Trajetória De Anderson Silva: Do Topo A Aposentadoria

Qualquer um que tenha a mínima familiaridade com MMA no Brasil, e até no mundo, já ouviu falar de Anderson Silva. O talentoso atleta teve uma ascensão arrebatadora e impressionou o mundo das artes marciais com sua agilidade e potência.

Da mesma forma como impressionou a todos pela maneira como destruiu seus adversários dentro do octógono, outros episódios não tão felizes também foram muito marcantes. Confira essa lista de fatos e curiosidades que marcaram a carreira de Anderson.

Talento nos esportes de contato

Nascido na cidade de São Paulo e radicado em Curitiba, desde sua infância, Anderson mostrou aptidão para as artes marciais, quando começou a treinar Taekwondo com apenas 5 anos de idade. Aos 18 já havia se tornado faixa preta no esporte. Já mostrava a que tinha vindo?

Lutar ou jogar futebol?

Anderson Silva também conquistou faixas pretas no Jiu-jitsu e no Muay Thai. O que muitos não sabem é que antes de se dedicar ao Muay Thai, Anderson tentou ser jogador de futebol. Conseguiu um teste no Corinthians, porém se atrasou, e perdeu a oportunidade de se destacar em campo, mas chamou atenção do treinador de boxe do clube, que o chamou para treinar. Terá sido sorte ou destino?

Início no MMA

Provavelmente você ouviu falar em Anderson Silva por conta de alguma de suas participações no Ultimate Fighting Championship, ou UFC, como é mais conhecido. Porém a carreira de Anderson no MMA iniciou muito antes disso, em 1997, competindo em um torneio local e de menor prestígio na cidade de Lençóis Paulista, torneio do qual acabou consagrando-se campeão. Quem diria?

Outros Torneios

Após ser introduzido no mundo do MMA profissional, Anderson teve participações no Mecca, evento que era bastante popular no início dos anos 2000. Foi em 2001 que Aranha conquistou seu primeiro cinturão de um evento de maior porte, no Shooto, ao lutar pela categoria dos pesos médios, derrotando o japonês Hayato Sakurai. E isso era só o começo…

Pride e Cage Rage

Em junho de 2002 Anderson Silva teve sua estréia no Pride, iniciando uma sequência de 3 vitórias sólidas seguidas. Na edição de número 26 do Pride, em 2003, Anderson acabou sendo derrotado por finalização, mas não baixou a cabeça, e em 2004 fazia sua estréia no Cage Rage 8 em Londres, na Inglaterra. Pra cima deles, Anderson!

Tropeços e Conquistas

Antes de sua estréia no UFC, Anderson conquistou seu segundo cinturão dos pesos médios de expressão internacional ao vencer o Cage Rage 8. Aranha ainda teve outras participações no Cage Rage durante os próximos 2 anos que seguiram, além de uma impressionante derrota com uma chave de calcanhar voadora, aplicada pelo japonês Ryo Shonan, durante o Pride Shockwave em 2004.

Início no UFC

No dia 28 de junho de 2006 Anderson Silva estreiou no UFC, na luta que seria a mais rápida de sua carreira, conseguindo o nocaute e a vitória sobre Chris Leben, aos 49 segundos do primeiro round. Após a estréia arrasadora, Anderson lutou contra o então campeão dos pesos médios Rich Franklin, conquistando mais uma vitória, e mostrando ao mundo o que o Aranha era capaz, e iniciando assim seu legado histórico.

Cinturões e Vitórias Históricas

Após vencer Rich Franklin e ficar com o cinturão da categoria, Anderson iniciou uma série de vitórias no UFC, e em 2008, durante o UFC 82, venceu sobre o campeão do Pride Dan Henderson, conquistando então a unificação dos títulos. Outra luta importante para Anderson em 2008 foi contra James Irvin, marcando sua estréia em uma nova categoria, a dos meio-pesados, também com vitória.

Atuações Apagadas

osh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Durante o UFC 97, Anderson Silva bateu o recorde de maior número de vitórias consecutivas no evento, com 9 conquistas seguidas. Durante essa luta contra Thales Leites, Anderson teve uma atuação apática, e foi criticado por muitos por sua falta de objetividade e sua atitude impertinente, tentando irritar o oponente com a guarda baixa e dançando à sua frente. Muito polêmico…

Críticas ao Spider

Outra atuação polêmica de Anderson Silva, e que foi bastante atacada pela mídia, e até mesmo pelo dono do UFC, Dana White, foi durante o UFC 112 contra Demian Maia. Nesta luta Anderson chegou a ser advertido pelo juiz por sua conduta desleixada e por dar a impressão de que não estava lutando pra valer. Não era o Aranha que estávamos acostumados…

Massacrado e Vitorioso

Em 2010, durante o UFC 117, Anderson Silva foi destruído por seu adversário Chael Sonnen, num duelo que, de acordo com estatísticas de computador, rendeu mais pancadas em Anderson do que ao longo de toda sua carreira. Apesar do massacre e da costela trincada que sofreu, Anderson acabou vencendo a luta no round 5 ao conseguir encaixar um triângulo de braço e finalizar Sonnen.

Luta Histórica

A luta de defesa do cinturão contra Chael Sonnen durante o UFC 117 mudou a carreira de Anderson Silva e o andamento do UFC de maneira definitiva. Após as atuações sem graça de Anderson nas lutas anteriores, o UFC resolveu botar o cara mais casca-grossa que encontrou para enfrentá-lo como uma forma de punição. A estratégia funcionou, e proporcionou uma das mais marcantes e difíceis vitórias da carreira do Aranha.

Silva vs Belfort

Outra luta marcante de sua carreira, foi o duelo de titãs brasileiros Anderson Silva contra Vitor Belfort, durante o UFC 126 em 2011. Esperada por muitos, a luta do queridinho do UFC brasileiro, Vitor Belfort, contra Anderson acabou rendendo o título de nocaute do ano e vários memes na internet. A luta foi de trocação direta e culminou com Anderson encaixando um forte chute no rosto de Vitor, que caiu nocauteado. Baita nocaute!

Provocações e Show

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Chael Sonnen conseguiu sua luta de revanche contra Anderson durante o UFC 148 em 2012. Antes da luta o clima foi pesado, com provocações e desrespeito por parte do americano, que tentava desestabilizar Anderson psicologicamente. Sua estratégia acabou não dando certo, já que Anderson conseguiu encaixar uma boa joelhada em Sonnen, e finalizou o serviço com uma série de socos que levaram o adversário à nocaute.

Tapa de Luva

Após todas as provocações de Chael Sonnen antes da luta, e da avassaladora vitória de Anderson, o Aranha aproveitou a oportunidade para defender sua honra e de todos os brasileiros, e lançou: “Não tenho nada contra ele. Ele desrespeitou meu país, mas tudo bem. Isso é um esporte. Vamos mostrar que no Brasil todo mundo é educado. Vamos aplaudi-lo. Se você quiser fazer um churrasco lá em casa, está convidado. Minha mulher vai fazer para a gente”, completou em tom de ironia.

Fim do Reinado

Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Após Anderson Silva menosprezar e recusar lutar contra o norte-americano Chris Weidman algumas vezes, afirmando que o lutador não teria experiência suficiente, a luta finalmente foi marcada. O confronto se deu em julho de 2013 durante o UFC 162, e certamente fez Anderson se arrepender das declarações orgulhosas que deu antes da luta, pois veio a ser nocauteado, perdendo o cinturão. Uma grande decepção para os brasileiros, que já criticavam Anderson por lutas anteriores e seu mau comportamento.

Primeiro Nocaute

Após 17 vitórias seguidas e 10 defesas de título consecutivas, Anderson Silva foi nocauteado pela primeira vez na carreira, ao perder o cinturão para Chris Weidman. Anderson foi derrubado e castigado no primeiro round, e quase foi pego em uma chave de pé. Mesmo assim Anderson provocava Weidman com excessivas fintas, esquivas e contatos verbais. No segundo round, Anderson continuou com as provocações, mantendo a guarda baixa, e até fingindo estar tonto, porém errou em uma esquiva e foi acertado em cheio por um cruzado de esquerda que o derrubou.

Derrota Pesada

Após a derrota para Chris Weidman, Anderson Silva chegou a mencionar uma aposentadoria, tamanha a decepção e surpresa ao ser nocauteado. “Não quero a revanche, o Chris é o campeão agora. Todo mundo precisa respeitá-lo. Não luto mais por cinturão. Venho trabalhando duro por muito tempo. Preciso relaxar, ficar com minha família. Isso é uma aposentadoria? Talvez. Agora meu foco é voltar para casa.”, comentou Silva, com discurso e aparência bem abalada.

A Revanche

Na semana seguinte da luta contra Weidman, o presidente do UFC, Dana White, confirmou uma revanche de Anderson para dezembro de 2013, classificando como “A maior luta da história do UFC”. Na luta Anderson estava sendo completamente dominado pelo americano, até que no segundo assalto, Silva soltou um chute lateral baixo, e Weidman ao se defender usando sua perna, acabou quebrando a perna de Anderson. A luta acabou ali, pela impossibilidade de Anderson seguir lutando, e a vitória novamente ficou com Weidman. A cena foi chocante!

A primeira Vítima

Logo após épica estreia no UFC, os amantes do esporte queriam mais. Exatamente um ano após arrasar o norte-americano Rich Franklin, Anderson aceitou a revanche e novamente subiu no octógono. Em sua segunda defesa de cinturão, o brasileiro não deu chances ao seu oponente, vencendo com propriedade e praticamente aposentando Rich Franklin.

Adversários Brasileiros

O histórico de Anderson Silva diante de compatriotas é impressionante. Desde que iniciou a carreira profissional em 2000, ele jamais perdeu para um adversário brasileiro. Imbatível em todas suas apresentações, o Spider enfileirou triunfos contra grandes nomes da história do MMA como Demian Maia e Vitor Belfort.

O Recordista

Apesar de deixar o trono de melhor lutador do UFC há alguns anos, Anderson ainda “continua no topo”. Até hoje, nenhum lutador chegou perto das marcas alcançadas pelo brasileiro, 10 defesas de cinturão, 22 vitórias por nocaute e 4 por finalização, números de uma verdadeira lenda do UFC. Quando estava no auge da carreira, Anderson disse: “Neste momento as marcas não me interessam, quero apenas conquistar meus objetivos: vencer, vencer e vencer”.

Cartel de Respeito

Desde a estreia em 2006 até ser nocauteado em 2013, a palavra derrota não fazia parte do vocabulário do Spider. A última derrota aliás, aconteceu meses antes da estreia no UFC, Anderson Silva acabou desqualificado ao desferir um golpe não permitido no japonês Yushin Okami. A partir daquele momento, Anderson jamais deixou o octógono derrotado.

Anderson: Como Água

Durante a preparação para a histórica luta diante de Chael Sonnen, os assessores do brasileiro resolveram acompanhar cada passo do lutador. Os treinos, o dia a dia com a família, absolutamente tudo foi filmado. Após o triunfo contra o norte-americano, o staff aproveitou o ótimo material que tinha em mãos para lançar o documentário: Anderson Silva, como água. A produção reúne além dos bastidores da luta, depoimentos de lutadores e fãs. Vale a pena conferir!

Anderson “Spider” Silva

Quando ainda era uma criança, Anderson já gostava de ação. Fã declarado do homem aranha, ele não queria ser outro super herói quando brincava com os amigos na infância e até “incorporava” o personagem dos quadrinhos e do cinema, quando “escalava” as parede de casa. Em entrevista ao site oficial do UFC, ele foi direto ao dizer quem era seu herói. “Homem Aranha”. O apelido surgiu após ele imitar uma aranha ao entrar no octógono antes de todas as lutas.

Aprendiz Famoso

Quando deixar definitivamente o mundo das lutas, Anderson terá uma nova profissão. Atualmente está ele cursando educação física e pretender dar aulas. Apesar de estar com 42 anos de idade, garante que está motivado e feliz por ter um plano B, após abandonar a arte marcial. Pelo menos os seus cinco filhos poderão contar com um personal trainer de respeito!

O Primeiro Emprego

AP Photo/Felipe Dana

Em sua adolescência lutar, não era sinônimo de ter um emprego. Hoje os dias são de glória e fama, mas Anderson teve que ralar muito e lutar pelo seu sonho. O lutador trabalhou como auxiliar administrativo e no famoso restaurante de fast-food, o MC Donald’s. Naqueles tempos, a fome do Spider não era apenas de vitórias, os lanches mantinham a dieta do futuro fenômeno.

Sonho Realizado

Anderson realizou o sonho de lutar na principal categoria das artes marciais, o UFC. Em entrevista ao site oficial, disse estar feliz por cumprir seu papel e deixar um legado para as novas gerações: Minha equipe e eu estamos muito animados por termos participado da história do UFC. Treinei duro para marcar presença nos Estados Unidos e no resto do mundo”.

O Estilo Preferido

A história de nocautes impressionantes em poucos segundos contrasta com a preferência de Anderson por encerrar com seus combates. O brasileiro gosta da luta em pé, mas suas épicas vitórias aconteceram por finalização. Faixa preta de jiu-jitsu, Anderson não dava chances aos adversários quando a luta acontecia no chão, era impossível escapar das “garras do Spider”.

Rápido e Rasteiro

Anderson lutou profissionalmente em 42 oportunidades, foram 34 vitórias e 8 derrotas. Esses números expressivos já impressionam, mas a maneira como as vitórias aconteceram são fantásticas. O brasileiro precisou apenas do primeiro round para vencer 27 lutas. Em apenas 7 oportunidades foi necessário o segundo round para o Spider vencer os combates. Vale ressaltar que as lutas do UFC têm por regra 3 rounds, quando a disputa vale cinturão, são cinco rounds. As apresentações de Anderson realmente valiam o ingresso!

Engordando a Conta Bancária

ANDERSON_BONUS-33203.jpg

Os lutadores do UFC possuem contratos e recebem bons salários. Além disso, antes de subirem no octógono, eles ganham “mimo” em dinheiro, as chamadas bolsas de luta. Um combate pode render até um milhão de dólares. O bônus por nocaute ou melhor luta da noite, é outra forma de ganhar dinheiro no UFC. Em sua carreira, Anderson conquistou o “bônus luta” em 13 oportunidades. Estimasse que o Spider já tenha levado para casa mais de 20 milhões de reais.

Mudança de Categoria

O sucesso ou mesmo a falta de adversários em sua categoria, fez com que o brasileiro topasse um novo desafio. O Spider deixou a categoria meio médio para subir ao meio-pesado, mas foram apenas três lutas, com duas vitórias e uma derrota. Forrest Griffin e Stephan Bonnar sentiram a mão pesada do brasileiro. Já Daniel Cormier (atual campeão da categoria) não deu chances a Anderson. Com dificuldades de ganhar peso, ele retornou a categoria meio médio.

Vitória por Pontos

Quando venceu o também brasileiro Thalles Leite, Anderson teve que disputar os três rounds. A vitória por pontos não acontecia desde 2004, quando também por decisão dos juízes, superou o britânico Lee Murray. O brasileiro sempre evitou entrar em polêmicas ao comentar sobre lutas decididas por juízes, segundo ele, está não é uma forma justa de apontar o vencedor.

Aposentadoria?

Em uma profissão “comum”, 42 anos de idade não é o momento para pensar em aposentadoria, para Anderson Silva também não. Ele não pensa em deixar o UFC, prova disso é que recentemente assinou um contrato que prevê a realização de 10 lutas (o valor foi pago adiantado). Caso rompa este acordo, o Spider deverá pagar uma multa milionária à organização. Apesar de escândalos de doping e derrotas, o melhor a fazer é cumprir o contrato!

Lenda do UFC

O hall da fama do UFC possui verdadeiras lendas e Anderson Silva está entre elas. Com uma carreira brilhante, ele chegou ao topo e permaneceu por muitos anos com estilo único e inovador. Apesar da atual fase não ser boa, o brasileiro escreveu o nome na história do MMA e está no mesmo patamar de lutadores como: Royce Gracie, Tito Ortiz, BJ Penn, Brock Lesnar e Chuck Liddell. Tem que respeitar o Spider!

Saudades do Octógono

Apesar de ter trabalho em outros ramos, a vida de Anderson sempre foi dentro do ringue. Desde os quatorze anos de idade ele respira a luta e está sendo difícil ficar longe do octógono. Desde o fim do ano passado o Spider está suspenso pelo UFC devido a outro caso de doping. Recentemente esta distância aumentou, pois Anderson SIlva foi retirado do ranking da organização, o que significa que até a segunda ordem, o brasileiro não lutará.

União de Sucesso

Quando se preparava para a luta do século contra Vitor Belfort, Anderson foi atrás de um mestre. O ator Steven Seagal que também é lutador, atuou como conselheiro do Spider e foi fundamental para a vitória avassaladora. “Ele não me ensinou o chute com o qual eu nocauteei Vitor Belfort. O que ele fez foi me mostrar como melhorar o movimento. Mas eu treino artes marciais há muito, muito tempo, e sempre pratiquei aquele chute. O que ele fez foi me ajudar a aperfeiçoá-lo”, disse Anderson.

Relação com o Chefe

“O intocável de Dana White”, era assim que os lutadores falavam da relação do lutador com o presidente do UFC. A amizade surgiu antes mesmo do brasileiro ingressar na organização e rendeu frutos para ambos. Graças as exibições do Spider, o UFC ganhou muito dinheiro com patrocinadores e investidores. “Ele é o lutador mais talentoso do mundo”, disse Dana.

Títulos da Fera

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Campeão do Meca, Cage Rage e do UFC. Anderson Silva brilhou no mundo das lutas e levantou o cinturão de todas as organizações que disputou. Trinta anos dedicados a um esporte que ele sonhava tornar grande e conseguiu,. O UFC deu ao brasileiro reconhecimento mundial e mais um “título”. O Spider é também embaixador do UFC no Brasil. Um belo reconhecimento ao grande nome das artes marciais!

Doping e Decepção

Após a lesão e a segunda derrota para Chris Weidman, a carreira de Anderson Silva nunca mais foi a mesma. Mesmo afastando rumores de uma aposentadoria ao fechar novo contrato com o UFC de 15 lutas, o Aranha estava mudado. Na primeira luta após o período de recuperação da lesão, Anderson acabou desclassificado por doping e a luta anulada. Após o período punitivo de 1 ano, Anderson acabou perdendo mais duas lutas em sequência. Será que o Aranha ressurgirá triunfante um dia, ou já esta mesmo na hora de ele realmente pensar na aposentadoria?