesa.

Morte precoce

ginasta
Ricardo Bufolin/CBG/Divulgação
Ricardo Bufolin/CBG/Divulgação

Também em 2019, a morte precoce de uma jovem ginasta brasileira comoveu todo o Brasil. Jackelyne Soares Gomes da Silva, de 17 anos, morreu no dia 16 de janeiro. A atleta estava internada na Unidade de Pronto Atendimento de Itaquera, em São Paulo, mas o motivo da morte não foi divulgado.

Ela fazia parte do time de ginástica artística do Pinheiros desde 2010 e defendeu a seleção brasileira nas categorias juvenis.

O assassinato do jogador Daniel

daniel
Divulgação/São Paulo
Divulgação/São Paulo

O morte do meia Daniel Corrêa de Freitas, abalou os bastidores do futebol brasileiro. O jogador de 24 anos pertencia ao São Paulo, mas estava emprestado ao São Bento de Sorocaba para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. No dia 27 de outubro de 2018, ele foi brutalmente assassinado e teve o corpo jogado em um matagal na área rural do município de São José dos Pinhais, localizado na região metropolitana de Curitiba.

Ele foi encontrado parcialmente degolado com o órgão genital cortado. A motivação para tal violência seria, segundo investigação policial, a fúria de um marido cuja esposa teria sofrido tentativa de estupro por parte de Daniel.

O pior acidente da história do futebol brasileiro

GettyImages-626505748
Leon Monsalve/LatinContent/Getty Images
Leon Monsalve/LatinContent/Getty Images

A queda do avião que transportava 77 pessoas, entre jogadores da Chapecoense, comissão técnica e jornalistas, comoveu não só o Brasil, mas todo o mundo. No dia da tragédia, considerada a maior do futebol brasileiro, a equipe de futebol de Santa Catarina viajava para disputar a final da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional.

No dia 2 de novembro de 2016, o jato LaMia atingiu uma montanha antes de chegar ao aeroporto da cidade de Medellín, na Colômbia, por falta de combustível. O acidente matou 71 dos 77 a bordo.

O mistério envolvendo Schumacher

5
ROLAND WEIHRAUCH/AFP/Getty Images
ROLAND WEIHRAUCH/AFP/Getty Images

O alemão Michael Schumacher sofreu um grave acidente de esqui nos Alpes Franceses, no dia 29 de dezembro de 2013. De acordo com as investigações, o ex-piloto descia uma das pistas do complexo de Méribel, juntamente com o filho Mick e alguns amigos, quando bateu com a cabeça fortemente em uma pedra e sofreu um severo traumatismo craniano.

Até hoje pouco se sabe sobre o real estado de saúde de Schumacher, sete vezes campeão de Fórmula 1. Desde o acidente, a família optou por manter o tratamento em segredo, além de deixar o ex-piloto longe dos holofotes.

Brasil de Pelotas perde três jogadores

claudiom
Divulgação/Brasil de Pelotas
Divulgação/Brasil de Pelotas

Em 15 de janeiro de 2009, um acidente envolvendo o ônibus que levava a delegação do Brasil de Pelotas deixou três pessoas mortas. O veículo caiu em um barranco enquanto levava o time gaúcho de volta para a cidade de Pelotas após um amistoso de preparação para o campeonato regional.

O preparador de goleiros Giovani Guimarães, o zagueiro Régis Gouveia e o ídolo uruguaio Cláudio Milar (foto) morreram no acidente. Os demais 28 passageiros ficaram feridos.

A morte de um craque

denner
Divulgação/Site oficial da Portuguesa
Divulgação/Site oficial da Portuguesa

No início dos anos 90, o meia-atacante Dener morreu em um acidente de carro no Rio de Janeiro, aos 23 anos e no auge da sua carreira de jogador de futebol. O veículo em que estava no banco de passageiro se chocou com uma árvore na Lagoa Rodrigo de Freitas.

A breve carreira de Dener começou em 1991, no time da Portuguesa. Dois anos depois, ele foi campeão gaúcho pelo Grêmio. No ano seguinte, conquistou a Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca) pelo Vasco. Ele era o mais alto investimento da equipe para buscar o tri carioca de 1994 e também estava na mira do técnico Carlos Alberto Parreira para a Seleção Brasileira que seria tetra nos Estados Unidos.

A tragédia de Hillsborough

Uma das tragédias mais lembradas em todo o mundo do futebol é a de Hillsborough. Aconteceu durante a semifinal da Copa da Inglaterra entre Liverpool e Nottingham Forest, em1989, no Estádio Hillsborough, em Sheffield (Inglaterra). Durante o jogo, 96 torcedores do Liverpool morreram pisoteados e outros 766 ficaram feridos. As causas da tragédia foram a sobrelotação do estádio, bem como o seu péssimo estado de conservação. Além disso, o local não cumpria as normas mínimas de segurança. Foi o maior desastre do futebol inglês e um dos maiores do mundo.

O pior super clássico da história

Em 23 de junho de 1968, no estádio Monumental, durante o superclássico River x Boca foi registrado o incidente mais grave na história do futebol argentino. Cerca de 90 mil pessoas tiveram acesso ao estádio para presenciar o empate de zero a zero entre as duas equipes. Ao tentar deixar o estádio, os visitantes não conseguiram sair pela famosa Porta 12. Mesmo 50 anos depois do acidente, se desconhece o motivo do incidente que causou 71 mortos e 113 feridos.

Os narcotraficantes saldaram as contas

O assassinato do zagueiro Andrés Escobar refletiu o que a sociedade colombiana vivia em 1994. Alguns torcedores consideraram Escobar culpado pela eliminação da Colômbia no Mundial dos Estados Unidos, naquele ano, pelo fato do jogador ter marcado um gol contra na partida diante os donos da casa. Ao retornar a Medellín, ele foi assassinado em frente a uma discoteca na cidade por dois homens ligados ao tráfico que respondiam a Pablo Escobar.

Intervenção militar

A tragédia de Port Said aconteceu no dia 1º de fevereiro de 2012 após um jogo entre o Al-Masry e o Al-Ahly no Estádio de Port Said, localizado no nordeste do Egito. Pelo menos 79 pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas depois de milhares de torcedores invadirem o campo para comemorar a vitória do Al-Masry por 3 a 1. Os militares da região tiveram que resgatar os visitantes em um helicóptero! O fato é considerado “o maior desastre da história do futebol egípcio”.

Massacre de Monique

Os Jogos Olímpicos de 1972 disputados na Alemanha foram um dos mais ameaçadores na história. Na madrugada do dia 5 de setembro daquele ano, oito árabes do grupo terrorista chamado “Setembro Negro” invadiram a vila olímpica, mataram dois membros da equipe de Israel e fizeram outros nove de reféns. O objetivo era conseguir a libertação de árabes presos em Israel. Implacável, o governo israelense se recusou a negociar. O que se seguiu, com a paralisação temporária dos Jogos e a morte de todos os reféns israelitas, ficou conhecido como o Massacre de Munique.

O desastre de Burden

A catástrofe que ocorreu em Bolton na Inglaterra, em 9 de março de 1946, causou a morte de 44 pessoas e deixou 500 feridos no Burden Park, estádio do time inglês Bolton Wanderers. “O desastre de Burden” aconteceu durante a Copa FA. As arquibancadas do estádio já estavam lotadas e mesmo assim pessoas continuavam chegando para assistir ao jogo válido pela sexta fase da competição. Duas divisórias das arquibancadas romperam-se devido à superlotação do local. Como resultado, centenas de espectadores caíram uns sobre os outros

Terror no futebol

Foram 50 vítimas do duplo ataque terrorista na cidade de Bagdá após a vitória do Iraque sobre a Coreia do Sul, em 25 de julho de 2007. Duas bombas foram detonadas naquela tarde. A primeira foi detonada de um carro bomba no bairro de Al Mansur, enquanto que o segundo atentado foi destinado a um controle do exército iraquiano em Al Gladir com o mesmo método. Mais uma triste tragédia.

Tragédia aérea de Monique

Outro dos fatos negativos que ficaram marcados na história do futebol é a tragédia aérea que atingiu o Manchester United em 1958. A aeronave do lendário time inglês tentou por duas ocasiões levantar voo, porém sem sucesso. Na terceira tentativa, a aeronave levantou voo, mas não o suficiente…

O avião acabou caindo na pista e atingindo uma residência. O acidente matou, dentre outros, oito jogadores da equipe. Naquele voo viajava o Sir Bobby Charlton, que foi um dos resgatados.

Desastre italiano

A partida entre Nápoles e Bolonha virou um cenário de guerra, após uma decisão polêmica da arbitragem. O juiz marcou um pênalti a favor do time visitante e isso provocou uma batalha entre os torcedores em 6 de novembro de 1955.Depois da decisão do juiz, não houve forma de tranquilizar os simpatizantes do Bolonha, que foram contrários à penalidade. Houve um confronto com a polícia e 152 pessoas perderam a vida, das quais 50 estavam uniformizadas.

Confronto de simpatizantes

Os fãs da Liverpool e da Juventus protagonizaram algo terrível em 29 de maio de 1985 na Bélgica. A tragédia do Estádio do Heysel aconteceu quando os dois times disputavam a final da Taça dos Campeões Europeus. O confronto entre fãs das duas equipes fez com que os italianos fossem encurralados próximos aos alambrados e consequentemente esmagados. Com isso, 39 pessoas acabaram mortes e centenas ficaram feridas.

Na época, a violência dentro dos campos de futebol estava no auge, com forte ação dos hooligans (torcedores ingleses). O ocorrido provocou uma série de mudanças de postura das autoridades, principalmente da Uefa, em relação à segurança dos estádios.

A volta não foi possível

No dia em 24 de agosto de 2008, poucos minutos depois de decolar, o avião da companhia Itek-Air apresentou um problema que obrigou ao piloto a iniciar o retorno ao aeroporto. Mas ele não conseguiu realizar a manobra com sucesso e a aeronave acabou caindo, deixando 10 integrantes do time de vôlei iraniano mortos. No total, 68 dos 90 ocupantes do avião acabaram morrendo por conta do grave acidente aéreo.

Morte súbita I

Com 24 anos, o jogador de futebol húngaro Miklós Feher foi protagonista de uma das tantas mortes súbitas que acometem os esportistas. O fato ocorreu em 25 de janeiro de 2004, quando o seu time, o Benfica, disputava uma partida contra o Vitoria Guimarães pela competição nacional. Naquela ocasião lamentável, o atacante teve um mal súbito em campo aos 90 minutos de jogo. Minutos depois confirmou-se o pior: ele estava morto.

320 falecidos em Lima

No Estádio Nacional de Lima, no dia 24 de maio de 1964, Peru e Argentina se enfrentaram em uma partida classificatória para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Após um gol anulado contra o time local, começou um desentendimento no gramado em recriminação ao juiz. Os policiais realizaram a interceptação com uso de cães e neutralizaram o conflito. Uma versão indica que a polícia local começou a bater nas pessoas que haviam invadido o gramado, e que isso incentivou outras pessoas a começarem a destruir as instalações. Os seguranças responderam com gás lacrimogênio.

Batida de aviões

Foi em 11 de agosto de 1979 que aconteceu o impensado, aquilo que somente vemos nos filmes: dois aviões se chocaram. Em um deles transportava o time de futebol Pakhtakor Tashkent, do Uzbequistão, que fazia a rota Tashkent-Donetsk-Minsk sobre a antiga União Soviética. A equipe estava a caminho para disputar o jogo contra o Dínamo Minsk. Em sua totalidade, foram 78 as vítimas fatais, dos quais 17 eram jogadores.

Distúrbios com intervenção policial

O simples fato de usar uma camisa diferente de outro torcedor pode causar uma verdadeira tragédia. Foi isso que aconteceu no encontro entre Asante Kotoko e Hearts of Oak. Fãs das suas equipes se envolvessem em uma briga aos 9 de maio de 2001, em Acra, Gana. De acordo com as testemunhas, a ação policial foi violenta e contribuiu para os excessos. As consequências? 130 pessoas perderam suas vidas.

Avião destroçado

A queda da aeronave iraniana, Caspian Airlines, resultou em destroços por 200 metros quadrados em torno do local onde acabou colidindo. Os responsáveis pela empresa aérea disseram que houve uma tentativa de realizar uma aterrissagem de emergência por conta da dificuldade técnica. Porém, aquele problema em 15 de julho de 2009 ocasionou 168 mortos. No voo estavam oito membros da equipe nacional de judô juvenil do Irã, dois treinadores e um chefe da delegação. Eles iam treinar com a equipe armênia antes de ir a uma competição na Hungria.

A morte de Ayrton Senna

O trágico fim do piloto brasileiro Ayrton Senna gerou uma forte comoção em todo mundo, não só no automobilismo. Ainda é possível recordar quando, em 1º de maio de 1994, Senna colidiu contra um bloco de concreto a mais de 200 quilômetros por hora. Após o acidente, o ídolo brasileiro foi deslocado de helicóptero para atendimento, mas teve sua morte confirmada no hospital de Bolonha. Naquele dia, não foi difícil encontrar pessoas com os rostos cheios de lágrima pelas ruas do Brasil.

Do gelo à água

O time profissional russo de hóquei no gelo foi vítima de uma fatalidade em 7 de setembro de 2011. Os integrantes estavam todos a bordo do avião de linha Yak-Service, quando o aparelho sofreu uma pane. Nunca foi possível averiguar o que aconteceu de fato. O que se sabe é que a aeronave acabou afundado em um lago na região de Yarosvlav, Rússia, e que 45 passageiros estavam a bordo; destes somente 2 sobreviveram.

A mancha de Ibrox Park

Em 5 de abril de 1902 aconteceu uma das primeiras tragédias das que se tem registro. No estádio Ibrox Park de Glasgow, Escócia, havia uma disputa entre a seleção local e a Inglaterra. Os alambrados de madeira não foram suficientes para suportar as 68 mil pessoas que estavam presentes,e cederam por causa da pressão. No total, 25 fãs morreram e outros 500 saíram feridos, no acontecimento que marcou toda uma cidade.

Tragédia nacional

Poderíamos dizer que esse desastre está mais para o âmbito capitalista do que para o esporte? O estádio Mateo Flores de Guatemala recebeu 46 mil pessoas, enquanto a capacidade era para apenas 38 mil. O desejo de assistir ao jogo entre a Costa Rica e o time local, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo na França em 1998, resultou na morte de 83 pessoas e mais de 200 feridos.

Morrem dois gênios do automobilismo

Os pilotos ingleses Graham Hill e Tony Brise, ambos da Fórmula 1, perderam suas vidas em 29 de novembro de 1975, quando o avião em que estavam se chocou contra a terra na cidade de Barnet, Reino Unido. No voo também viajavam dois mecânicos que eram seus companheiros. Eles viajavam após equipe testar no circuito francês de Paul Ricard. Esse dia entrou para a história do automobilismo de forma trágica.

Gol mortal

Para comemorar as festas de fim de ano em 2 de janeiro de 1971, aconteceu em Glasgow, Escócia, um jogo clássico entre os Rangers e o Celtic. Aproximadamente 85 mil pessoas compareceram e o estádio ficou lotado. O 0x1 fez com que os torcedores do Rangers deixassem o estádio de forma antecipada. Porém, a poucos segundos do final, aconteceu o empate, e muitos decidiram retornar, causando um grande alvoroço. Foram registradas 66 vítimas nesta tragédia.

Morte súbita II

A disputa entre Colômbia e Camarões por uma vaga na Copa das Confederações de 2003 não teve tanta importância até que meio-campista camaronês Marc-Vivien Foe caiu no gramado, causando pânico em todos os presentes. O jogador sofreu uma ruptura de uma veia no cérebro e acabou falecendo em campo. Apesar das várias tentativas de reanimação, nada fez com que ele voltasse a esse mundo. Na época, ele estava com apenas 28 anos.

A fatalidade que afetou dois esportes

Mais uma tragédia aérea envolvendo grandes atletas do mundo. Em 15 de fevereiro de 1970, integrantes de dois diferentes esportes perderam suas vidas em um acidente. Ao retornar de um torneio na República Dominicana, a maioria dos integrantes da seleção feminina de voleibol, juntamente com o campeão de peso leve Carlos Teo Cruz, perderam suas vidas. O avião em que eles estavam caiu no mar e matou no total 104 pessoas.

Superpopulação em um estádio

Os andaimes do estádio de Zamalek não puderam sustentar os 80 mil espectadores que ali estavam para assistir ao jogo e foram abaixo. Mais uma cena lamentável! Foi assim que aconteceu o desastre de 11 de fevereiro de 1974 no Cairo, Egito. Embora os torcedores tenham dobrado em número em relação à quantidade permitida, o árbitro decidiu começar o encontro, que deixou 48 mortos e cerca de 47 feridos. Faltou mais prudência?

Tragédia dos Andes

Em 13 de outubro de 1972, o time de rugby Old Christians, seus amigos, familiares e associados viajavam para o Chile para competir quando o avião fretado pelos uruguaios perdeu o controle e chocou-se contra a cordilheira dos Andes. Daquele trágico episódio, 16 pessoas sobreviveram. Mas não foi nada fácil. Eles só foram resgatados depois de 72 dias desaparecidos. O caso ficou conhecido como Tragédia dos Andes ou Milagre dos Andes.

Tragédia de Luzhniki

Em 20 de outubro de 1982, aconteceu uma avalanche no estádio Lenin de Moscou durante a partida entre Spartak Moscou e o Haarlem, da Holanda, que terminou com a morte de 66 pessoas. Aqueles que testemunharam o jogo disseram que os anfitriões marcaram um gol falando poucos minutos para o final e isso fez com que os torcedores voltassem, visto que já tinham deixado o estádio por conta do frio. A reentrada desses torcedores causou amontoamentos e asfixia geral.

Patinação rumo à morte

Quando parecia que o voo chegava ao seu destino sem qualquer inconveniente, o Boeing-707 que transportava a seleção estadunidense de patinação se chocou contra a pista. O trajeto de Nova Iorque para Bruxelas, na Bélgica, tinha sido normal, mas ao realizar a descida, naquele 15 de fevereiro de 1961, tudo aconteceu da pior forma. O avião caiu durante a abordagem para a aterrissagem. Todos as 72 pessoas a bordo acabaram morrendo, com mais uma pessoa em terra, um agricultor atingido por destroços da aeronave.

Fogo!

O estádio de Bradford City da Inglaterra recebia o time local e o Lincoln City da terceira divisão, em 11 de maio de 1985, quando um trágico imprevisto aconteceu. Durante a partida uma ponta de cigarro mal apagada iniciou o incêndio nas placas de madeira. Alguns instantes depois, toda a arquibancada principal estava tomada por chamas. A cena dos torcedores correndo como podiam do fogo é chocante e marcou o futebol inglês. A tragédia vitimou 56 pessoas.

Ataque político

Uma viagem de ônibus em território hostil provocou duas mortes, no dia 8 de janeiro de 2010, em Angola. A tragédia aconteceu com a seleção de Togo, que estava disposta a enfrentar os times locais através da Copa África. O ataque surpresa foi um baque para a guerrilha separatista da FLEC (Frente para a liberação da Enclave de Cabinda –província de Angola-). Incrivelmente, mesmo após a tragédia, o jogo continuou.

Expectativa demasiada

O futebol em continente americano vive com mais fervor que na Europa, e isso teve um impacto negativo em 25 de maio de 1985. Nessa data enfrentaram-se os times de Puma de UNAM e o América. A expectativa pela final fez com que o estádio Olímpico Universitário ficasse lotado por 90 mil pessoas. A imensa massa que esteve presente provocou a morte de 11 pessoas e deixando aproximadamente 50 feridos, visto que muitas pessoas caíram nas valas.

Tragédia que levou a uma Guerra Civil

A tragédia foi desencadeada quando um grupo de pessoas tentou atacar o presidente Mohamed Siad Barre no estádio de Mogadishu, na Somália. O segurança do presidente disparou contra os agressores e agitou a multidão, causando pânico e desespero entre os presentes. A grande confusão custou a vida de 62 pessoas deixando mais de 200 feridos. O fato foi uma das causas que desencadeou uma guerra civil após esse julho de 1990.

Improviso mortal

A festa que foi preparada no Stade Armand Cesari, principal estádio de futebol da Córsega (França), não saiu como se esperava. A disputa pela Copa da França entre o Olympique de Marsella e o Bastia era uma partida tão esperada que foi improvisada uma arquibancada extra para aumentar a capacidade do estádio. Esta arquibancada improvisada caiu e custou a vida de 18 pessoas em 5 de maio de 1992. Hoje é conhecida como tragédia de Furiani.

Causa não resolvida?

Existem duas versões que explicam o ocorrido em 29 de março de 2009, durante o jogo entre Costa do Marfim e Malawi, no estádio Félix Houphouet, válido pelo torneio classificatório para a Copa da África do Sul 2010. A primeira delas destaca que o excesso de pessoas nas arquibancadas provocou asfixia nos torcedores. Por outro lado, também acredita-se que a queda de um muro foi o que provocou o amontoamento. O que ficou claro foram as 22 mortes no evento. Lamentável!

Direção fatal

O desastre de Le Mans! Em 11 de junho de 1995, aconteceu a pior tragédia da história do automobilismo. Um grave acidente durante a 23ª edição das 24 Horas de Le Mans matou, de acordo com números oficiais, 83 espectadores e o piloto francês Pierre Levegh. Outros 120 ficaram feridos. Na ocasião, os carros envolvidos no acidente atingiram vários espectadores que estavam nas arquibancadas do evento. Uma corrida jamais esquecida.

Avião caído

A tragédia aconteceu em 8 de dezembro de 1987. O que deveria ser uma simples viagem interna para enfrentar o Desportivo Pucallpa, acabou em tragédia. Poucos se recordarão do 1×0 conquistado, visto que na viagem de volta, a quilômetros do aeroporto de Lima, o charter que transportava os jogadores do Alianza caiu no Oceano Pacífico. Somente o piloto saiu com vida. Já os demais 43 passageiros faleceram no grave acidente.

Morte súbita III

Em 25 de agosto de 2007, o clube Sevilla viveu em seu estádio, o Sánchez Pizjuán, um de seus piores momentos. O lateral esquerdo Antonio Puerta desmaiou aos 28 minutos de bola rolando por conta de uma parada cardiorrespiratória durante a partida contra o Getafe. Embora os médicos tenham conseguido reanimá-lo e ele tenha saído de pé do campo, Puerta acabou morrendo. Após 36 horas, ele sofreu cerca de 15 desmaios e morreu.

A desgraça de Viloco

A Tragédia de Viloco aconteceu no dia 26 de setembro de 1969, quando um avião que transportava os jogadores do time de futebol boliviano The Strongest caiu em Viloco, a 70 quilômetros a sul de La Paz, na cordilheira andina Tres Cruces, região montanhosa e de difícil acesso. No acidente aéreo morreram 74 pessoas, incluindo 17 jogadores. Em homenagem, o The Strongest construiu um mausoléu para as vítimas do acidente.

Drama aéreo

A seleção africana da Zambia é outra das que infelizmente integram a lista de tragédias desportivas. Em 27 de abril de 1993, o avião que transportava o time caiu no Oceano Atlântico, nas proximidades de Libreville, capital do Gabão. Todos os 25 passageiros (destes, 18 jogadores da Seleção Zambiana de Futebol) e os cinco tripulantes morreram.

Uma notícia publicada em 2003 atribuiu o acidente a um erro do piloto em manejar uma luz de advertência com problemas e também ao cansaço dele.

Catástrofe de Superga

O acidente de Superga aconteceu em 4 de maio de 1949. No regresso de uma viagem a Lisboa, depois de um jogo amistoso contra o Benfica, o avião que transportava o Torino caiu junto à Basílica de Superga, na cidade de Turín. A fatalidade resultou na morte de 31 pessoas. Morreram 18 jogadores, dois técnicos, dois dirigentes e três jornalistas. Na época, o time de Torino era considerado uma máquina imparável. Tricampeão da Itália entre o ano 45 e o 49, o clube teve um capítulo triste em sua história.